Netflix anuncia nova série original brasileira

(dv) Netflix

-

A Netflix anunciou nesta terça-feira, em São Paulo, o lançamento ainda neste ano da série “Samantha”, uma comédia original que será produzida no Brasil.

O anúncio foi realizado pelo CEO e cofundador da Netflix, Reed Hastings, que destacou a importância do Brasil nos planos estratégicos da empresa em uma conferência sobre tecnologia.

No entanto, poucas informações foram dadas sobre a comédia, que contará a história de uma atriz, estrela dos anos 1980, casada com um jogador de futebol que ficou preso durante dez anos.

“Samantha” será realizada pela produtora brasileira Los Bragas e tem estreia prevista para esse ano, apesar do elenco e da direção da série ainda não terem sido anunciados.

A comédia será o terceiro projeto da Netflix no Brasil, depois da internacionalmente elogiada “3%”, que já garantiu sua segunda temporada, e de uma série dirigida por José Padilha, ainda em fase de produção, baseada na Operação Lava Jato.

Apesar de não divulgar números por país, Hastings destacou que o Brasil, onde o serviço de streaming estreou em 2011, é considerado um “sólido foguete” para a companhia, por seu consistente e robusto crescimento. Atualmente, a Netflix tem 93 milhões de assinantes no mundo, 40 milhões fora dos Estados Unidos.

“Há cinco anos decidimos que nosso primeiro mercado de expansão internacional seria a América Latina e o Brasil, e valeu a pena”, disse Hastings.

Na conferência, Hastings traçou uma linha do tempo da evolução dos meios de entretenimento, desde a criação dos primeiros aparelhos de reprodução musical, passando pelo rádio e televisão, até chegar à internet, que deu ao consumidor a mobilidade que, para ele, é a principal razão do sucesso da Netflix, junto com a redução de custos para a produção de conteúdo audiovisual.

Para Hastings, a possibilidade de assistir a um programa ‘on demand’, na hora e como o consumidor quiser, ou seja, pelo computador, celular ou tablet, se compara à revolução que a telefonia celular representou.

“Daqui a 20 anos alguém vai perguntar o que significa um programa ir ao ar às 8h da noite”, comparou.

Perguntado sobre a possibilidade de ser aprovada a limitação do consumo de dados no Brasil – projeto que tramita com o lobby das empresas de telefonia que atuam no país – Hastings foi otimista.

“A tendência ao redor do mundo é fornecer mais e mais dados. Consumidores têm se unido para lutar contra qualquer tipo de limitação”, afirmou o CEO.

A Netflix foi uma das quase 100 empresas americanas de tecnologia que assinaram uma ação legal contra a restrição de viagens aos EUA de cidadãos de sete países de maioria muçulmana.

Para Hastings, o combate à proibição decretada há 10 dias pelo presidente americano Donald Trump é uma questão profissional, já que as empresas de tecnologia do Vale do Silício, na Califórnia, onde fica a sede da Netflix, empregam muitos estrangeiros, e também uma questão moral, por discordar da discriminação baseada em nacionalidade ou religião.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Colin Powell, ex-secretário de Estado dos EUA, morre aos 84 anos

Primeiro negro a ocupar topo da diplomacia e da máquina militar americana, ex-general teve papel de destaque na Guerra do Golfo e arranhou sua credibilidade ao apoiar a invasão do Iraque uma década depois. Colin Powell, …

Criminosos usam escaneamento por código do próprio usuário para 'sequestrar' contas do WhatsApp

Em 2019, um relatório divulgado pelo laboratório de pesquisa da empresa de segurança virtual Eset alertou que uma das formas crescentes de sequestro de contas do WhatsApp era feita por meio de um ataque conhecido …

EUA: Manobras de Trump bloqueiam investigação sobre invasão do Capitólio

Vários parceiros e associados do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusaram a comparecer à comissão da Câmara que investiga a invasão de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, sede do …

Dor nos olhos após COVID-19: cientistas explicam causa de complicação inesperada do vírus

Uma pesquisa de cientistas alemães mostrou que o coronavírus pode penetrar nos olhos e infectar os fotorreceptores e células ganglionares na retina. Isso pode ser uma causa de problemas com os olhos após a COVID-19. Os …

Estudo mostra como mudanças climáticas afetarão a energia hidrelétrica no Brasil

Um novo relatório publicado pela Global Environmental Change revela que, nas próximas décadas, as reduções de precipitação e vazão dos rios na região amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo e uma forte candidata …

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …

Explosões deixam vários mortos em mesquita no Afeganistão

Ao menos 33 pessoas morrem após explosões em mesquita xiita durante a oração de sexta-feira. Testemunha diz ter visto homens-bomba. Incidente ocorre dias depois de ataque do "Estado Islâmico" contra xiitas no país. Fortes explosões atingiram …