Ferro trabalhado na Idade do Bronze vinha de meteoritos

O ferro utilizado em artefatos da Idade do Bronze foi sempre de origem meteórica, segundo demonstrou um cientista do Museu Nacional de História Natural da França.

Ainda que os meteoritos já tenham sido reconhecidos como uma fonte deste metal, a comunidade científica não tinha conseguido determinar se representavam a maioria ou apenas alguns artefatos de ferro da Idade do Bronze.

Albert Jambon conseguiu estabelecer a origem meteórica exclusiva destes insólitos artefatos e como a prática foi abandonada durante a Idade do Ferro. O trabalho foi publicado na edição de dezembro de 2017 do Journal of Archaelogical Science.

A Idade do Ferro começou em Anatólia e Cáucaso por volta de 1200 aC. Mas quase 2 mil anos antes, várias culturas fabricaram objetos com ferro. Esses artigos eram extremamente raros e sempre muito apreciados.

O ferro é abundante na superfície terrestre. Então, o que fazia com que estes artefatos fossem tão valiosos? A pesquisa inicial mostrou que alguns deles eram feitos com ferro de meteoritos, o que levou os cientistas a se perguntarem quantos existiriam.

Albert Jambon reuniu os dados disponíveis e realizou sua própria análise química não destrutiva de amostras utilizando um espectrômetro portátil de fluorescência de raio-X.

A coleção de artefatos de ferro inclui contas de Gerzeh (Egito, 3200 aC), uma espada curta, conhecida como adaga, de Alaca Höyük (Turquia, 2500 aC), um colar de Umm el-Marra (Síria, 2300 aC), um machado de Ugarit (Síria, 1400 aC) e várias outras da civilização da dinastia Shang (China, 1400 aC), assim como a adaga, bracelete e almofada de Tutankhamon (Egito, 13500 aC).

A pesquisa revelou que um destes artefatos da Idade do Bronze foi feito com ferro meteórico. Quando se formam grandes corpos celestes como o nosso planeta, quase todo o níquel – elemento químico – se desloca até o núcleo de ferro fundido. Por isso, é extremamente raro encontrá-lo na superfície.

No entanto, alguns meteoritos são criados quando os corpos celestes se quebram. Se estes meteoritos são compostos do material central, na sua maioria contêm ferro com altos níveis de níquel e cobalto.

Esta característica permite identificar a fonte de ferro. O ferro meteórico também se encontra no estado metálico, pronto a ser usado, o que explica por que foi usado em todos os artefatos de ferro da Idade de Bronze.

Pelo contrário, os compostos de ferro nos minerais terrestres primeiro têm que ser submetidos ao processo de redução, que elimina o oxigênio unido para produzir o metal desejado. Esta é a base da fundição em fornos, um avanço que marcou o começo da Idade de Ferro.

Com a fundição, as culturas da Idade do Ferro puderam esquecer o metal extraterrestre raro e usar de forma generalizada os minerais de ferro terrestres, muito mais abundantes e fáceis de conseguir.

As descobertas de Albert Jambon refutam certas teorias que propõem que as ligas de ferro carregadas de níquel foram obtidas dos minerais terrestres.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Mistura inusitada de amônia e água cria raios superficiais e granizos em Júpiter

Júpiter, o maior gigante gasoso do Sistema Solar, é um lugar coberto por tempestades estranhas. O que os cientistas ainda não sabiam é que no meio dessas tormentas, existem raios de natureza bem diferente dos …

Emocionante avanço da teoria para a realidade: bizarro efeito quântico é observado

No núcleo toda estrela anã branca — o denso resto de uma estrela que queimou todo seu combustível — existe um fenômeno quântico enigmático: enquanto ganha massa ela reduz de tamanho chegando a um ponto …

Estudo prevê 300 mil mortes por covid até fim do ano nos EUA

Pesquisadores da Universidade de Washington pintam cenário sombrio caso restrições não sejam respeitadas. Enquanto primeiros epicentros registram queda, outros estados americanos divulgam taxas de infecções recordes. A epidemia de covid-19 deve matar aproximadamente 300 mil americanos …

Coronavírus: Exportações devem cair mais de 20% na América Latina, diz ONU

As exportações da América Latina e do Caribe podem cair mais de 20% em 2020 devido às consequências da pandemia do coronavírus, que também terá um impacto negativo nas importações, disse uma agência da …

O que é nitrato de amônio, que pode provocar explosões como a de Beirute?

A recente tragédia no país árabe trouxe de novo à tona preocupações sobre o armazenamento do perigoso material, tornando necessário saber como esses incidentes ocorrem para os prevenir. A explosão de nitrato de amônio em Beirute, …

Astrônomos descobrem nuvens gigantes "escondidas" em Vênus há 35 anos

Uma equipe de astrônomos encontrou nuvens venenosas, com gotas de ácido sulfúrico em sua formação, em meio à densa atmosfera de Vênus. Curiosamente, essas nuvens já estavam presente na atmosfera venusiana há pelo menos 35 anos, …

Japão lembra 75 anos de bomba de Hiroshima e pede união contra armas nucleares

Esta quinta-feira (6) marca o 75º aniversário do primeiro ataque com bomba atômica do mundo. Cerca de 140 mil pessoas morreram no bombardeio à cidade japonesa, realizado pelo Estados Unidos no fim da Segunda Guerra …

Donald Trump determina bloqueio do TikTok e WeChat nos EUA em 45 dias

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump assinou na noite de ontem (6) uma ordem executiva determinando o fim de relações com as empresas responsáveis pelos apps TikTok e WeChat no país norte-americano. Em comunicado emitido …

Brasil caminha para ter 200 mil mortes pelo coronavírus até outubro, diz especialista

Na semana em que o Brasil deverá registrar 100 mil mortes pelo novo coronavírus, um especialista brasileiro indica que o país caminha para dobrar esse número em dois meses, atingindo 200 mil óbitos pela pandemia …

Petição defende que França assuma controle do Líbano

Suspeita de que desastre em Beirute foi causado por negligência eleva indignação dos libaneses, que pedem mandato francês pelos próximos dez anos no país. Apelo recebe mais de 50 mil assinaturas após visita de Macron. Quase …