Netanyahu fracassa em formar governo, e Israel terá novas eleições

US Department of State / Wikimedia

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu

Os legisladores de Israel aprovaram nesta quarta-feira (29/05) a dissolução do Parlamento depois de o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, ter fracassado em formar um governo de coalizão. Com isso, o país terá de voltar às urnas menos de seis meses após o último pleito.

A medida foi aprovada pelo recém-eleito Knesset (Parlamento israelense) – composto por 120 assentos – com 74 votos a favor, 45 contrários e uma abstenção.

O novo pleito foi marcado para o próximo dia 17 de setembro, criando uma situação sem precedentes no país: a realização de uma segunda eleição geral em um mesmo ano e a dissolução do Parlamento apenas um mês depois de ter tomado posse. Netanyahu e seu partido, o Likud, tinham até meia-noite desta quarta-feira para formar um governo, após seis semanas de difíceis negociações com potenciais parceiros de coalizão.

Culpando Avigdor Liberman, líder do partido ultranacionalista Yisrael Beiteinu, pelo colapso das negociações, o premiê afirmou a repórteres: “Há poucas semanas o povo israelense decidiu que eu seria primeiro-ministro e o Likud lideraria um governo de direita. Liberman enganou seus eleitores. Com todas as demandas atendidas, ele inventava uma nova.” Netanyahu também acusou o direitista de ter “mudado para a esquerda”. “[Liberman] não faz mais parte do bloco de direita”, afirmou o chefe de governo israelense.

O principal obstáculo para a formação de governo foi uma disputa sobre um projeto de lei para aumentar o recrutamento ao serviço militar obrigatório entre os judeus ultraortodoxos – a mesma questão que levou à dissolução do governo em dezembro do ano passado e à convocação de eleições antecipadas, que acabaram sendo realizadas em abril.

Netanyahu não foi capaz de alcançar um compromisso entre o partido direitista de Liberman e legendas ultraortodoxas sobre o assunto.

Muitos estudantes seminaristas ultraortodoxos escapam de servir no Exército israelense, o que é obrigatório, já que eles têm permissão para adiar o serviço repetidas vezes. Liberman impôs como condição para se juntar ao governo a aprovação de uma lei de recrutamento obrigatório. Os partidos ultraortodoxos se opuseram veementemente à proposta de legislação.

A sigla Yisrael Beiteinu, de Liberman, tem cinco assentos no Parlamento. As legendas Shas e Judaísmo Unido da Torá, ambos de judeus ultraortodoxos, possuem juntas 16 cadeiras. Com 39 assentos, o Likud precisava dos três partidos para alcançar uma maioria de 61 parlamentares.

Netanyahu tentou até o último minuto costurar um acordo entre as partes em conflito. Ele chegou a se voltar ao Partido Trabalhista, convidando-o a entrar para a coalizão e somar o número necessário de cadeiras, mas a legenda de esquerda recusou.

Normalmente, quando um líder designado para formar um governo de coalizão fracassa em fazê-lo antes do prazo final, o presidente do país transfere a tarefa para outro membro do Parlamento – que, no caso, provavelmente seria o principal adversário de Netanyahu, o centrista Benny Gantz.

Em vez disso, no entanto, um parlamentar do partido do primeiro-ministro propôs que o Knesset votasse sobre a dissolução da Casa recém-eleita, visando evitar que o poder saísse das mãos do Likud e prevendo que Netanyahu possa sair mais uma vez vitorioso em novas eleições. O Ministério das Finanças do país estima que a realização de um novo pleito custe o equivalente a 130 milhões de dólares (cerca de 517 milhões de reais).

Ocupando o cargo de primeiro-ministro desde 2009, Netanyahu se tornará em julho o premiê mais longevo de Israel, superando o primeiro chefe de governo do país, David Ben-Gurion.

A vitória nas eleições de abril deu sobrevida ao líder israelense, envolto em uma série de denúncias de corrupção. O pleito era considerado o maior desafio já enfrentado por ele desde que assumiu o poder, enquanto a Procuradoria-Geral do país avalia uma série de acusações de fraude, recebimento de propina e quebra de confiança envolvendo seu nome.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Presidente russo Vladimir Putin anuncia registro de 1ª vacina contra COVID-19

Nesta terça-feira (11), o presidente Vladimir Putin anunciou o registro da primeira vacina russa contra a COVID-19. "Tanto quanto sei, nesta manhã foi registrada, pela primeira vez no mundo, uma vacina contra a COVID-19", disse o …

O planeta anão Ceres é um Oceano, afirmam cientistas

O planeta anão Ceres — há muito considerado uma estéril rocha espacial — é um mundo oceânico com reservatórios de água marinha sob sua superfície, descobriu uma grande missão de exploração que divulgou seus resultados …

Líder da oposição de Belarus deixa o país

Ministro da Lituânia afirma que Svetlana Tikhanovskaya "está em segurança” no país vizinho. Regime de Alexander Lukansheko, no poder desde 1994, vem reprimindo protestos que acusam governo de fraudar eleições. O ministro das Relações Exteriores da …

Jovem negro é morto no dia do aniversário por PM que achou que ele fosse atirar

Nesse domingo (9), Rogério Ferreira da Silva Júnior comemorava o seu aniversário de 19 anos dando um rolê de moto. Enquanto passava pela Avenida dos Pedrosos, na Zona Sul de São Paulo, foi perseguido por …

Bill Gates opina sobre compra do TikTok pela Microsoft: “cálice envenenado”

Embora esteja afastado desde março do conselho de diretores da Microsoft, Bill Gates, cofundador e atual consultor de tecnologia da companhia, não deixa de estar atento às recentes notícias de que a gigante de Redmond …

Plataforma de gelo no Canadá quebra e cria iceberg pouco menor que Vitória, do Espírito Santo

Após um aquecimento de cerca de 9 ºC nas últimas décadas, a Milne, considerada "a última plataforma de gelo completa" no mundo, perdeu uma grande parte, formando um iceberg. Uma das maiores plataformas de gelo no …

Cientistas propõe adicionar drogas psicoativas na água potável

Pesquisadores do Reino Unido propuseram uma idéia radical para reduzir a taxa de suicídios: incluir o medicamento psicoativo lítio — um estabilizador de humor — na água potável da população. Parece uma idéia completamente radical, mas …

Magnata da mídia é preso em Hong Kong

Jimmy Lai, crítico do regime de Pequim e proprietário de jornal pró-democracia, foi detido com base em nova lei de segurança nacional imposta pela China. O empresário Jimmy Lai, uma das figuras mais influentes do movimento …

Twitter entra na briga pela compra do TikTok e pode fundir redes sociais

O banimento do TikTok nos Estados Unidos virou uma verdadeira novela mexicana. O aplicativo chinês, que tem até 45 dias para encontrar uma companhia americana para assumir suas operações no país e não ser bloqueado …

Motoboy é vítima de racismo de homem branco: "Você tem inveja disso aqui [minha cor]"

A manhã de sexta-feira (7) começou com mais um caso de racismo no Brasil. Um vídeo que viralizou no Twitter registra um homem branco fazendo injúrias raciais contra um entregador de delivery. As fortes imagens são …