Os macacos também têm Parkinson – e é possível curá-lo

Uma equipe de cientistas do Japão e da Suécia conseguiu reparar em macacos a função de neurônios afetados pela doença de Parkinson. A terapia utilizada foi feita com células-tronco.

Um artigo publicado nesta quinta-feira (31) na revista científica Nature, dá conta de uma inovação na luta contra a doença de Parkinson. Macacos implantados com neurônios derivados de células-tronco mostraram melhoras significativas ao fim de dois anos.

De acordo com o Público, Jun Takahashi, da Universidade de Quioto, no Japão, e principal autor do artigo, espera avançar para um ensaio clínico em humanos no final de 2018. Os animais envolvidos neste estudo pré-clínico foram acompanhados durante dois anos, confirmando a segurança e eficácia da técnica.

Os cientistas usaram as chamadas células-tronco pluripotentes induzidas (células adultas que são reprogramadas e que, assim, reconquistam a capacidade de originar qualquer tipo de tecido do organismo e que são conhecidas pela sigla iPS) para reparar a função neurológica de macacos com doença de Parkinson.

Neste caso, as células-tronco humanas foram reprogramadas para se tornarem neurônios dopaminérgicos, os afetados pela doença de Parkinson.

Segundo os cientistas, até agora não era conhecido nenhum estudo que tivesse avaliado a longo prazo o recurso a neurônios dopaminérgicos produzidos a partir de células iPS em qualquer modelo de primata com a doença de Parkinson. Neste trabalho, foi investigada a doença de Parkinson esporádica – sem histórico familiar e que é a forma mais comum.

Tendo em conta os resultados obtidos nesta experiência, os cientistas acreditam que a técnica agora experimentada com sucesso em macacos com Parkinson pode ser benéfica para humanos e para outras doenças neurodegenerativas.

Mas, afinal, o que fizeram? Os pesquisadores inseriram as células-tronco humanas nos cérebros de macacos com Parkinson. Tratavam-se de linhas celulares que vieram de quatro pessoas saudáveis e três doentes. Uma vez reprogramadas e implantadas no cérebro dos macacos, estas células funcionaram de forma idêntica.

Com o transplante, foram substituídos os neurônios afetados pela doença que se caracteriza pela perda destas células nervosas (em uma zona chamada “substância negra”) e que se tornam incapazes de produzir dopamina.

A morte celular desencadeada pela doença causa problemas motores, sendo que estudos publicados indicam que, quando os sintomas são detectados, a pessoa já teria perdido mais de metade dos seus neurônios dopaminérgicos.

O procedimento com células-tronco usado agora fez com que os macacos recuperassem vários movimentos, relata o artigo na Nature, adiantando que foi feita uma avaliação recorrendo a uma escala neurológica e a vídeos onde se observou a evolução dos movimentos espontâneos dos animais.

Além do efeito que o tratamento teve nos sintomas da doença, a equipe observou também que as células iPS implantadas nos macacos funcionaram como neurônios dopaminérgicos durante, pelo menos, dois anos.

“Espero que as células enxertadas sobrevivam mais de dez anos com função normal. Existem vários relatos de transplantes feitos com células fetais para doentes com Parkinson que mostram que estas células sobreviveram e funcionaram mais de dez anos”, refere Takahashi.

Apesar de já terem sido feitas algumas experiências que recorreram a células dopaminérgicas de fetos para transplantes em doentes com Parkinson, a abordagem com tecidos fetais é mais complexa e controversa. O fato de ser relativamente simples obter células-tronco a partir de amostras de sangue ou da pele, será uma das principais vantagens da técnica proposta agora pela equipe de Jun Takahashi.

No capítulo da segurança desta terapia não foram observados quaisquer efeitos secundários relevantes, tais como a formação de tumores no cérebro. No entanto, o cientista alerta que, mesmo com a reparação dos neurônios, a doença continua lá.

Ou seja, pode existir a possibilidade dos “novos” neurônios serem também, mais cedo ou mais tarde, afetados pela doença? “É possível. Existem vários relatos que mostram que a alfa-sinucleína – proteína associada à doença de Parkinson – volta a se acumular nos neurônios fetais que foram transplantados para doentes com Parkinson em experiências anteriores. Mas isso não significa que o efeito dos enxertos foi perdido“, acredita.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Polícia da Holanda encontra família que diz ter passado 9 anos fechada em quarto secreto ‘esperando o fim do mundo’

Uma família de seis pessoas que passou nove anos em uma fazenda "esperando o fim do mundo" foi descoberta pela polícia na Holanda, depois que um deles apareceu em um bar da região de Ruinerworld. Um …

Ter um cachorro pode te ajudar a viver mais, aponta estudo

Nos últimos anos diversas pesquisas apontaram as vantagens de se ter um cachorro em casa. Nossos fiéis amigos de quatro patas são muito mais do que companheiros, mas podem nos ajudar a viver mais. É …

Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência

Em um artigo publicado na terça-feira (15) na revista Scientific American, Gilbert Levin, um ex-engenheiro da NASA que trabalhou nas missões Viking, faz uma afirmação polêmica: a de que, desde a década de 1970, a …

Brexit: União Europeia e Reino Unido anunciam um acordo em Bruxelas

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson anunciou na manhã desta quinta-feira (17) que encontrou um "excelente novo acordo" para o Brexit com a União Europeia, a poucas horas da cúpula da UE para selar a saída …

Câmara dos EUA condena retirada militar do norte da Síria

Por 354 votos a 60, deputados rejeitaram decisão de Trump de abandonar forças curdas que lutavam ao lado dos EUA. Resolução contou com apoio de mais da metade da bancada republicana. A Câmara de Representantes dos …

Vacina contra o câncer de mama pode estar disponível em 8 anos, diz a Clínica Mayo

Pesquisadores da Clínica Mayo desenvolveram uma vacina contra o câncer ovário e de mama que poderia estar disponível dentro de apenas oito anos. A ideia da vacina é estimular o próprio sistema imunológico dos pacientes a …

Líder de Hong Kong abandona discurso no Parlamento após protestos

Parlamentares pró-democracia forçam Carrie Lam a interromper pronunciamento anual. Sem conseguir completar fala, chefe do Executivo faz discurso sobre futuro político da região administrativa especial da China em vídeo. A chefe do Executivo de Hong Kong, …

Barcelona se prepara para novos protestos, depois de noite tensa em aeroporto

A Catalunha se prepara para um novo dia de indignação, depois que milhares de ativistas pela independência cercaram o aeroporto de Barcelona, na segunda e terça-feira, para denunciar a condenação de seus líderes a sentenças …

Erdogan acusa militares sírios de bombardear posições turcas

Dois soldados turcos foram mortos na área de Manbij pelo Exército do governo sírio, disse o presidente turco Recep Tayyip Erdogan. No dia anterior foi noticiada a morte de mais dois soldados turcos durante um ataque …

Operação da PF amplia briga interna no PSL

A disputa pública pelo comando do PSL, o partido do presidente Jair Bolsonaro, ganhou um novo capítulo nesta terça-feira (15/10) quando agentes da Polícia Federal (PF) realizaram uma operação de busca e apreensão na casa …