Governo prevê até um ano para obras do Museu Nacional serem iniciadas

Tânia Rêgo / ABr

O Museu Nacional, destruído pelas chamas no último domingo (2), ainda vai demorar para ser reerguido. A estimativa do governo é que leve de oito a 12 meses para as obras começarem. Antes da reconstrução do prédio, será necessária a elaboração de um projeto.

Esse projeto, que pode levar até um ano para ser implementado, vai definir qual será o valor necessário para execução da reforma.

“A recuperação do museu vai envolver um projeto executivo. E, depois, um projeto definitivo, que vai levar mais um tempo, de quase um ano, para que as obras sejam iniciadas”, disse o presidente Michel Temer. O pronunciamento de Temer ocorreu na abertura de uma reunião com empresários na tarde desta quarta-feira (5).

O presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, esteve no encontro. “Qualquer tipo de obra ligada a um museu como esse não se faz de um dia para o outro. A recuperação estrutural tem que obedecer a regras de engenharia que demoram determinado tempo”, disse.

Na reunião também foi discutida a criação de um comitê para reconstrução do Museu Nacional do Rio de Janeiro. Esse comitê dará suporte financeiro ao fundo patrimonial, cuja ideia foi anunciada na terça-feira (4). Uma medida provisória será editada para regulamentar a criação desse fundo, de natureza privada.

Participaram do encontro, dentre outros, representantes dos sete maiores bancos em atividade no país, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), e dos ministros da Educação, Rossieli Soares; e da Cultura, Sérgio Sá Leitão.

Lei Rouanet

Apesar de o fundo ser privado, o dinheiro usado por bancos e outras empresas para abastecê-lo terá impacto nos cofres públicos. O dinheiro repassado ao fundo não terá um caráter de doação e voltará às mesmas empresas por meio de isenções fiscais.

Isto porque o governo estuda a aplicação da Lei Rouanet para estimular a participação de empresários e até mesmo de pessoas físicas no fundo patrimonial. “Estamos definindo, mediante a utilização da Lei Rouanet, uma adaptação dessa lei, para que tanto empresas quanto pessoas físicas possam contribuir”, disse Caffarelli, após a reunião.

Segundo ele, é preciso utilizar mecanismos que incentivem a participação de mais empresas no fundo. A Lei Rouanet, que concede isenção fiscal a empresas que apoiarem projetos artísticos e culturais, foi escolhida como um desses “mecanismos”.

Ciberia // Agência Brasil

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Oxigênio descoberto em Marte intriga cientistas da NASA

Padrão de comportamento do oxigênio recém-descoberto pelo rover Curiosity, da NASA, é tão diferente que os cientistas não conseguem desvendá-lo através dos processos químicos conhecidos pela ciência. A agência espacial norte-americana divulgou os resultados da análise …

O misterioso "Monstro Tully" acaba de ficar ainda mais esquisito

Um fóssil de 300 mil anos descoberto na década de 1950 no estado de Illinois (EUA) tem gerado muitas discussões entre cientistas. Batizado de Tullimonstrum, ou Monstro Tully, ele se parece com uma lesma. Mas …

Com asilo a Evo Morales, diplomacia mexicana dá passo à esquerda

México assume liderança esquerdista na América Latina ao receber o ex-presidente boliviano. Para analistas, medida desvia atenção de problemas internos, mas é jogo perigoso diante da dependência econômica dos EUA. A viagem de Evo Morales ao …

Incêndios florestais matam quatro pessoas e centenas de cangurus na Austrália

O número de vítimas pelos incêndios no leste da Austrália, onde 140 focos ainda continuam ativos, subiu para quatro nesta quinta-feira (14), com a descoberta de um cadáver perto da cidade de Kempsey, em Nova …

Holanda reduzirá limite de velocidade para combater poluição

O governo da Holanda reduzirá o limite máximo de velocidade nas rodovias do país como parte de uma série de medidas para combater as emissões de óxido de nitrogênio, geradas em grande parte por veículos …

A polêmica sobre campos de extermínio nazistas que opôs a Polônia ao Netflix

O primeiro-ministro da Polônia, Mateusz Morawiecki, enviou uma carta ao Netflix insistindo em mudanças no documentário The Devil Next Door (o diabo ao lado), sobre campos de extermínio nazistas. Na carta enviada no domingo, 10, e …

O único problema de ser filho único é o estigma

Filhos únicos possuem uma péssima reputação. Quantas vezes você não observou algum pai ser criticado por escolher ter apenas um pimpolho? “Ele vai ficar mimado, muito sozinho, egoísta, etc. etc. etc”. É um senso comum. Parece, …

Epidemia mundial: Pneumonia mata uma criança de menos de 5 anos a cada 39 segundos

O Dia Mundial da Pneumonia é comemorado em 12 de novembro. A data foi proposta pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a importância da prevenção da doença, …

Senadora se declara presidente da Bolívia

A parlamentar oposicionista e segunda vice-presidente do Senado Jeanine Áñez declarou-se presidente da Bolívia nesta terça-feira (12). Ela também afirmou que o país terá novas eleições após a formação de uma nova comissão eleitoral. "De acordo …

Bolsonaro anuncia saída do PSL

Em meio à crise por disputa de poder na legenda, presidente afirma que pretende criar novo partido. Cerca de 30 parlamentares aliados de Bolsonaro devem seguir exemplo e deixar o PSL. O presidente Jair Bolsonaro anunciou …