França reivindica morte de comandante jihadista ligado à Al-Qaeda no Mali

A França anunciou nesta sexta-feira (13) a morte de um comandante jihadista de primeiro escalão, vinculado à Al-Qaeda, no Mali. Bah Ag Moussa estava associado a vários ataques na região africana do Sahel nos últimos anos.

A ministra francesa da Defesa, Florence Parly, indicou, em um comunicado, uma operação com “importantes meios de inteligência e um dispositivo de interceptação integrado por helicópteros e tropas em terra” para chegar até Bah Ag Moussa. Ele é descrito como “comandante militar” do Grupo de Apoio ao Islã e aos Muçulmanos (GSIM), ligado à Al-Qaeda.

Segundo o comunicado, Bah Ag Moussa é considerado como o “responsável por vários ataques contra as forças do Mali e forças internacionais”, assim como dos “principais líderes militares jihadistas do Mali, encarregado sobretudo pela formação dos novos recrutas”.

De acordo com o porta-voz do Estado-Maior francês, o coronel Frédéric Barbry, os militares tentaram interceptar a caminhonete do jihadista, que estava acompanhado por outras quatro pessoas não identificadas, a 100 quilômetros de Menaka, no leste do Mali.

“Os ocupantes, que estavam fortemente armados, abriram fogo”, disse. O confronto durou 15 minutos e os cinco homens foram mortos, de acordo com o coronel.

Avanço para a segurança do Sahel

Em junho, o exército francês matou o líder histórico da Al-Qaeda no Magreb Islâmico (Aqmi), Abdelmalek Droukdal. Mas a morte deste homem, que permanecia afastado do campo de batalha, não mudou a situação de segurança na região do Sahel. A morte de Ag Moussa, conhecido como “Bamoussa”, um ex-oficial do exército do Mali, mas também membro fundador do grupo jihadista Ansar Dine, pode ser mais significativa.

De origem tuaregue, considerado um “terrorista” pela ONU e o governo dos Estados Unidos, Ag Moussa foi um dos protagonistas das rebeliões desta etnia dos anos 1990 e 2000. Ele seria responsável por importantes ataques contra as forças do Mali, incluindo atentados em julho de 2016 e março de 2019, que deixaram 20 mortos cada.

Segundo o think-tank Counter Extremist Project, desde 2017 Ag Moussa era o “dirigente operacional” do Grupo de Apoio ao Islã e aos Muçulmanos liderado pelo chefe tuaregue Iyad Ag Ghaly. O grupo se tornou uma das principais forças jihadistas no Sahel junto ao rival Grupo Estado Islâmico do Grande Sahara.

Em guerra aberta um contra o outro, ambos são o alvo prioritário da operação militar francesa Barkhane, realizada desde 2014 e que conta com mais de 5.000 soldados.

Líder da etnia tuaregue

Embora seja considerado como o responsável por violentos ataques contra as forças do Mali, Ag Moussa era popular entre os membros da comunidade tuaregue. “Ele era menos visto como um jihadista e considerado como um líder histórico da contestação tuaregue”, explica Ferdaous Bouhlel, pesquisadora associada à universidade de Tours, no centro oeste da França.

No início de 2020, o presidente do Mali, Ibrahim Boubakar Keita, disse que estava disposto ao diálogo com grupos jihadistas e enviar emissários para negociar com o chefe tuaregue Iyad Ag Ghaly e o pregador Amadou Koufa. No entanto, Keita foi deposto por uma junta militar em agosto.

Em uma visita em outubro à Bamako do chefe da diplomacia francesa, Jean-Yves Le Drian, o primeiro-ministro interino do Mali, Moctar Ouane, defendeu “a necessidade de um diálogo com os grupos armados. No entanto, o governo francês descarta a possibilidade.

Não podemos negociar com grupos jihadistas que não renunciaram ao combate terrorista”, afirmou recentemente a ministra francesa da Defesa, Florence Parly.

A morte de Ag Moussa confirma que a opção militar continua sendo privilegiada pela França, que recentemente anunciou operações contra o Grupo de Apoio ao Islã e aos Muçulmanos e o Grupo Estado Islâmico do Grande Sahara. Para especialistas nesta questão, ao insistir neste objetivo, o governo francês corre o risco de atrasar negociações de paz na região.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Mulher de 'El Chapo' Guzmán é presa nos EUA acusada por narcotráfico

Foi presa nesta segunda-feira (22/02) nos Estados Unidos Emma Coronel Aispuro, 31, mulher de Joaquín "El Chapo" Guzmán, ex-líder do cartel de drogas mexicano Sinaloa. Aispuro, que tem cidadania mexicana e americana, foi presa no aeroporto …

Gana é o primeiro país do mundo a receber vacinas do programa Covax, da OMS

Gana recebeu nesta quarta-feira o primeiro lote mundial de vacinas financiadas pelo programa Covax, que proporciona aos países de renda baixa e média as primeiras doses de fármacos antiCovid. Os imunizantes foram enviados de …

Variante da Califórnia parece ser mais contagiosa e resistente a vacinas, aponta estudo

Um novo estudo confirma que a mutação do SARS-CoV-2 na Califórnia, EUA, é mais contagiosa e mais resistente a vacinas, embora a escala de sua ameaça ainda não esteja clara. Uma variante descoberta pela primeira vez …

Cheirinho de carro novo? Estudo alerta para risco de câncer em odor favorito de muitos

Um estudo publicado por pesquisadores da Universidade da California Riverside mostrou que o cheiro de carro novo, tão amado por todo mundo que acaba de comprar o seu veículo, pode ser um risco para saúde. Mas …

STJ anula quebra do sigilo de Flávio Bolsonaro no caso das "rachadinhas"

Ministros apontaram falta de fundamentação do juiz de 1ª instância. Decisões da próxima semana determinarão chance de o processo contra o senador ir adiante ou voltar ao início. A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça …

Troca de comando na Petrobras: Bolsonaro repete interferência de Dilma na estatal?

As ações da Petrobras derreteram depois que o presidente Jair Bolsonaro decidiu mudar o comando da empresa. Na noite de sexta-feira (19/02), Bolsonaro anunciou o general da reserva Joaquim Silva e Luna para substituir o …

Uruguai, último país da América do Sul a receber vacinas, começa imunização em março

O presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, informou nesta segunda-feira (22) que as primeiras vacinas contra a Covid-19 chegarão nesta quinta-feira ao país, o único na América do Sul que ainda não possui doses …

Cada ponto brilhante neste novo mapa cósmico é um buraco negro supermassivo

A equipe internacional sinterizou um conjunto tão impressionante quanto inédito de sinais de rádio emitidos por buracos negros supermassivos. Se tivéssemos um telescópio capaz de mostrar quaisquer objetos do universo, independentemente de quão distantes eles estão, …

Desvendado enigma de inscrição na obra "O Grito" de Edvard Munch

Uma frase escrita sobre uma das obras de arte mais conhecidas do mundo foi, durante um século, motivo de conjeturas e controvérsias entre os especialistas de arte em todo o mundo. Uma análise com escâner infravermelho, …

Reino Unido anuncia relaxamento gradual do lockdown

Com avanço da vacinação e queda nas internações por covid-19 em meio às restrições rígidas, país se prepara para abandonar o confinamento. Plano prevê reabertura em quatro etapas e fim do lockdown em 21 de …