Odebrecht pagou propina de R$ 23,3 milhões a Serra, diz perícia

José Cruz / ABr

José Serra

A empreiteira Odebrecht teria pagado R$ 23,3 milhões ao então governador, hoje senador, José Serra (PSDB), em 2009. O dinheiro seria utilizado na campanha presidencial de 2010, quando foi derrotado por Dilma Rousseff, e teria feito parte de um acordo para que a empresa recebesse uma indenização da Dersa.

Por meio do acordo, a Odebrecht teria recebido da estatal paulista R$ 191 milhões, nos valores atualizados de hoje, o equivalente a R$ 463,8 milhões. A Dersa só teria aceitado fazer o pagamento após o acerto da propina para o então governador José Serra.

Segundo reportagem de Mario César Carvalho, do jornal Folha de S. Paulo, um perito foi contratado pela estatal para analisar o caso e o acordo com o braço de rodovias da Odebrecht, a CBPO.

Em 2001, a CBPO entrou com uma ação contra a Dersa, pedindo o pagamento de correções monetárias nos pagamentos atrasados e dizendo que havia sido aplicado redutor de preço errado após o Plano Real. A empresa tinha sido contratada para a duplicação da rodovia Dom Pedro 1º e a construção da Carvalho Pinto, em 1988 e 1990.

Em 2003, a empresa perdeu a ação em primeira instância. Três anos depois, a CBPO recorre ao Tribunal de Justiça e o órgão decide que a empresa tem razão em parte: a Dersa deveria ter corrigido os valores em atraso. Débito é calculado em R$ 532.357,54.

Para a perícia, a Dersa é quem deveria ter recebido este valor. Em 2008, a estatal recorreu ao STJ, mas perdeu. Em 2009, acontece o acordo e a Dersa aceita pagar R$ 191,6 milhões (R$ 463,8 milhões).

Para a Procuradoria-Geral do Estado, órgão encarregado de defender os interesses do governo, há indícios de fraude no acordo, já que os valores pagos não correspondem aos da decisão judicial.

Ciberia // Revista Fórum

COMPARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Agora o Brasil precisa abolir as forças armadas que consomem bilhões por ano e não fazem nada.

    Ficam dentro dos quartéis engordando que nem porco na seva, enquanto nas fronteiras o contrabando de armas e de drogas corre solto.

    Não precisava mandar o exercito passar vergonha no Rio de Janeiro, onde os bandidos os colocaram no bolso.

    Para acabar com a criminalidade bastaria vigiar os 15.000 quilômetros de fronteiras do Brasil, pondo um soldado raso a cada 500 metros e pronto, estaria tudo resolvido, sem armas e nem drogas os bandidos não sobrevivem e fronteira é questão se segurança nacional.

    Então é melhor investir o dinheiro gasto com o exercito na saúde e na educação.

  2. Pelo fim do auxilio moradia e auxilio educação para juízes, promotores, procuradores e desembargadores.

    Pelo fim dos apartamentos funcionários aos políticos, pela diminuição do numero de senadores, deputados e vereadores e pela diminuição dos seus salários e auxílios absurdos.

    Chega!

    O povo não aguenta mais ser escravo deste Estado arcaico, caro, inoperante, ineficiente e muito corrupto!

    Não sobra dinheiro para mais nada, nem no bolso do povo e nem no caixa do governo para retribuir em serviços ao povo.

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Embaixadores da Rússia e dos EUA "regressam ao trabalho", diz Putin após cúpula com Biden

A Rússia e os EUA acordaram o regresso de seus embaixadores, informou Vladimir Putin. Vladimir Putin, presidente da Rússia, disse, após conversas com seu homólogo americano Joe Biden, que os embaixadores russo e norte-americano voltam …

Cientistas desvendam segredos genéticos dos menores mamíferos mergulhadores do mundo

Biólogos descobriram os segredos genéticos dos menores mamíferos mergulhadores do mundo: os musaranhos aquáticos. Usando amostras de DNA para construir uma árvore evolutiva, cientistas revelaram em um estudo recente que o comportamento destes mamíferos comedores de …

Pandemia, tufões e inundações agravaram crise alimentar na Coreia do Norte

O líder norte-coreano Kim Jong-Un admitiu que o país enfrenta uma "situação alimentar crítica", informou a mídia estatal nesta quarta-feira (16). A Coreia do Norte, cuja economia sofre com os reflexos de várias sanções …

Israel ataca Faixa de Gaza em resposta a balões incendiários

Bombardeios israelenses miram alvos do Hamas, testando cessar-fogo acertado em maio após 11 dias de conflito com militantes palestinos. Marcha de nacionalistas judeus em Jerusalém elevou tensão. Israel bombardeou alvos do Hamas na Faixa de Gaza …

Volkswagen volta a paralisar produção no Brasil por falta de semicondutores

A escassez de semicondutores volta a assombrar as montadoras brasileiras e os efeitos colaterais começam a aparecer novamente. A Volkswagen, pela segunda vez em 2021, vai paralisar a fabricação de automóveis no Brasil, mas, desta vez, …

Bolsonaro sobre passaporte de vacinação: "Se for aprovado, eu veto"

Presidente não apoia a criação de um passaporte para saber quem foi vacinado ou teve teste negativo para COVID-19, pois assim, as pessoas teriam que ser vacinadas e isso "não tem cabimento", segundo Bolsonaro. Nesta terça-feira …

O que é a etanolamina, molécula chave para decifrar origem da vida encontrada no espaço

Como a vida se originou na Terra? Ninguém sabe, mas entender os elementos que tornaram isso possível pode nos dar pistas valiosas para responder a essa pergunta. Em um estudo recente, um grupo de pesquisadores espanhóis …

Os cinco pontos de atrito entre EUA e UE no encontro entre Biden e líderes europeus

Depois do G7 e da Otan, Joe Biden se encontra com líderes da União Europeia em Bruxelas nesta terça-feira (15) para relançar uma parceria prejudicada pelos anos Trump. Depois da crise de relacionamento com …

Após ignorar Pfizer, Bolsonaro pede antecipação de doses

Segundo participantes de reunião, farmacêutica disse que vai se esforçar para adiantar entrega de doses de sua vacina. Empresa fez primeira oferta ao Brasil em agosto, mas contrato só foi fechado em março. O presidente Jair …

Covid: 3 critérios para mundo voltar a abrir portas para turistas do Brasil

Com o avanço da vacinação contra a covid pelo mundo, países começam a abrir as fronteiras para turistas imunizados, sem necessidade de quarentena. Mas o Brasil tem ficado de fora da nova flexibilização. A União …