Jogador alvo de racismo toma atitude que todo mundo deveria ter e abandona gramado

Hugo Delgado / EPA

Na última rodada da Liga Portuguesa, o Porto venceu fora de casa Vitória de Guimarães por 2 a 1. O gol que definiu a partida foi do malinês Marega. O ponta de lança recebeu um lançamento e encobriu o goleiro, marcando um belo gol. A torcida do time de Setúbal reagiu com ofensas racistas ao jogador e Marega abandonou a partida.

Após marcar o gol que deu a vitória ao Porto, o jogador comemorou apontando para seu braço em direção à torcida do Vitória, que reagiu atirando coisas e fazendo imitações de macaco para Marega, que ergueu uma cadeira atirada por cima de sua cabeça e abandonou o campo de jogo mostrando o dedo do meio, após tomar um cartão amarelo do árbitro Luis Godinho.

Depois de tentar ser impedido de se retirar de campo, o jogador finalmente convenceu os colegas de time que essa era a melhor atitude a se tomar. Marega foi substituído pelo jogador Wilson Manafá. A paralisação da partida durou sete minutos.

Confira o vídeo de Marega tentando sair de campo e exercer seu direito, mas sendo impedido pelos jogadores:

Naturalização do racismo

Não seria de se espantar se a Federação Portuguesa aplicar uma penalidade maior à Marega durante a semana. Especialmente após termos vistos punições a jogadores que lutaram contra ofensas racista ao redor da Europa, como Balotelli, que foi repreendido pelo próprio presidente de seu clube por lutar por ser direitos (o dirigente ainda disse que ele deveria “embranquecer”), ou como Taison Freida, brasileiro que foi ofendido em um clássico na Ucrânia e, após responder, foi expulso de campo de jogo e punido pela Federação Ucraniana de Futebol.

Marega desabafou nas redes sociais. “Gostaria apenas de dizer a esses idiotas que vêm ao estádio fazer gritos racistas… vá se f****. E também agradeço aos árbitros por não me defenderem e por terem me dado um cartão amarelo porque defendo minha cor da pele. Espero nunca mais encontrá-lo em um campo de futebol! VOCÊ É UMA VERGONHA!”, afirmou.

O racismo tem aumentado muito na atual temporada do futebol europeu. Casos na Inglaterra, Ucrânia e Itália de cantos racistas contra jogadores negros se sobrepoem e a reação das entidades responsáveis e comissões de arbitragem são pífias para combater esse mal que vem se alastrando por uma Europa cada vez mais conservadora.

Embora não tenha apoio, como ele mesmo disse, Marega fez certo ao deixar o gramado após ser alvo do racismo. Não é possível que entidades ainda naturalizem ou cheuguem ao absurdo de culpar o jogador. Até quando?

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

China revela 1ª apresentadora virtual desenvolvida por inteligência artificial e tecnologia 3D

Apresentada recentemente pela agência estatal chinesa Xinhua, a primeira apresentadora digital, feita com tecnologia 3D e inteligência artificial do mundo já está trabalhando. Batizada de Xin Xiaowei, a âncora humanoide replica à perfeição a aparência, feições, …

Esta massiva galáxia antiga não deveria existir, de acordo com astrônomos

Uma galáxia massiva similar à Via Láctea desafia a compreensão da formação de galáxias por astrofísicos. Estudo publicado na Nature revela que o sistema surgiu 1,5 bilhões de anos após o Big Bang, sendo o …

Pela 1ª vez, Twitter alerta para fake news em posts de Trump

Rede social marcou dois tuítes do presidente americano com sugestão para que usuários chequem os fatos, apontando que alegações "não têm fundamento". Em reação, Trump acusou plataforma de interferir em eleições. A rede social Twitter colocou, …

Arqueólogos creem ter solucionado mistério de pinturas rupestres aborígenes

Equipe de arqueólogos australianos descobriu raros exemplares de arte rupestre detalhada e em pequena escala com recurso a estênceis, em um abrigo rochoso do povo aborígene Marra. O achado teve lugar em uma caverna que servia …

Costa Rica realiza primeiro casamento homoafetivo da América Central e celebra avanço social

Duas mulheres se casaram na manhã desta terça-feira na Costa Rica, que se tornou o primeiro país da América Central a legalizar o casamento entre pessoas homoafetivas. A pandemia de coronavírus restringiu as comemorações. …

Novo coronavírus não se propaga facilmente pelo contato com superfícies e objetos

Nós sabíamos que o novo coronavírus poderia sobreviver em superfícies por determinados períodos de tempo, e que há detergentes especiais para o manterem longe, mas essa não era a principal forma de transmissão. Agora o Centro …

Sistema do Twitter falha em rotular mensagens falsas

Com o propósito de ajudar seus usuários a não serem vítimas da desinformação sobre a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), o Twitter investiu em mecanismos com base na inteligência artificial para rotular postagens falsas e …

EUA antecipam veto a entrada de estrangeiros que passaram pelo Brasil

Restrição passa a valer às 23h59 desta terça-feira, dois dias antes do anteriormente anunciado. Medida atinge cidadãos não americanos que estiveram em território brasileiro nos últimos 14 dias, salvo algumas exceções. O governo dos Estados Unidos …

Coronavírus: por precaução, OMS suspende ensaios clínicos com hidroxicloroquina

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou, nesta segunda-feira, que suspendeu "temporariamente" os ensaios clínicos com hidroxicloroquina que realiza com parceiros em diversos países, por medida de precaução. A decisão segue a publicação na sexta-feira …

Exoplanetas habitáveis poderiam ser identificados por 'código de cores', afirma estudo

As enormes distâncias até os exoplanetas teoricamente capazes de suportar vida impedem a observação direta e a exploração dessas possibilidades, levando cientistas a procurar soluções inovadoras. Uma equipe de astrônomos da Universidade Cornell, nos Estados Unidos, …