Paixão por futebol é semelhante ao “amor romântico”

Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

-

A paixão pelo futebol causa nos torcedores reações semelhantes às que se sentem no “amor romântico”, concluiu um estudo desenvolvido durante três anos por investigadores da Universidade de Coimbra (UC), em Portugal.

A paixão pelo futebol, como é sabido, “desperta emoções, por vezes irracionais, que atravessam a fronteira entre o amor tribal e o fanatismo”, afirma a UC em nota sobre a pesquisa pioneira que lança “alguma luz” sobre o assunto.

Essa tensão entre amor e fanatismo, que “implica simultaneamente o sentimento de pertencimento a um grupo e de rivalidade com outros grupos”, é o que “define o amor tribal”, sublinha a UC. A investigação foi realizada no Instituto de Ciências Nucleares Aplicadas à Saúde (ICNAS) da universidade.

Os pesquisadores Catarina Quartet, Miguel Castelo-Branco e Ricardo Cayolla estudaram o cérebro de 56 torcedores, na sua maioria das claques oficiais da Acadêmica de Coimbra e do Futebol Clube do Porto, cujo nível de paixão foi avaliado através de pontuações de avaliação psicológica.

Os participantes na investigação, 54 homens e duas mulheres, com idades compreendidas entre 21 e 60 anos, foram expostos a vídeos emocionalmente intensos, que poderiam ser positivos (gols com significados especiais, por exemplo), negativos ou neutros.

No estudo, publicado na SCAN – uma das revistas de neurociências das emoções mais prestigiadas a nível mundial –, foi observada “a ativação de circuitos cerebrais de recompensa que são semelhantes aos que são ativados na experiência do amor romântico”, afirma Miguel Castelo-Branco, coordenador da investigação.

“Em particular, os circuitos de memória emocional são mais recrutados pelas experiências positivas do que pelas negativas”, salienta Miguel Castelo-Branco, citado pela UC.

Isto significa que “a paixão tende a prevalecer sobre os conteúdos mais negativos, como, por exemplo, de derrota com o rival, que tendem a ser suprimidos da memória emocional”, acrescenta Miguel Castelo-Branco.

O estudo coloca assim em destaque “os aspectos positivos desta forma de amor tribal e de que o cérebro dispõe de mecanismos para suprimir conteúdos negativos”, realça o especialista, notando que “o cérebro parece ter mecanismos de proteção contra memórias suscetíveis de levar ao ódio tribal”.

“Curiosamente, quanto maior a paixão pelo clube medida psicologicamente, maior é a atividade em certas regiões do cérebro associadas a emoções e recompensa, algumas semelhantes às envolvidas no amor romântico”, conclui o coordenador do estudo.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

COVID-19 deve ter pico no Brasil em abril e maio, dizem Mandetta e especialistas

A previsão de disseminação do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no país não é nada animadora para os próximos meses. Isso porque ainda estamos em uma fase intermediária da infecção, que deve ter seus momentos de pico em …

Esse novo tratamento alivia a depressão em 90% dos pacientes

De acordo com uma nova pesquisa americana, um tratamento com estimulação magnética transcraniana pode ser muito eficaz para pessoas com depressão severa: em um experimento, foi capaz de aliviar os sintomas em 90% dos pacientes. Normalmente, …

Israel: ministro que definiu Covid-19 como ‘castigo divino a gays’ está com coronavírus

Aos 71 anos, Yaakov Litzman, ministro da Saúde de Israel e também líder do partido ultra-ortodoxo “Judaísmo Unido da Torá”, testou positivo para Covid-19. O diagnóstico foi divulgado nesta terça-feira (7) pela imprensa local e chamou …

Saúde de Boris Johnson preocupa britânicos, mas governo garante que premiê passa bem

O Reino Unido acompanha com preocupação a degradação do estado de saúde do primeiro-ministro Boris Johnson, que anunciou publicamente ter sido contaminado pelo novo coronavírus há dez dias. Depois de ser hospitalizado no domingo (5), …

Cortes na ciência comprometem resposta à covid-19 no Brasil

A fila de 16 mil testes para covid-19 no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, expõe a vulnerabilidade de um país que escolheu não investir em Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) nos últimos anos. A …

Organismo marinho de 47 metros de comprimento descoberto na Austrália

Pesquisadores conseguiram captar imagens de vídeo fascinantes de um organismo "de outro mundo" nas águas ao largo da costa ocidental da Austrália. Segundo comunica a Newsweek, uma equipe a bordo do RV Falkor, o principal navio …

Detectadas pela 1º vez estrelas binárias capazes de produzir ondas gravitacionais

Astrônomos do Centro de Astrofísica de Harvard & Smithsonian detectaram pela primeira vez anãs brancas compostas por duas estrelas binárias. As anãs brancas compostas por duas estrelas binárias possuem um núcleo orbital capaz de gerar uma …

Epidemia do coronavírus ainda não chegou ao pico e se agrava na França, diz ministro

O pico da epidemia do novo coronavírus ainda não foi atingido na França, disse nesta terça-feira (7) o ministro da Saúde, Olivier Véran. Devido ao número significativo de pacientes que ainda são hospitalizados diariamente …

Superlua Rosa: satélite atinge proximidade máxima com a Terra

Na próxima terça-feira (7), os entusiastas da astronomia vão poder testemunhar um conhecido e belo fenômeno dos céus que acontece anualmente. A Superlua Rosa é o momento em que o satélite atinge proximidade máxima com a …

Empresas brasileiras lançam manifesto contra demissões

Dezenas de empresas assinam texto pedindo que companhias se comprometam a não demitir nos próximos dois meses, mesmo diante dos impactos econômicos provocados pelas medidas de isolamento para conter o coronavírus. Um grupo de 41 empresas …