Inteligência Artificial do Google já consegue prever quando os pacientes vão morrer

O Google tem expandido seus serviços médicos e treinado algoritmos para prever quanto tempo de vida resta a um paciente, informação que pode ajudar a salvar vidas.

A rede neural do Google pode ser considerada única se comparada à típica inteligência artificial, isso porque é capaz de aprender e analisar informações com base em exames reais em vez de ser programada para seguir um certo conjunto de regras. Experiências que usaram dados de dois hospitais dos Estados Unidos provaram isso.

De acordo com Bloomberg, o estudo utilizou dados de uma mulher em fase avançada de câncer de mama. Os computadores do hospital analisaram os resultados do raio-X e determinaram uma possibilidade de 9,3% de a paciente morrer no hospital.

Contudo, a rede neuronal do Google, que analisou 175.639 parâmetros, aumentou as probabilidades de a mulher morrer para 19,9%.

A paciente acabou vindo a óbito dez dias depois.

A rede neural, descrita no estudo publicado no mês passado na Nature, usa uma grande quantidade de dados, entre os quais os dados vitais de um paciente e seu histórico clínico de modo a fazer suas previsões.

O novo algoritmo alinha eventos anteriores que constam nos registros de cada paciente e organiza-os em uma linha do tempo, e isso permitiu que o modelo de aprendizagem identificasse resultados futuros, incluindo a data da morte, alta ou readmissão do paciente.

A plataforma do Medical Brain, além de reunir informações (incluindo até rabiscos dos médicos), realiza todos os cálculos em tempo recorde.

Mas, além de temer o inevitável, o que mais poderia ser feito com a informação?

Os hospitais podem utilizar a previsão para encontrar novas formas de priorizar o atendimento ao paciente, ajudar planos de tratamento e até detectar emergências médicas antes que elas aconteçam.

Além disso, poderia também ajudar os profissionais de saúde a economizar até 80% do tempo gasto com a preparação rotineira dos dados.

A Inteligência Artificial já tem várias outras aplicações na área da saúde. No entanto, tudo o que havia até agora não se compara com o enorme passo que o Google tenta dar.

No entanto, embora a ideia atraia alguns, há quem se preocupe com a privacidade. A reunião de todos os dados pessoais em um único modelo preditivo, pertencente a uma das maiores empresas privadas do mundo é uma solução não muito atraente.

Os registros eletrônicos de saúde de milhares de pacientes nas mãos de um pequeno número de empresas privadas poderia permitir rapidamente que o Google explorasse as indústrias de saúde, tornando-as um monopólio no campo médico.

Embora a combinação de Inteligência Artificial com médicos humanos seja uma combinação perfeita, as ferramentas de IA já preocupam os profissionais de saúde no que diz respeito aos efeitos que poderia trazer para a medicina, como preocupações relacionadas com a transparência dos critérios.

Aliás, há quem defenda: na ausência de uma estrutura que regule eficazmente e que incentive a transparência nos Estados Unidos, será quase impossível responsabilizar as empresas em questão.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Pessoas feias superestimam drasticamente suas aparências

Pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência. Não faltam disparidades entre pessoas atraentes e pouco atraentes. Estudos mostram que os mais belos entre nós …

Noruega acusa Pequim de ciberataque contra serviços do governo

Pela primeira vez na história, o Serviço de Segurança Policial da Noruega (PST, na sigla em inglês) identificou a China como sendo responsável por um ataque hacker contra as autoridades do país nórdico. A agência de …

China supera marca de 1 bilhão de vacinas contra a covid-19 aplicadas

Quantia representa mais de um terço das doses aplicadas no mundo. Após início lento da imunização, autoridades chinesas querem vacinar completamente 40% da população até o final de junho. O número de doses de vacinas contra …

Brasileiros protestam no exterior contra Bolsonaro e gestão da epidemia

Dezenas de milhares de pessoas tomaram as ruas de várias capitais brasileiras neste sábado para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro e sua gestão da pandemia, que já deixou mais de meio milhão de …

Relíquia do Jurássico: descoberto animal marinho cuja espécie vive há 180 milhões de anos

Um grupo de pesquisadores descreveu uma nova espécie de ofíuros – um animal marinho parecido com as estrelas-do-mar, que recebeu o nome de Ophiojura, informou nesta quinta-feira (17) Tim O’Hara, curador dos Museus Victoria (Austrália) …

Projeto de estrada cortando parque das cataratas de Iguaçu ameaça outras áreas de proteção pelo Brasil

Uma das paisagens naturais mais impressionantes do Brasil e reconhecida pela Unesco, o Parque Nacional do Iguaçu, que abriga as cataratas, no Paraná, pode ser cortado ao meio por uma rodovia asfaltada – em …

Por que a imunidade de rebanho está longe de ser realidade

Embora costume ser apresentada como simples cálculo matemático, alcançar a imunidade de rebanho não é tarefa fácil. Ela não só depende da infecciosidade das variantes, como da adoção de medidas sanitárias pela população. Apesar das campanhas …

Uso de maconha na adolescência pode atrapalhar o desenvolvimento do cérebro

O consumo de maconha pode ser prejudicial ao cérebro humano durante a adolescência, de acordo com estudo publicado na última quarta-feira (16). Segundo a pesquisa, realizada em regiões da Europa, o uso recreativo da planta pode …

EUA terão feriado para comemorar fim da escravidão

Data já celebrada na maioria dos estados vai se tornar feriado federal. O "Juneteenth" lembra dia em que os últimos escravos negros foram libertados no país, em 1865. Após aprovação pelo Congresso dos Estados Unidos na …

5 perguntas sobre os denisovanos, 'parentes' extintos dos humanos modernos que viveram na Terra há 50 mil anos

Desde que os primeiros vestígios dos denisovanos foram descobertos em 2008, os cientistas não descansaram tentando obter mais informações sobre eles. A tarefa, no entanto, não tem sido fácil, porque até agora só foram encontrados pequenos …