Inteligência artificial se replica sozinha com base na seleção natural

Pesquisadores do Canadá publicaram um estudo no qual explicam como conseguiram construir um sistema de inteligência virtual autorreplicante.

Geralmente, o desenvolvimento de sistemas de inteligência artificial envolve a construção de camadas de uma rede neural e a orientação do seu desenvolvimento para a aprendizagem da máquina.

Mas essa verdade não se aplica aos pesquisadores Oscar Chang e Hod Lipson, da Universidade de Colúmbia, no Canadá, que publicaram em março o estudo intitulado “Neural network Quine”, no arXiv. No documento, a dupla explica como conseguiu construir um sistema de inteligência artificial autorreplicante.

Em entrevista, Chang afirmou que a “principal motivação é que os agentes da Inteligência Artificial ​​são alimentados por deep learning, além de um mecanismo de autorreplicação que permite que a seleção natural darwiniana ocorra, de modo que uma população de agentes da IA ​​possa se aperfeiçoar apenas através da seleção natural – exatamente como na natureza“.

Usando o que as inteligências artificiais fazem de melhor – a análise de dados em busca de padrões –, essas redes neurais autorreplicantes podem se aperfeiçoar de milhões de formas distintas. Criando novas versões de si mesma, a IA pode determinar seu próprio crescimento, prevendo como será no futuro, após aprender novas informações.

Claro que isso nos leva diretamente ao maior medo que o debate sobre as IAs traz: a possibilidade de, com a replicação de si mesma, a mente robótica se tornar resistente ao domínio humano.

Pelo menos em teoria, os humanos poderiam fracassar em excluir todo o programa, que poderia ser armazenado numa nuvem segura, e trazer todo o sistema de volta à rede em questão de segundos.

Entretanto, os cientistas garantem que não há razões para temer uma revolta ciborgue. Até porque, o desempenho do sistema capaz de autorreplicação é curiosamente mais baixo que os das IAs tradicionais.

Em tarefas como reconhecimentos de imagem, as inteligências tradicionais conseguem resultados próximos de 100%, enquanto o sistema de IA capaz de autorréplica apresenta rendimento cerca de 10% menor.

Sobre isso, Chang comentou: “Não é totalmente claro por que isso acontece. Mas notamos que isso é semelhante ao balanço feito entre a reprodução e outras tarefas na natureza. Por exemplo, nossos hormônios nos ajudam na adaptação ao nosso ambiente e em tempos de escassez de alimentos, nosso impulso sexual é regulado para priorizar a sobrevivência sobre a reprodução“.

Ainda há muito trabalho a ser feito antes de esse modelo de IA ficar pronto para ser usado. Os estudos da dupla de Colúmbia estão apenas no começo.

Mas dá um frio na barriga imaginar um futuro onde as inteligências artificiais têm o poder de criar outras inteligências artificiais e aprimorá-las para melhor se adaptarem às regras do jogo que nós também jogamos, não é?

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …