O designer holandês Frank Holkman criou um dispositivo de realidade virtual que permite experimentar o que sente uma pessoa na hora da morte.

A morte faz parte da vida do ser humano, mas pode acarretar consequências psicológicas, como a ansiedade, que poderiam ter repercussões no nosso bem-estar.

Para combater a “ansiedade da morte” em pacientes terminais, o designer Frank Kolkman criou um dispositivo que simula uma experiência de “quase-morte” fazendo uso da realidade virtual. Kolkman espera que a experiência possa reduzir a angústia provocada pelo conhecimento prévio da morte.

O dispositivo chama-se Outrospectre e é composto por uma cabeça robótica, equipada com uma câmara 3D em cada olho. Uma vez acionado, o aparelho se afasta pouco a pouco da pessoa que está a experimentá-lo.

A cabeça artificial segue os movimentos da cabeça da pessoa em tempo real, e transmite a imagem e o som – através de óculos de realidade aumentada e fones – fazendo com que a pessoa tenha a percepção de que está se afastando de si mesma.

O dispositivo de Kolkman se baseia em imagens do ambiente real, em vez de se basear em imagens geradas por computador. Para que a experiência se torne ainda mais real, o designer acrescentou um pequeno martelo que bate no peito do participante, imitando o bater de um coração.

“A experiência torna-se mais credível quando o participante percebe o que está acontecendo — do ponto de vista mental — mas é, ao mesmo tempo, contrariado pelos seus sentimentos”, afirma Kolkman.

Os visitantes da Dutch Design Week, em Eindhoven, na Holanda, foram convidados a experimentar o dispositivo que explora como as novas tecnologias podem ser capazes de resolver problemas psicológicos, como o medo da morte.

Segundo a Dezeen, a maioria das pessoas que experimentaram o Outrospectre afirma que tiveram a sensação física de estar em dois locais distintos ao mesmo tempo.

Com o Outrospectre, Kolkman pretende provar que os designers podem ser capazes de introduzir uma nova cultura de aceitação da morte. “Atualmente, o foco da medicina é manter os pacientes vivos, em vez de melhorar a qualidade do tempo que lhes resta”, diz o designer, formado no Royal College of Art.

O medo da morte é um tema negligenciado“, diz o designer. “Se começássemos a tratar a ansiedade em torno da morte, o processo poderia se tornar mais confortável”. Frank Kolkman realça ainda que a maioria das pessoas morreu no hospital e que “as mortes foram, assim, transformadas em experiências médicas“.

A tecnologia ainda está em fase de desenvolvimento, mas o próximo passo é realizar testes científicos para que o instrumento possa ser utilizado no tratamento de doentes terminais, a fim de aliviar o seu último período de vida e combater o medo da morte.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …