Imunidade ao coronavírus deve ser mais duradoura, sugere novo estudo

Narendra Shrestha / EPA

A pergunta sobre quanto tempo dura a imunidade do novo coronavírus (SARS-CoV-2) segue intrigando cientistas de todo o mundo.

Em junho, um estudo chinês apontava que os anticorpos para a COVID-19 poderiam durar por apenas dois ou três meses após a infecção, especialmente entre os assintomáticos. Agora, um outro estudo, desenvolvido em Singapura, revela que a imunidade ao vírus pode ser maior que a prevista inicialmente.

Publicado na revista científica Nature, o estudo foi desenvolvido a partir de uma parceira entre cinco institutos de Singapura e sugere que a infecção e a exposição aos coronavírus induzem a produção de células T — tipo de célula específica do sistema imunológico — mais duradouras, o que pode impactar tanto os rumos da pandemia e até mesmo o desenvolvimento de vacinas contra a COVID-19.

Entenda a pesquisa

Para chegar a essa conclusão, a equipe de Singapura testou indivíduos que se recuperaram da COVID-19 e encontraram em todas as amostras a presença de células T, específicas para o novo coronavírus. É isso que sugere que essas células desempenham um importante papel na resposta imunológica contra o coronavírus — e entender por quanto tempo elas se manterão é fundamental.

Em paralelo, os mesmos pesquisadores também concluíram que os pacientes que se recuperaram da SARS (Síndrome respiratória aguda grave), há 17 anos, após o surto de 2003, ainda possuem células T específicas para o vírus.

Foi o que descobriram entre os 23 pacientes analisados.

“Esses achados demonstram que as células T específicas para vírus induzidas por infecção por betacoronanvírus [responsável tanto pela MERS quanto pela COVID-19] são duradouras, apoiando a noção de que pacientes com COVID19 desenvolverão imunidade em longo prazo através de células T”, especulam pesquisadores no estudo.

“Os resultados são animadores individualmente, porque mostram que a resposta contra coronavírus pode ser duradoura, o que quer dizer que mesmo se a pessoa se infectar de novo, pode ser mais leve porque o corpo já está preparado. E que pode ser fácil de despertar com uma vacina”, completa ainda Iamarino.

Por outro lado, o microbiologista brasileiro levanta uma outra questão referente a importância das células T na defesa do organismo contra a COVID-19: segundo ele, se a resposta por células T é mais importante e mais comum do que anticorpos, pode ser que o sistema respiratório das pessoas recuperadas da COVID ainda se mantenha vulnerável, o que abriria portas para recidivas e novos contágios.

Quanto a essas descobertas, via Twitter, o microbiologista e doutor pela USP, Atila Iamarino, comenta como os cientistas chegaram a esses resultados, observando a resposta imunológica dos participantes da pesquisa.

Apesar das promissoras descobertas dos pesquisadores, ainda não há como afirmar ou precisar um período em meses ou anos sobre a durablidade da imunidade daqueles que já contraíram a COVID-19. Com base em achados de outras doenças, pode ser que seja maior que três meses, ou até mesmo, anos. Mais estudos sobre linfócitos T são necessários — e principalmente estudos prospectivos. Como a doença ainda é relativamente nova, várias hipóteses surgem a todo momento, e várias incógnitas, também.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …