NASA planeja lançar telescópio para detectar asteroides que ameaçam a Terra

A NASA está se preparando para lançar, em meados da próxima década, um telescópio infravermelho capaz de detectar asteroides em rota de colisão com a Terra.

O projeto custará algo entre US$ 500 milhões e US$ 600 milhões, e tem como base um plano proposto pela primeira vez pelo Jet Propulsion Lab há quase 15 anos. A iniciativa também vai atender a um requisito do Congresso dos EUA de que a NASA detecte 90% dos asteroides e cometas potencialmente perigosos até 2020.

Embora o projeto, que recebe o nome de “Near-Earth Object Surveillance Mission”, não seja capaz de cumprir o prazo do Congresso, a National Academies of Sciences, Engineering and Medicine de Washington, D.C, afirmou que se tornará realidade.

Ele será uma combinação entre o Large Synoptic Survey Telescope (uma instalação terrestre que está sendo construída no Chile), e o telescópio infravermelho, apelidado de NEOCam. Ele será essencial para encontrar os corpos celestes ameaçadores que são escuros, indetectáveis na luz visível.

Para Jay Melosh, cientista planetário da Purdue University e autor do relatório, é de vital importância a capacidade de detectar esses asteroides discretos. “Existem muitos asteroides realmente escuros por aí”, disse. “Isso nos leva à necessidade do sistema de infravermelho”.

A construção desse telescópio, no entanto, pode exigir um aumento no orçamento anual de US$ 150 milhões da NASA para defesa planetária. A maior parte desse dinheiro é destinada atualmente à missão DART (Double Asteroid Redirection Test), que será lançada dentro de alguns anos para testar se é possível desviar a rota de um asteroide por meio de um grande impacto.

Ainda não está claro se o Congresso vai aprovar um novo orçamento para o NEOCam. Além disso, nem todo mundo apoia esse plano. Nathan Myhrvold, um tecnólogo bilionário e ex-diretor de tecnologia da Microsoft, criticou as estatísticas usadas pela equipe do projeto para estimar os diâmetros dos asteroides a partir de observações do telescópio anterior, o WISE.

A determinação do Congresso para a qual o NEOCam foi projetado para resolver também parece cada vez mais irrelevante. É que os pesquisadores agora julgam que asteroides com menos de 140 metros de diâmetro também representam ameaças à Terra por poderem gerar tsunamis, por exemplo.

Entretanto, apesar dos contratempos, a NASA decidiu se dedicar ao NEOCam, principalmente após um episódio embaraçoso no início deste mês: a agência espacial e os telescópios terrestres não conseguiram identificar, até o último minuto, um asteroide do tamanho de um campo de futebol em movimento lento, chamado 2019 OK, passando a apenas 65.000 quilômetros da Terra.

Se o NEOCam seria capaz de detectá-lo, e se a NASA deveria ou não colocar o telescópio no seu portfólio de financiamento científico, é algo que ainda está em debate.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …