Justiça de SP ordena que Apple retire do ar propaganda enganosa de iPhones

Justiça de São Paulo acatou ação civil da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor e determinou que a Apple retire do ar todo tipo de propaganda enganosa publicada em revistas, jornais, folhetos, sites, televisão e toda forma de comunicação a respeito da memória disponível nos aparelhos iPad Air, iPad Mini e iPhones 5 e 6 no prazo determinado de 30 dias.

O juiz Felipe Poyares Miranda, da 16ª Vara Cível de São Paulo, entendeu que a capacidade bruta anunciada desses produtos não corresponde à memória utilizável pelo consumidor, já que cerca de 3 GB são ocupados pelo sistema operacional do eletrônico e seus aplicativos fundamentais.

Por exemplo, um aparelho ofertado com memória de 16 GB possui na verdade 13 GB de armazenamento de dados. Da mesma forma, o consumidor vem sendo enganado pelas embalagens dos eletrônicos da gigante, que oferecem 128 GB de espaço utilizável sendo que na realidade possuem apenas 125 GB.

O juiz considerou a pratica “uma violação ao direito do consumidor”, uma vez que é necessário prestar informações verídicas ao consumidor. Em caso de descumprimento da ordem, a companhia deverá pagar uma multa equivalente de R$ 10 mil.

A Proteste durante está ação se manifestou dizendo que a Apple Computer Brasil realiza propaganda enganosa ao oferecer e colocar à venda produtos com capacidade real de memória inferior à informada nos aparelhos iPad Air (16 GB), iPad Air 2 (16 GB, 32 GB e 64 GB), iPad Mini 2 (16 GB, 32 GB e 64 GB), iPad Mini 3 (16 e 64 GB), iPhone 5S (16 GB, 32 GB e 64 GB) e iPhone 6 (16 GB, 64 GB e 128 GB).

A associação afirma que é possível identificar no respectivo site da empresa que não há transparência nas informações, pois ressalta que ao clicar no modelo e, posteriormente, na memória, em letras miúdas em cinza claro informam que “a capacidade real do GB após a formatação é menor”.

De acordo com a Proteste isto prova que a Apple tem consciência de que “vende algo que não entrega”. Complementou ainda dizendo que a quantidade de memória influencia no preço final dos aparelhos, pois 1 GB custa aproximadamente R$ 6,25.

Apple se defende…

A Apple alega que os aparelhos possuem a capacidade que é informada ao consumidor e negou que haja propaganda enganosa de armazenamento.

Segundo a empresa, “parte de sua memória é utilizada para funções operacionais e parte para armazenamento que de antemão não é possível dizer quanto da memória de um aparelho será utilizada para o sistema operacional”, registra a empresa, em sua defesa, sob o argumento de que “a única informação clara, precisa e verdadeira é a que consta e já é disponibilizada”.

Ainda de acordo com a Apple, o site fornece explicações técnicas adicionais sobre a capacidade de armazenamento, alegando que não há dano ao consumidor por parte da empresa, uma vez que seus concorrentes comercializam seus produtos utilizando o mesmo tipo de informação. A gigante de tecnologia ainda argumentou que todo cliente tem direito a 5 GB extras no iCloud — sistema em nuvem que pode ser acessado pelos aparelhos.

A companhia ressaltou que como não existe atualização periódica do sistema operacional para melhoria do serviço não poder aferir qual a memória livre do eletrônico. Além disso, diz que os aparelhos vendidos são padronizados.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Google está “criando Deus”, alerta ex executivo da Google

Segundo um ex-executivo do Google, a singularidade está chegando. E, segundo ele isso representa uma grande ameaça para a humanidade. Mo Gawdat, ex-diretor de negócios da organização moonshot do Google, que na época se chamava Google …

Pandemia causa a maior redução na expectativa de vida desde a Segunda Guerra

Desde a descoberta do coronavírus SARS-CoV-2, mais de 4,9 milhões de pessoas morreram oficialmente em consequência da infecção, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins. Nesse cenário, a pandemia da covid-19 reduziu a expectativa de vida …

Forças Armadas da Noruega assinam contrato bilionário de mísseis para caças F-35

Noruega tem sido um parceiro ativo no programa de caças dos EUA F-35, tendo em conta que 18 empresas deste país nórdico são parceiros diretos. Subsequentemente, a Noruega decidiu adquirir 52 caças F-35 para substituir …

Brasil fez lobby para mudar relatório climático, diz Greenpeace

Vários países, entre eles o Brasil, tentaram fazer mudanças em um crucial relatório da ONU sobre como combater o aquecimento global, afirmou o Greenpeace nesta quinta-feira (21/10), citando um grande vazamento de documentos. Os documentos aos …

Site da Coreia do Sul é usado para hospedar vírus e distribuí-lo via torrents

Uma campanha de distribuição de malwares na Coreia do Sul está disfarçando cavalos de troia de acesso remoto como um jogo para o público adulto, compartilhado via serviço de hospedagem de arquivos, como o WebHard, …

América Latina pode levar ‘muitos anos’ para superar impacto da pandemia, alerta FMI

Os efeitos negativos da pandemia de Covid-19 em termos de produtividade, emprego e capital humano na América Latina e Caribe podem "demorar muitos anos para serem revertidos". O alerta foi feito nesta quinta-feira (21) pelo …

Dinossauro “garça do inferno com cara de crocodilo” é descoberto

Dois dinossauros carnívoros de dentes pontiagudos com crânios de crocodilo apareceram uma vez nas margens do rio na Ilha de Wight, na Inglaterra, revelam novos fósseis. Os cientistas deram às criaturas nomes científicos que se traduzem …

As 9 acusações contra Bolsonaro no relatório da CPI - e a manobra governista para tentar blindá-lo

Após o relatório da CPI da Covid no Senado acusar o presidente Jair Bolsonaro de nove crimes durante a pandemia, um senador da bancada governista tentou uma manobra para "blindar" o chefe do Executivo e …

Nova onda de covid-19 atinge o Leste Europeu

Uma nova onda de covid-19 se alastra pela Europa, sobretudo em países do Centro e do Leste, onde as taxas de imunização se mantêm mais baixas. A alta nos casos em vários países faz com …

Ator Alec Baldwin mata acidentalmente cineasta e fere diretor em set de filmagem nos EUA

O ator Alec Baldwin disparou uma arma que não devia estar carregada, utilizada nas filmagens no Novo México (EUA), matando a cineasta Halyna Hutchins e ferindo o diretor Joel Souza, segundo as autoridades. O incidente se …