MIT lança jogo distópico que permite controlar uma pessoa real

MIT Media Lab / Twitter

Screenshot do trailer do jogo BeeMe criado pelo MIT

Durante o Halloween, o Massachusetts Institute of Technology (MIT) vai lançar um jogo online onde os usuários poderão controlar, durante duas horas, uma pessoa real, que terá como objetivo salvar a humanidade de uma inteligência artificial (IA) maligna.

O MIT já é conhecido por lançar, em outubro, algumas das experiências mais assustadoras – desde algoritmos que alteram fotografias a inteligências artificiais que aprendem a escrever as próprias histórias de terror.

Agora, para o Halloween de 2018, o MIT teve outra ideia em mente para continuar a assustar com seus projetos: o programa “BeeMe” – uma experiência social e online em massa.

O novo projeto do MIT é descrito como “um jogo social massivo e imersivo”, que tem como objetivo “lançar uma nova luz sobre o potencial humano na nova era digital”, e é semelhante como um episódio qualquer de Black Mirror.

“Na noite de Halloween, às 23h um ator desistirá do seu livre arbítrio e deixará os usuários controlarem todas as suas ações“, disse Niccolo Pescetelli, pós-doutorado em inteligência coletiva no MIT Media Lab.

“O evento segue a história de uma IA com más intenções com o nome de Zookd, que acidentalmente foi lançada online. Os usuários da internet teriam que se coordenar em escala e coletivamente para ajudar o ator e personagem da história a derrotar o Zookd. Se falharem, as consequências poderiam ser desastrosas”, acrescentou Niccolo Pescetelli.

Controle sobre o indivíduo

Sob o lema: “Veja o que vejo. Ouça o que eu ouço. Controle as minhas ações. Controle a minha vontade. Seja eu”, o jogo ainda não se tornou público. No entanto, Pescetelli, através das contas sociais do programa BeeMe já começou a promover e revelar alguns detalhes importantes.

A pessoa controlada será um ator contratado, ainda desconhecido, assim como sua localização no início da experiência.

É esperado que o jogo dure duas horas, mas Pescetelli acrescentou que “será  o público que decidirá por quanto tempo o jogo vai durar”. O BeeMe terá limites em relação aos comandos que o público pode gerar para influenciar as decisões do ator.

Os usuários poderão ver e ouvir tudo o que o ator experienciar, a partir do seu ponto de vista. Contudo, serão incapazes de fazê-lo executar qualquer comando que possa colocar em risco a sua dignidade, privacidade ou bem-estar.

“Qualquer coisa que viole a lei ou que coloque em perigo o ator, sua privacidade ou imagem é estritamente proibida“, afirmou Pescetelli acrescentando ainda que “qualquer outra coisa é permitida” e que todo o MIT está curioso com o que pode acontecer.

O controle sobre o ator será entregue ao público através de um navegador de internet por duas maneiras.

Uma das maneiras propostas é escrever e enviar comandos personalizados como “fazer café”, “abrir a porta”, “fugir” e assim por diante. A outra maneira é através de um sistema de votação up and down, onde o comando mais votado ficará no topo, dando ao ator a ordem escolhida.

A origem da palavra Bee (abelha) surgiu pela comparação com o fato de que os usuários terão que agir coletivamente como uma “colmeia” para progredir no jogo.

“Muitas pessoas já jogaram um jogo de realidade aumentada, mas o BeeMe é a realidade aumentada”, disse Pescetelli em comunicado à imprensa.

“Em BeeMe, um indivíduo abre mão do seu livre arbítrio para salvar a humanidade – ou talvez para saber se a humanidade pode ser salva de alguma forma. Esse indivíduo corajoso concordará em deixar a internet conduzir todas as suas ações”, acrescenta.

“O BeeMe redefinirá a maneira como entendemos as interações sociais online e na vida real”, diz a descrição da experiência. “Isso vai incentivar o crowdsourcing e a inteligência coletiva até o extremo para ver onde quebra.”

O evento será transmitido ao vivo no site do jogo BeeMe. “Em teoria, não há limite para o número de usuários que a plataforma pode suportar, mas só teremos a certeza durante o a experiência”, afirmou Pescetelli.

A criação do BeeMe

O projeto foi criado por um grupo de oito pessoas e custou menos de 10 mil dólares, tendo sido divulgado quase em sigilo através de posts no Twitter, alguns dos quais com citações de Marshall McLuhan, Charles Darwin, Carl Jung e Émile Durkheim que ajudaram a criar mistério em volta do programa.

O programa BeeMe reflete sobre algo que parece divertido na superfície, mas que pode revelar algumas verdades ocultas sobre nós mesmos e a nossa sociedade digital.

BeeMe é um jogo distópico que promete alterar a cara das interações digitais, quebrando a quarta parede da internet e trazendo-a de volta à realidade. BeeMe quer reabrir uma séria, ainda que em tom de brincadeira, conversa sobre privacidade, ética, entretenimento e interações sociais”, afirma o comunicado enviado à Business Insider.

“É uma experiência interessante que vai testar a multidão, mais do que a pessoa”, disse à BBC Bernie Hogan, pesquisador no Instituto da Internet de Oxford.

Para o cientista, “será realmente esquisito no início, até meio anárquico. Algumas pessoas ficarão entediadas, mas algumas vão ficar – os motivados permanecerão e os que sentem que suas escolhas nunca são representadas estarão de saída”.

Através do jogo disponível durante o Halloween, saberemos se a humanidade se consegue unir para se salvar ou se falhará a missão do jogo, envolvendo-se em uma dramática desordem sem fim.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …