NASA lança telescópio para captar partículas da borda do Sistema Solar

James Josephides/Christina Williams/Ivo Labbe

Todo o Sistema Solar está à deriva em um aglomerado de nuvens, uma área limpa por antigas explosões de supernovas. Os astrônomos chamam essa região de Bolha Local.

Uma nova missão da agência espacial norte-americana NASA vai estudar a luz de partículas interestelares que entraram em nosso Sistema Solar para aprender sobre os pontos mais próximos do espaço interestelar. A missão, chamada SHIELDS (Escudos), terá sua primeira oportunidade de lançamento a bordo de um foguete suborbital a partir de Novo México, EUA, em 19 de abril de 2021.

SHIELDS é um telescópio que será lançado a bordo de um foguete e medirá a luz de uma população especial de átomos de hidrogênio originalmente do espaço interestelar.

“Há muita incerteza sobre a estrutura fina do meio interestelar, nossos mapas são meio toscos […]. Conhecemos os contornos gerais dessas nuvens, mas não sabemos o que está acontecendo dentro delas”, afirma em comunicado Walt Harris, físico espacial responsável pela missão SHILEDS.

Bolha Local

Todo o nosso Sistema Solar está à deriva em um aglomerado de nuvens, uma área limpa por antigas explosões de supernovas. Os astrônomos chamam essa região de Bolha Local, que teria pelo menos 300 anos-luz de diâmetro e contém centenas de estrelas, incluindo nosso próprio Sol.

Poucos minutos após o lançamento, o SHIELDS atingirá sua altitude máxima de cerca de 300 quilômetros do solo, muito acima do efeito de absorção da atmosfera da Terra. Apontando para o nariz da heliosfera, a região periférica do Sol, o telescópio vai detectar a chegada da luz de átomos de hidrogênio.

Medir como o comprimento de onda da luz se estende ou se contrai vai revelar a velocidade das partículas. Dessa forma, o SHIELDS produzirá um mapa para reconstruir a forma e a densidade variável da matéria na heliopausa, a fronteira mais externa do nosso Sistema Solar.

Os dados, espera Harris, ajudarão a responder a perguntas tentadoras sobre como é o espaço interestelar e o campo magnético da galáxia. Finalmente, aprender como é nosso papel no espaço interestelar pode ser um guia útil para o futuro, afirma a NASA. Nosso Sistema Solar está apenas passando pelo nosso atual pedaço de espaço. Em cerca de 50.000 anos, estaremos saindo da Bolha Local e indo em direção ao desconhecido

“Não sabemos realmente como é essa outra nuvem e não sabemos o que acontece quando você cruza uma fronteira para dentro dessa nuvem […]. Há muito interesse em entender o que provavelmente iremos experimentar enquanto nosso Sistema Solar faz essa transição”, comenta Harris.

Essa transição, todavia, não é novidade para o nosso Sistema Solar. Nos últimos quatro bilhões de anos, explica Harris, a Terra passou por uma variedade de ambientes interestelares. Acontece que agora estamos por perto, com as ferramentas científicas para documentar a transição.

“Estamos apenas tentando entender nosso lugar na galáxia e para onde vamos no futuro”, conclui o físico espacial.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …