Na ONU, Brasil afirma que ajuste fiscal não suprimirá direitos sociais

(dr) PSDB-MG

A ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois

A ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois

A ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, assegurou nesta sexta-feira (5) nas Nações Unidas que o ajuste fiscal promovido pelo presidente Michel Temer não suprimirá os direitos e programas sociais, apesar das críticas da oposição, dos sindicatos e movimentos sociais a respeito.

O Brasil se submeteu hoje ao terceiro ciclo da Revisão Periódica Universal perante o Conselho de Direitos Humanos (CDH) da ONU sobre a situação dos direitos humanos no país.

“O Brasil tem que fazer sacrifícios no curto prazo, mas isso nos proporcionará mais crescimento robusto no futuro para embarcarmos em importantes políticas sociais”, declarou a ministra perante os países do CDH.

“Estamos efetuando sérias reformas com o fim de restaurar a credibilidade. Estamos investindo, o que criará empregos e estamos fazendo reformas sociais para que nosso Estado possa ser eficaz e gerar oportunidades a todos”, ressaltou Valois.

Estas reformas, segundo acrescentou, corresponderão às expectativas legítimas dos cidadãos e assegurarão que os direitos humanos sejam “plenamente protegidos”.

A ministra disse ainda que o governo Temer herdou uma crise, motivo pelo qual seu objetivo é recuperar o controle das finanças públicas, “mas ao mesmo tempo salvaguardar os programas sociais”.

Valois explicou que, se o desequilíbrio orçamental continuasse como antes, o país teria sofrido uma maior inflação, um crescimento baixo e um desemprego crônico, e tudo isso teria prejudicado a capacidade do Estado de financiar políticas sociais que beneficiam aos pobres e aos mais vulneráveis.

A ministra se referiu, sem mencioná-la diretamente, à emenda constitucional aprovada no final do ano passado que limita o aumento da despesa pública anual à taxa de inflação registrada no exercício anterior durante um prazo de duas décadas.

Segundo os críticos da medida, esse limite imporá severos cortes da despesa pública durante as próximas duas décadas em áreas nas quais o país requer de uma ingente presença do Estado, como saúde e educação.

“Não suprimiremos os direitos consagrados”, assegurou Valois, destacando que o governo espera construir no longo prazo um sistema de previdência sustentável para salvaguardar os direitos das gerações atuais e futuras, e tornar o mercado trabalhista e os setores produtivos “mais dinâmicos”, ao modernizar a legislação e fomentar assim o investimento e a criação de empregos.

Claramente, devido à greve e aos movimentos contrários às reformas do governo, grande parte da população não concorda com as declarações.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Inclinação de Saturno pode ser explicada pela migração de suas luas; entenda

Em um novo estudo, cientistas do French National Centre for Scientific Research (CNRS) e da Sorbonne University perceberam que a inclinação de Saturno pode ser causada pela influência da migração de suas luas — principalmente …

A verdade sobre as pessoas que "ouvem" os mortos: estudo

Cientistas identificaram os traços que podem tornar uma pessoa mais propensa a afirmar que ouve as vozes dos mortos. De acordo com novas pesquisas, uma predisposição a altos níveis de absorção em tarefas, experiências auditivas incomuns …

OMS diz não ter conhecimento de mortes relacionadas ao uso da vacina da Pfizer

A OMS não tem conhecimento de qualquer morte relacionada ao uso da vacina contra a COVID-19 produzida pelos laboratórios Pfizer e BioNTech, disse hoje (20) a diretora-geral adjunta da organização, a brasileira Mariângela Simão. "Temos uma …

QAnon ganha cada vez mais força na Alemanha

O ataque ao Capitólio nos EUA ilustrou o perigo que teorias da conspiração podem representar. Na Alemanha, o movimento tem cada vez mais adeptos – que se mantêm fiéis ao agora ex-presidente americano Donald Trump. A …

Coronavírus em Manaus: "Meu irmão morreu de covid em hospital particular, e a conta é de R$ 180 mil"

A tragédia familiar vivida pelo advogado Amaury Andreoletti ilustra o impacto emocional e também financeiro do colapso no sistema de saúde de Manaus (AM). Andreoletti, que chegou a ficar quatro dias internado e se recuperou, viu …

Biden reverte medidas de Trump e volta ao Acordo do Clima de Paris; entidades comemoram

Horas depois de assumir a Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, cumpriu a promessa de reverter uma série de medidas tomadas pelo antecessor, Donald Trump. No total, foram 17 decretos assinados …

Avião com vacinas contra covid-19 entra em rota de colisão com jato após curva errada

  Essa foi por pouco! Na manhã desta terça-feira (19), um avião monomotor com vacinas contra a covid-19 a bordo fez uma curva errada após a decolagem, e acabou entrando em rota de colisão com um …

Emaranhamento quântico é transmitido a drones separados por 1 km de distância

Fótons emaranhados foram transmitidos entre dois drones pairando a um quilômetro de distância um do outro, demonstrando tecnologia que poderia ser a base de uma internet quântica. Quando dois fótons são emaranhados quanticamente, você pode deduzir …

Joe Biden empossado 46.º Presidente dos EUA

Joe Biden tomou posse, esta quarta-feira, como Presidente dos Estados Unidos, e Kamala Harris foi empossada a primeira vice-presidente norte-americana. No seu discurso, Biden disse que "este é o dia da América, da democracia …

Covid-19: Brasil deve enfrentar pior fase da pandemia nas próximas semanas

Nos últimos dias, a pandemia no Brasil foi marcada por imagens de dor e de esperança. De um lado, a falta de oxigênio em Manaus mostrou a tragédia causada pela falta de coordenação contra a …