Estudo sugere que 2,5 bilhões de tiranossauros rex viveram na Terra

Estimativa inédita da população total dos dinossauros foi publicada na revista “Science”. Biólogo brasileiro integrou equipe da Universidade da Califórnia que fez o cálculo.

Se um Tyrannosaurus rex já parece bastante assustador, imagine 2,5 bilhões deles. Este é o número de espécimes que se estima terem vivido na Terra entre 68 milhões e 66 milhões de anos atrás, segundo um estudo publicado na revista científica Science nesta quinta-feira (15/04).

Uma equipe da Universidade da Califórnia em Berkeley, da qual fez parte um biólogo brasileiro, Daniel Varajão Latorre, fez o cálculo de quantos tiranossauros viveram ao longo de 127 mil gerações usando como base dados que incluem o tamanho do corpo do animal, a idade de sua maturidade sexual e sua necessidade de energia para viver.

A população total de 2,5 bilhões de dinossauros é um número inédito, mas apenas uma estimativa com uma margem de erro que não perde em tamanho para o T. rex.

“[2,5 bilhões] são muitas mandíbulas”, afirmou o principal autor do estudo, Charles Marshall, diretor do Museu de Paleontologia da Universidade da Califórnia. “São muitos dentes. São muitas garras”, brincou.

A espécie de dinossauro vagou pela América do Norte durante cerca de 1,2 milhão a 3,6 milhões de anos. Isso significa que a densidade populacional dos animais não era necessariamente alta. Em uma área do tamanho da cidade de Washington, por exemplo, deveriam viver dois tiranossauros ao mesmo tempo. Já no espaço da Califórnia, estima-se a convivência de 3.800, diz o estudo.

Marshall afirmou que a estimativa da população é importante pois ajuda os cientistas a terem uma ideia da taxa de preservação dos fósseis de T. rex. Apenas cerca de 100 fósseis da espécie foram encontrados até hoje – 32 deles com material suficiente para constatar que eram adultos.

Segundo o autor da pesquisa, se tivessem vivido 2,5 milhões de tiranossauros no mundo em vez de 2,5 bilhões, provavelmente nunca teríamos tido conhecimento de sua existência.

O cálculo

A equipe de Marshall calculou o número usando uma regra geral da biologia que diz que quanto maior o animal, menos densa é sua população. Então os pesquisadores estimaram quanta energia o dinossauro carnívoro precisava para se manter vivo – algo entre um dragão-de-komodo e um leão. Também quanto maior a energia necessária, menos densa é a população.

Os cientistas ainda levaram em consideração que o Tyrannosaurus rex atingiu níveis de maturidade sexual em torno de 14 a 17 anos de idade, e viveu no máximo 28 anos.

Dadas as incertezas na duração das gerações dos dinossauros, no alcance e por quanto tempo eles vagaram, o estudo concluiu que a população total de tiranossauros deve ter sido de no mínimo 140 milhões de animais e um máximo de 42 bilhões, com 2,5 bilhões como valor médio. Ou seja, uma margem de erro um tanto gigantesca.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …