Theresa May acusa Rússia de envenenar ex-espião – e faz ultimato

UK Parliament / Flickr

Theresa May, Primeira-Ministra britânica

A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou ser “muito provável que a Rússia seja responsável” pelo envenenamento do ex-espião russo e da filha, Yulia, em declaração no parlamento britânico, em Londres.

Diante dos parlamentares britânicos, Theresa May destacou que a substância utilizada contra o ex-espião e a filha, que ataca o sistema nervoso, é “de qualidade militar” desenvolvida pela Rússia.

Além de ter considerado “altamente provável” que o envenenamento do ex-agente duplo russo tenha autoria russa, a chefe do executivo britânico o classificou como um ataque “cego e imprudente contra o Reino Unido”.

Para a governante, só existem dois cenários possíveis: tratou-se ou de “um ataque cirúrgico” do Estado russo, ou de uma “perda de controle” da substância química pelas autoridades russas.

Na intervenção, a premiê britânica deu um prazo a Moscou, até esta terça-feira (13), para fornecer explicações à Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ).

Em caso de ausência de uma resposta “credível”, o executivo britânico considerará que “a ação constitui um uso ilegal da força pelo Estado russo contra o Reino Unido”, acrescentou a primeira-ministra.

May recordou que o envenenamento se inscreve “num contexto bem definido de agressão levada a cabo pelo Estado russo”, referindo o conflito em Donbass, a “anexação ilegal da Crimeia”, as “repetidas” violações do espaço aéreo de vários países europeus, campanhas de ciberespionagem, bem como “o ataque bárbaro” a Alexandre Litvinenko, antigo agente secreto russo envenenado com Polónio-210 e morto em Londres, em 2006.

Lembrando que as sanções adotadas contra cidadãos russos após o caso Litvinenko “continuam em vigor”, a chefe do governo britânico se declarou “pronta para tomar medidas mais fortes“, referindo-se à presença de tropas britânicas estacionadas na Estônia, no âmbito de um destacamento da Otan.

“Espetáculo circense”, acusa Kremlin

A Rússia já reagiu às acusações. “É um espetáculo circense no parlamento britânico. As conclusões são claras: uma nova campanha de propaganda informativa assente em provocações”, declarou a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, também afirmou que o Kremlin só irá responder quando o Reino Unido “cumprir suas obrigações”, quando entregar uma amostra da substância que supostamente foi usada.

O “Reino Unido, como bem deve saber a primeira-ministra e seu ministro das Relações Exteriores, é membro, da mesma forma que a Rússia, da Convenção sobre a Proibição de Armas Químicas”, disse Lavrov. Por isso, assim que teve a suspeita do uso de uma substância proibida, “teria que ter se dirigido imediatamente ao país de onde se suspeita que procede a substância”.

Enquanto isso, o Ministério das Relações Exteriores russo convocou nesta terça o embaixador do Reino Unido em Moscou. Nesta segunda-feira (12), o embaixador russo no Reino Unido também foi chamado ao Ministério das Relações Exteriores em Londres.

“Agente nervoso muito raro”

Serguei Skripal, de 66 anos, e a filha Yulia, de 33 anos, foram encontrados inconscientes no dia 4 de março, num banco de um centro comercial em Salisbury, no sul da Inglaterra.

Na quarta-feira seguinte, o chefe da polícia antiterrorista britânica, Mark Rowley, revelou que o ex-agente duplo russo e a filha tinham sido vítimas de um ataque deliberado com um agente que ataca o sistema nervoso.

Os dois permanecem hospitalizados na unidade de terapia intensiva, em “estado crítico, mas estável”. Um dos primeiros agentes da polícia a chegar ao local também está internado “em estado grave, mas estável”.

Skripal é um ex-coronel dos Serviços de Inteligência da Rússia que foi recrutado pelos serviços secretos britânicos em 1995. A troco de dinheiro, o agente forneceu ao Reino Unido a identidade de vários espiões russos que operavam na Europa, bem como outras informações militares russas, destaca a BBC.

Em 2006, Skripal foi condenado na Rússia, mas, posteriormente, foi alvo de uma troca de espiões levada a cabo entre as autoridades russas, norte-americanas e britânicas. Foi, nessa época que se mudou para a Inglaterra.

Ciberia, Lusa // EFE / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA:

Cientistas descobrem como a água flui do sangue em direção ao cérebro

https://vimeo.com/275035420 A água não chega ao cérebro da maneira que pensávamos. Até agora, acreditava-se que a osmose regulava a forma como a água penetra o cérebro, mas o transporte de água osmótica não é suficiente para …

Mistério do animal que parecia um lobo é desvendado

O mistério chegou ao fim. Os resultados de DNA revelaram que o animal abatido em maio não é um lobo híbrido nem um lobisomem. Um fazendeiro, no estado de Montana, nos Estados Unidos, disparou sobre um …

Vício em videogame agora é um transtorno mental

A Organização Mundial de Saúde reconheceu na segunda-feira (18) o vício em videogame como um transtorno de saúde mental. Os gamers dormem pouco, pulam refeições e faltam ao trabalho. Para os peritos de classificação de doenças …

Novo estudo explica o que matou Bobby Kennedy

Robert F. Kennedy, senador e procurador-geral dos EUA, foi mortalmente baleado há precisamente 50 anos. Desde então, teorias sobre sua morte têm se multiplicado, mas um novo estudo – baseado nos cuidados médicos que recebeu …

Portugal é pressionado por Marrocos, mas vence com gol de Cristiano Ronaldo

Se Portugal for longe na Copa do Mundo, o país deverá agradecer a Cristiano Ronaldo. Nesta quarta-feira (20), logo no início do jogo, aos 4 minutos, CR7 mostrou vontade de fazer história e marcou de …

Ministro do Esporte: assédio a mulher na Rússia envergonhou o Brasil

O ministro do Esporte, Leandro Cruz da Silva, condenou nesta quarta-feira (20) o comportamento do grupo de brasileiros registrados, em vídeo, assediando uma mulher durante as comemorações da Copa do Mundo, na Rússia. O repúdio do …

Notícias falsas podem colocar as eleições em risco

A produção e a divulgação de notícias falsas, as chamadas fake news, podem colocar em risco o processo democrático, a ponto de resultarem na anulação de algum pleito, caso tenham influenciado significativamente o resultado final. A …

Homens em vídeo polêmico com mulher russa podem responder por crime no país

Brasileiros que aparecem em vídeos machistas podem responder por crime ainda na Rússia, onde foram gravadas as imagens. A jurista russa Alyona Popova fez uma denúncia e escreveu uma petição contra os atos por violência …

Canadá é o segundo país do mundo a legalizar o uso recreativo da maconha

O Senado do Canadá aprovou na noite desta terça-feira (19) a legalização do uso recreativo da maconha em todo o território do país. O projeto foi aprovado por 52 votos favoráveis e 29 contrários. Com isso, …

Planta gigante assustadora causa queimaduras de terceiro grau

Se Hollywood quisesse fazer um filme sobre uma horrível invasão de plantas, a Heracleum mantegazzianum era uma ótima candidata ao papel principal. A planta, conhecida como “hogweed”, pode causar queimaduras de terceiro grau. A gigante hogweed, …