Guerra com o Irã devastaria economia global, diz príncipe saudita

secdef / Flickr

O príncipe saudita Mohammed bin Salman

Mohammed bin Salman defende solução pacífica para crise com Teerã e pede “ação forte e firme” de países. Ele ainda nega ter ordenado assassinato de Jamal Khashoggi, mas, como líder saudita, se diz responsável pelo crime.

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, afirmou que uma eventual guerra contra o Irã teria potencial para devastar a economia mundial e disse preferir uma solução pacífica e não militar para as tensões contra seu rival regional.

“Se o mundo não tomar uma ação forte e firme para dissuadir o Irã, veremos mais escaladas, que ameaçarão os interesses mundiais“, disse o príncipe em entrevista ao programa 60 Minutes, da rede americana CBS, transmitida neste domingo.

“O fornecimento de petróleo será afetado, e os preços do petróleo subirão aos níveis mais altos que vimos em nossas vidas”, alertou, prevendo consequências catastróficas para a economia mundial.

“A região é responsável por aproximadamente 30% do suprimento de energia do mundo, 20% do trânsito comercial e cerca de 4% do PIB mundial. Imagine se essas três coisas pararem. Isso levaria a um colapso total da economia planetária, e não somente da Arábia Saudita ou dos países do Oriente Médio”, acrescentou Salman.

Ele disse não ver sentido no ataque de 14 de setembro a instalações petrolíferas sauditas, cuja responsabilidade foi atribuída ao Irã por seu país e pelos Estados Unidos. “Não há um objetivo estratégico. Apenas um tolo atacaria 5% dos suprimentos mundiais. O único objetivo estratégico foi demonstrar que eles são estúpidos, e foi o que fizeram”, afirmou.

O príncipe também comentou a morte do jornalista Jamal Khashoggi, que completa um ano nesta semana. Ele negou ter ordenado o assassinato, ocorrido em outubro do ano passado, mas, como líder da Arábia Saudita, assumiu a responsabilidade pelo crime.

Absolutamente, não. Aquele foi um crime hediondo. Mas assumo total responsabilidade como líder da Arábia Saudita, principalmente porque foi cometido por indivíduos que trabalham para o governo saudita”, afirmou. “Quando um crime é cometido contra um cidadão saudita por funcionários, trabalhando para o governo saudita, como líder, devo assumir a responsabilidade. Foi meu erro.”

Salman enfrentou grande pressão internacional depois que o jornalista saudita foi morto e esquartejado no consulado da Arábia Saudita em Istambul. O corpo de Khashoggi nunca foi encontrado. O príncipe disse que o assassinato foi realizado sem seu conhecimento.

Riad negou repetidamente que Salman tenha estado por trás do assassinato de Khashoggi, um membro da família real que se tornou crítico do regime saudita, passando a viver nos Estados Unidos. Ele foi morto no que as autoridades sauditas descreveram como uma operação clandestina.

O relatório de uma especialista em direitos humanos da ONU que conduziu uma investigação independente afirma haver “evidências críveis” ligando o príncipe herdeiro ao assassinato e a uma tentativa de encobrimento do crime.

Mas promotores sauditas absolveram o príncipe. Onze pessoas são acusadas de participação no assassinato, mas o processo corre em sigilo. Até agora, nenhum dos suspeitos foi condenado. No início do processo, a procuradoria saudita pediu pena de morte para cinco dos réus.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Sangue humano é encontrado em máscara funerária de civilização antiga do Peru

Um grupo de pesquisadores do Projeto Arqueológico Sicán, no Peru, descobriu vestígios de sangue humano e proteína de ovo de ave em uma máscara funerária de ouro de mil anos. O objeto pertence à civilização Lambayeque, …

Ebrahim Raisi

Irã anuncia retomada de negociações sobre acordo nuclear

Conversas sobre salvação do pacto assinado em 2015 estão paralisadas desde a eleição do novo presidente iraniano, o ultraconservador Ebrahim Raisi, gerando preocupação internacional. O Irã anunciou nesta quarta-feira (27/10) que vai retomar até o final …

Polônia é multada em € 1 milhão por dia por desobedecer decisão judicial da UE

A Polônia foi condenada nesta quarta-feira (27) a pagar para a Comissão Europeia, órgão Executivo do bloco, uma multa diária de € 1 milhão por não ter encerrado as atividades da câmara disciplinar da …

Startup ajuda pequenas empresas a monitorarem vacinação dos funcionários

A startup brasileira White Tents lançou uma versão em formato freemium — isto é, gratuita mas com alguns recursos pagos — de sua plataforma digital para pequenas empresas que queiram monitorar a vacinação de até …

Argentina vacinará brasileiros na região de fronteira e turistas estrangeiros menores de 18 anos

O governo argentino anunciou uma nova flexibilização para a entrada de estrangeiros no país, a vacinação de turistas menores de 18 anos e de cidadãos de países vizinhos que atravessarem a fronteira por via …

CPI da Pandemia conclui trabalhos e pede o indiciamento de Bolsonaro

Senadores aprovam relatório sobre atuação do governo na crise do coronavírus que propõe punição de 78 pessoas e duas empresas, após seis meses de depoimentos, coleta de provas e repercussão na mídia. A CPI da Pandemia …

Sinais de possível 1º exoplaneta fora da Via Láctea são detectados

Pela primeira vez na história, é possível que os cientistas tenham descoberto um planeta em outra galáxia. O possível exoplaneta recebeu o nome de M51-ULS-1 e se encontra a 28 milhões de anos-luz de distância na …

China vai vacinar crianças a partir de três anos contra a covid-19

Imunizantes aprovados são das farmacêuticas chinesas Sinopharm e Sinovac, fabricante da Coronavac. País será um dos primeiros a começar a vacinar essa faixa etária. No total, China já vacinou 76% da população. Ao menos cinco províncias …

"Bolsonaro ignora todas as necessidades culturais dos brasileiros", diz Gilberto Gil à revista Télérama

A imprensa francesa desta segunda-feira (25) destaca o show de Gilberto Gil nesta noite na Filarmônica de Paris. O músico brasileiro conversou com o jornal Le Monde e com a revista Télérama. "Gilberto Gil", embaixador …

"Peças extraordinárias" achadas na Indonésia podem ser da lendária "ilha do Ouro"

Tesouros no valor de milhões de dólares encontrados nos últimos cinco anos ao longo do rio Musi podem ser do antigo império malaio Serivijaia, na ilha de Sumatra, que por 300 anos dominou as rotas …