Israel: presidente pede a Benny Gantz para formar novo governo

O presidente de Israel Reuven Rivlin solicitou na noite desta quarta-feira ao ex-chefe comandante do Exército Benny Gantz para tentar formar um novo governo e superar o mais longo impasse político da história do país.

O pedido acontece após o fracasso do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu em costurar uma coligação que garantisse a sua permanência no poder.

O presidente Reuven Rivlin fez o anúncio em um pronunciamento ao vivo na mídia. Ele afirmou que os partidos israelenses devem fazer concessões para aceitar alianças e superar a crise. Benny Gantz, do partido Azul e Branco de centro esquerda, prometeu “formar um governo de união liberal”. “Liberal” significa dizer sem a influência de partidos religiosos, aliados de Benjamin Netanyahu.

Como Netanyahu, ele terá 28 dias para costurar uma coalizão, mas pode enfrentar as mesmas dificuldades que seu adversário. Benny Gantz venceu as eleições de 17 de setembro, mas não tem maioria no Parlamento. Seus aliados da esquerda e o apoio de alguns parlamentares árabes israelenses não lhe são suficientes para garantir os 61 parlamentares necessários para formar um governo viável.

Os negociadores do partido Azul e Branco e do Likud, do premiê conservador Netanyahu, devem se encontrar nesta quinta-feira (24) para buscar um acordo. Um governo de união parece ser uma das únicas soluções para impedir que Israel volte às urnas pela terceira vez em 2019. O país está mergulhado num impasse político desde as primeiras eleições legislativas de abril.

Evitar novas eleições

O presidente israelense prometeu na noite desta quarta-feira que fará tudo para evitar novas eleições. Se Benny Gantz fracassar em um mês, ele poderá pedir à maioria dos deputados a indicação de um candidato. Mas analistas acreditam que uma nova votação seria quase inevitável.

Netanyahu anunciou na segunda-feira que desistia de tentar formar uma nova coalizão. Político veterano, primeiro-ministro por treze anos – incluindo dez sem interrupção – Benjamin Netanyahu acusou seu rival, um novato na política, de ter atrapalhado seus esforços para montar um governo de união nacional. Ele tentava permanecer no poder, apesar de um possível indiciamento por corrupção

Durante as negociações nas últimas semanas, o Likud, partido de direita de Netanyahu, tentou fazer com que os centristas aceitassem um compromisso, elaborado pelo presidente Rivlin, segundo o qual Netanyahu e Gantz se revezariam na posição de chefe de governo.

O líder do Azul e Branco não aceitou a proposta, por considerar que seu partido, que conquistou 33 cadeiras contra 32 para o Likud, deveria ser o primeiro a tentar liderar o governo. Durante a campanha, ele garantiu que não governaria com Netanyahu, visado pela justiça.

Por enquanto, os dois blocos, de direita com 55 deputados e o Azul e Branco com 54, estão irredutíveis. Netanyahu complicou as negociações dizendo que continuaria governando com os partidos religiosos, seus aliados mais leais, uma proposta impossível para os centristas que respaldam Benny Gantz.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Vacina contra covid-19: a estratégia do país que decidiu vacinar os jovens antes dos idosos

A Indonésia lançou um programa de vacinação em massa gratuito contra a covid-19 em uma tentativa de impedir a propagação do vírus e fazer sua economia voltar a se aquecer. Mas o país está adotando uma …

Com popularidade a mil, Signal vai contratar mais pessoas e otimizar recursos

Recentemente, o Canaltech noticiou que um simples tweet publicado pelo empresário Elon Musk fez com que o Signal, um mensageiro instantâneo conhecido por respeitar a privacidade de seus usuários e ser 100% em código aberto, …

Palácio mais antigo da China de 5.300 anos é descoberto perto de antiga capital

Palácio descoberto no sítio arqueológico de Shuanghuaishu, nos arredores da cidade de Zhengzhou, uma das oito capitais antigas, foi construído por volta de 3300 a.C., ou seja, tem cerca de 5.300 anos, sendo possivelmente a …

Bolsonaro colocou vida de brasileiros em risco, diz Human Rights Watch

O novo relatório mundial da ONG Human Rights Watch (HRW) de 2021 acusa o presidente Jair Bolsonaro de tentar sabotar os esforços para retardar a disseminação da Covid-19 no Brasil e investir em políticas …

Novo navio insígnia da Rússia é considerado 'maior ameaça' pelo Ocidente

Com novos mísseis, modernos equipamentos a bordo e uma capacidade de combate única, o cruzador nuclear pesado do projeto 1144 Orlan, Admiral Nakhimov, deverá assumir o posto de navio insígnia da Marinha russa em 2022. O …

Biden anuncia pacote de estímulo de quase US$ 2 trilhões

Para revitalizar a maior economia do mundo em meio à pandemia, "Plano de resgate americano" apresentado pelo presidente eleito inclui auxílio a desempregados e escolas e investimento na vacinação. O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe …

Coronavírus: Reino Unido proíbe entrada de viajantes vindos da América do Sul e de Portugal por variante encontrada no Brasil

Chegadas ao Reino Unido da América do Sul e Portugal serão proibidas a partir de sexta-feira (15/01) devido a preocupações com a variante brasileira do coronavírus. O secretário de transportes, Grant Shapps, disse que a mudança …

Vacinação nacional contra a COVID-19 começa no dia 20, às 10h

Ao que tudo indica o Brasil já tem uma data oficial para o início da vacinação, em massa, contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2). Nesta quinta-feira (14), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou que a …

"Futuro assustador de extinção em massa" nos espera, elite dos cientistas alerta

O planeta enfrenta um “futuro assustador de extinção em massa, declínio da saúde e distúrbios climáticos” que ameaçam a sobrevivência humana por causa da ignorância e da inação, de acordo com um grupo internacional de …

Oferta de perfuração do Ártico tem fracasso histórico por falta de interessados

O recente leilão que oferecia arrendamentos de perfuração de petróleo no Ártico foi um fracasso. Esperava-se que a chamada atraísse muitos interessados em explorar a área no Alasca, mas a realidade foi outra. A notícia é …