Monsanto é acusada de fichar personalidades francesas que criticavam seus pesticidas

(cv)

O grupo norte-americano Monsanto teria reunido secretamente informações de centenas de políticos, jornalistas, cientistas e ativistas da França que criticavam suas atividades.

O documento trata algumas personalidades como “alvos prioritários” ou indivíduos “a serem vigiados”. Várias pessoas listadas decidiram apresentar queixa contra a empresa. A revelação foi feita em uma reportagem investigativa que foi ao ar na noite de quinta-feira (9) no canal público de televisão francês France 2.

A emissora informou ter recebido arquivos digitais “confidenciais” com a assinatura de agências de comunicação que trabalham para o grupo Monsanto, filial desde o ano passado da gigante química alemã Bayer.

Os nomes citados nas listas eram classificados em função de sua posição sobre os pesticidas produzidos pela Monsanto, especialmente o glifosato. Alguns arquivos usaram dados privados das personalidades “fichadas”.

O glifosato, o herbicida mais utilizado no mundo, é considerado um “provável cancerígeno” desde 2015 pelo Centro Internacional de Pesquisas sobre o Câncer, uma agência da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ele é comercializado sob diversas marcas, sendo a mais conhecida a Roundup da Monsanto, e é frequentemente alvo de críticas de personalidades do mundo todo.

Um dos documentos divulgados pela reportagem traz um logotipo da Monsanto e da gigante francesa da publicidade Publicis. A lista, que data de 2016, classifica os principais atores do debate sobre os pesticidas na França em função de seu grau de influência.

Uma segunda agência de comunicação, a Fleishman Hillard, teria utilizado em 2016 outro arquivo, que reúne especialmente os endereços particulares ou os números de telefone em uma “lista vermelha” de 200 personalidades.

Um terceiro arquivo mostrado pela reportagem apresenta uma tabela com nomes e aponta 74 objetivos prioritários, divididos em quatro grupos: os “aliados”, os “potenciais aliados para recrutar”, as personalidades “a educar” e aquelas “a vigiar”.

Ex-ministra francesa também era fichada

“É uma descoberta muito importante porque prova que há estratégias objetivas de demolição de vozes fortes”, declarou a ex-ministra francesa do Meio Ambiente Ségolène Royal. Ela fazia parte das personalidades fichadas e, em razão de sua oposição ao glifosato, era classificada como pessoa “a vigiar”.

Isso mostra os métodos dos lobistas. Eles espionam, se infiltram e influenciam, certamente até de forma financeira”, declara a ex-candidata à presidência.

Além de políticos e militantes, muitos jornalistas fazem parte das listas reveladas. “Isso é inaceitável”, declarou pelas redes sociais Sibyle Veil, presidente da Radio France, que pretende dar queixa contra a empresa.

O jornal francês Le Monde, que também teve um de seus repórteres catalogado, já lançou um processo contra a Monsanto, acusando a gigante americana de usar dados pessoais de forma ilícita.

“O problema dessa multinacional é que eles ‘ficham’ as pessoas sem nenhum limite legal. Isso levanta a questão das liberdades públicas”, denuncia o advogado do Le Monde, François Saint-Pierre.

Foodwatch e Générations Futures, duas ONGs que se opõem aos herbicidas, também vão dar queixa contra os métodos da Monsanto.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Por que iceberg do tamanho do Rio de Janeiro que se desprendeu da Antártida anima cientistas?

Um iceberg gigante de cerca de 1.270 km² (a cidade do Rio de Janeiro tem 1.255 km²) quebrou e se desprendeu da Antártida, gerando euforia na comunidade científica. Na sexta-feira (26/2), instrumentos na superfície da plataforma …

Coronavírus: Por que vacinação sem lockdown pode tornar Brasil 'fábrica' de variantes superpotentes

O cenário atual no Brasil, que combina início da vacinação com transmissão descontrolada da covid-19, pode tornar o país uma "fábrica" de variantes potencialmente capazes de escapar por completo da eficácia das vacinas. Esta é …

Esquema de venda de vacinas falsas da COVID-19 é descoberto pela Interpol

Na última quarta-feira (3), autoridades da África do Sul apreenderam centenas de vacinas falsas da COVID-19, esquema que já havia sido alertado pela Interpol devido às disputas pelo imunizante no mundo inteiro. No país africano, foram …

Egito descobre cemitério de 2 mil anos com 600 cães e gatos

Pesquisadores poloneses encontraram cerca de 600 restos mortais de animais em um cemitério de dois mil anos, no Egito. De acordo com os cientistas, os corpos encontrados na necrópole são de gatos (cerca de 90% deles), …

Nova superterra encontrada pode dar pistas sobre vida fora do Sistema Solar

Um novo exoplaneta detectado orbitando uma estrela relativamente perto do nosso Sistema Solar, pode potencialmente ajudar a resolver enigmas sobre vida alienígena. Um exoplaneta com uma massa 2,8 maior do que a da Terra designado Gliese …

China anuncia meta de crescimento econômico mais modesta na abertura do Congresso Nacional do Povo

A reunião anual do Congresso Nacional do Povo da China foi aberta nesta sexta-feira (5), em Pequim, com o tradicional discurso do primeiro-ministro do país, Li Keqiang. O líder anunciou um objetivo de crescimento …

Análogo de Buraco negro de laboratório se comporta como Stephen Hawking previu

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia Technion-Israel tentaram confirmar duas das previsões mais importantes de Hawking, que a radiação hawking surge do nada e que não muda de intensidade ao longo do tempo, o que significa …

SP concentra 40% dos feminicídios com 200 mortes, diz estudo do Observatório de Segurança

A Rede de Observatórios da Segurança publicou seu relatório de dados sobre a violência contra a mulher do ano de 2020. O boletim, que traz números de cinco estados (SP, RJ, PE, CE e BA), mostrou …

Em pior momento da pandemia, Bolsonaro critica 'mimimi' e diz que brasileiro tem que enfrentar vírus

Um dia após o registro de novo recorde diário de mortes pela covid-19 no país, o presidente Jair Bolsonaro deu uma série de declarações dando a entender que o choro pelas vítimas é "frescura" e …

89% dos norte-americanos veem a China como inimiga ou concorrente

A maioria dos norte-americanos não vê a China como parceira e expressa preocupações crescentes sobre o histórico de direitos humanos e as práticas econômicas de Pequim, revelou uma nova pesquisa do Pew Research Center nesta …