Milhares de brasileiros sem cadastro no sistema saúde de Portugal não conseguem se vacinar

Milhares de brasileiros que moram em Portugal e não têm cadastro no Sistema Nacional de Saúde (SNS) enfrentam dificuldades para ser vacinados contra COVID-19. Apesar de o governo português não revelar o número certo, sabe-se que cerca de 30 mil estrangeiros nesta situação aguardam a vacina.

Sputnik Brasil questionou os ministérios da Saúde e da Presidência a respeito de quantos dos 30 mil imigrantes são brasileiros. Após um jogo de empurra entre ambas as pastas, nenhuma das duas forneceu os dados.

O Ministério da Saúde informou apenas que, até o dia 5 de julho, Portugal vacinou cerca de 160 mil cidadãos de nacionalidade estrangeira, distribuídos por cerca de 200 países. Segundo a nota enviada à Sputnik Brasil, o Brasil é o país com mais cidadãos vacinados, num total de 65.434.

Esse número é apenas a metade dos 121 mil brasileiros com idades de 30 a 54 anos, que já estão aptos a ser vacinados desde junho. Contudo, essa quantidade inclui apenas aquelas pessoas regularizadas no SNS (equivalente ao SUS).

A gaúcha Maria Clarice Nunes, de 61 anos, tenta conseguir o número de utente provisório (paciente do SNS) há quatro meses, desde março, quando o governo criou uma plataforma para estender a imunização a imigrantes sem esse cadastro. O autoagendamento para faixas etárias acima de maiores de 60 anos começou em maio.

Desde então, seu filho, Vagner Nunes, começou uma saga, sem sucesso, para tentar vaciná-la. Depois de ter enviado, por diversas vezes, os dados da sua mãe solicitados na plataforma (nome, data de nascimento, nacionalidade, telefone e endereço) e sem receber nenhuma resposta por mais de dois meses, ele tentou contatos por telefone e e-mail, sempre com respostas imprecisas e desencontradas.

“Começou a vacinação, vi o presidente e o primeiro-ministro falarem que ninguém seria excluído por se tratar de uma situação humanitária. Logo que vi essa notícia, a primeira coisa que fiz foi entrar no site do SNS e cadastrá-la na opção para quem não tinha número de utente. Passou um mês e nada. Liguei para o SNS 24 horas, e disseram que eu tinha que mandar um e-mail para reportar a situação”, conta Nunes à Sputnik Brasil.

O primeiro e-mail enviado ao atendimento@sns24.gov.pt narrando as dificuldades foi no dia 31 de maio. Apenas no dia 21 de junho ele recebeu uma resposta padrão, sugerindo contatar o centro de saúde da área de residência ou o telefone do SNS 24. Dois dias depois, ele enviou outro e-mail, ainda não respondido.

“Praticamente fomos expulsos do centro de vacinação”

Ele tentou, então, levar sua mãe ao Complexo Desportivo de Almada, a menos de 10 quilômetros de Lisboa, sob a indicação do SNS 24 que na faixa etária dela não era preciso mais agendamento.

“Um funcionário que estava organizando a fila disse que sem número de utente não se vacinava, e que a informação estava errada. Praticamente fomos expulsos de lá”, lamenta.

Nunes apelou para as redes sociais e fez um post em uma comunidade de apoio a brasileiros no Facebook perguntando se alguém havia conseguido se vacinar sem o número de utente. Encontrou diversos casos similares ao da sua mãe, mas poucos que efetivamente haviam conseguido a imunização sem o cadastro no SNS.

Uma das pessoas disse que havia conseguido no centro de vacinação da Trafaria, próximo a uma estação fluvial onde se embarca para Lisboa. O gaúcho, que trabalha no setor comercial de uma escola portuguesa, levou sua mãe de carro ao local. Nova viagem perdida.

“Perguntei à enfermeira, mas ela disse que era mentira. Pedi a um amigo que mandasse a foto de um centro de vacinação em Alcabideche que estava vacinando pessoas sem número de utente e, quando mostrei, ficaram sem saber o que dizer. Saí de lá sem respostas”, reclama.

Nesta terça-feira (6), ele disse que tentou ligar novamente para o SNS 24, mas sete diferentes atendentes, das áreas de enfermagem e administração, não souberam fornecer informações.

“Já liguei e me estressei de novo. Fiquei à espera da sétima pessoa, em mais de 40 minutos e desisti, porque ninguém sabia responder”, reitera.

Sputnik Brasil enviou o caso de Maria Clarice Nunes ao Ministério da Saúde, mas, até o fechamento desta reportagem, a pasta não respondeu.

Em outro caso, denunciado pela jornalista Caroline Ribeiro em seu Twitter, uma idosa brasileira de 92 anos estava há tempos sem conseguir o número provisório de utente nem a vacinação. Após o post da ex-correspondente da Sputnik Brasil em Lisboa, um funcionário do gabinete do Ministério da Saúde entrou em contato, e a idosa conseguiu ser vacinada.

​Casa do Brasil de Lisboa recebe 10 queixas por dia

A Casa do Brasil de Lisboa recebe uma média de dez queixas por dia de brasileiros sem o número de utente que não conseguem marcar a vacinação. De acordo com Vitor Hastenreiter, funcionário da instituição, a quantidade de reclamações vem crescendo nas duas últimas semanas, por meio de ligações e e-mails.

“O número provisório de utente é uma reclamação constante. Não é uma questão de falta de informação, mas de falta de resposta. Há pessoas que enviaram [os dados] em fevereiro e até hoje não tiveram resposta sobre o número provisório. Se eu não tenho um número provisório, não consigo acessar o site do SNS para fazer o autoagendamento de acordo com a faixa etária”, explica Hastenreiter à Sputnik Brasil.

Longas filas para vacinação

A semana começou novamente com longas filas em alguns centros de vacinação, sobretudo naqueles em que adotaram a modalidade “casa aberta”, sem que seja necessário o agendamento. Na segunda-feira (5), isso aconteceu no Pavilhão Carlos Queiroz, no município de Oeiras, com milhares de pessoas formando uma fila que dava a volta ao centro esportivo.

O vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, coordenador do plano nacional de vacinação, esteve no local para acompanhar o movimento e disse à Agência Lusa que o problema já era esperado, mas que vai tentar melhorar o processo.

“Vim cá perceber o que se passava ‘in loco’ para ter a certeza e vou agora tomar as medidas que forem necessárias para tentar que isto não volte a acontecer, apesar de que nesta semana e na próxima a probabilidade de existirem filas seja elevada face ao ritmo de vacinação muito elevado que vamos ter”, explicou Gouveia e Melo, citado pela Lusa.

Na última semana, o autor desta reportagem enfrentou mais de uma hora de espera para receber a primeira dose da vacina no Pavilhão Municipal Manuel Castelbranco, no bairro da Graça, em Lisboa. A imunização estava marcada para as 11h59, mas ocorreu apenas depois das 13h00.

Apesar de a fila ao lado de fora ter andado razoavelmente rápido, foi longo o tempo de espera no interior do centro de vacinação. As pessoas eram acomodadas em fileiras de cadeiras, e uma máscara descartável era distribuída na entrada. Após a imunização, antes de ser liberado, era preciso ficar sentado mais meia hora na área de recobro a fim de ver se haveria alguma reação adversa.

Até o momento, 36,43% dos portugueses já estão completamente imunizados e 59,13% já receberam ao menos a primeira dose. A partir desta segunda-feira (5), pessoas com mais de 27 anos puderam começar a fazer o autoagendamento on-line.

Ciberia // Sputnik

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Sinais de possível 1º exoplaneta fora da Via Láctea são detectados

Pela primeira vez na história, é possível que os cientistas tenham descoberto um planeta em outra galáxia. O possível exoplaneta recebeu o nome de M51-ULS-1 e se encontra a 28 milhões de anos-luz de distância na …

China vai vacinar crianças a partir de três anos contra a covid-19

Imunizantes aprovados são das farmacêuticas chinesas Sinopharm e Sinovac, fabricante da Coronavac. País será um dos primeiros a começar a vacinar essa faixa etária. No total, China já vacinou 76% da população. Ao menos cinco províncias …

"Bolsonaro ignora todas as necessidades culturais dos brasileiros", diz Gilberto Gil à revista Télérama

A imprensa francesa desta segunda-feira (25) destaca o show de Gilberto Gil nesta noite na Filarmônica de Paris. O músico brasileiro conversou com o jornal Le Monde e com a revista Télérama. "Gilberto Gil", embaixador …

"Peças extraordinárias" achadas na Indonésia podem ser da lendária "ilha do Ouro"

Tesouros no valor de milhões de dólares encontrados nos últimos cinco anos ao longo do rio Musi podem ser do antigo império malaio Serivijaia, na ilha de Sumatra, que por 300 anos dominou as rotas …

Pandemia de Covid-19 vai acabar "quando o mundo decidir acabar com ela", diz diretor da OMS

A pandemia de Covid-19 vai acabar "quando o mundo decidir acabar com ela", disse neste domingo (24) o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus. O representante da ONU discursou na abertura …

Google está “criando Deus”, alerta ex executivo da Google

Segundo um ex-executivo do Google, a singularidade está chegando. E, segundo ele isso representa uma grande ameaça para a humanidade. Mo Gawdat, ex-diretor de negócios da organização moonshot do Google, que na época se chamava Google …

Pandemia causa a maior redução na expectativa de vida desde a Segunda Guerra

Desde a descoberta do coronavírus SARS-CoV-2, mais de 4,9 milhões de pessoas morreram oficialmente em consequência da infecção, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins. Nesse cenário, a pandemia da covid-19 reduziu a expectativa de vida …

Forças Armadas da Noruega assinam contrato bilionário de mísseis para caças F-35

Noruega tem sido um parceiro ativo no programa de caças dos EUA F-35, tendo em conta que 18 empresas deste país nórdico são parceiros diretos. Subsequentemente, a Noruega decidiu adquirir 52 caças F-35 para substituir …

Brasil fez lobby para mudar relatório climático, diz Greenpeace

Vários países, entre eles o Brasil, tentaram fazer mudanças em um crucial relatório da ONU sobre como combater o aquecimento global, afirmou o Greenpeace nesta quinta-feira (21/10), citando um grande vazamento de documentos. Os documentos aos …

Site da Coreia do Sul é usado para hospedar vírus e distribuí-lo via torrents

Uma campanha de distribuição de malwares na Coreia do Sul está disfarçando cavalos de troia de acesso remoto como um jogo para o público adulto, compartilhado via serviço de hospedagem de arquivos, como o WebHard, …