Parlamento britânico aprova Brexit; Rainha Elizabeth II deve dar sinal verde esta semana

O Parlamento britânico aprovou na noite de ontem a lei que permitirá ao país se retirar do bloco da União Europeia (UE), cumprindo o que foi decidido em plebiscito em junho do ano passado.

Com o “sim” ao projeto de lei tanto na Câmara Baixa, quanto na Câmara dos Lordes, restará a aprovação da rainha, que pode dar o sinal verde esta semana para que as negociações de saída da UE possam ser iniciadas, cumprindo o chamado Artigo 50.

Isso pode acontecer ainda na terça-feira, mas a expectativa é de que a primeira-ministra Theresa May comunique o bloco europeu sobre a retirada apenas no fim deste mês.

“O Parlamento apoiou hoje o governo em sua determinação de seguir com o processo de saída da UE”, disse o secretário responsável pelo Brexit, David Davis. “Agora nós estamos no limiar da negociação mais importante do nosso país em uma geração.”

De acordo com os veículos de imprensa ingleses, informações divulgadas pela Agência EFE, Londres deixaria passar as celebrações do 60° aniversário do Tratado de Roma, que os 27 membros restantes celebrarão na capital italiana no dia 25 deste mês, antes de iniciar a ruptura.

Um porta-voz da Downing Street, escritório oficial da primeira-ministra britânica, afirmou que o anúncio desta manhã da ministra principal da Escócia, Nicola Sturgeon, de que promoverá um segundo referendo sobre a independência da região não afetou o calendário do Brexit.

Além da Escócia demonstrar interesse em deixar o Reino Unido, o partido nacionalista Sinn Féin (Irlanda do Norte) pediu ontem a realização de um referendo sobre a reunificação da Irlanda “o mais rápido possível“, de modo a fazer frente ao impacto da futura saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

A líder da formação na Irlanda do Norte, Michelle O’Neill, afirmou que o governo de Londres “se nega a escutar” a maioria da população irlandesa, que votou contra o Brexit em junho do ano passado.

Mas em Londres, a câmara dos Comuns iniciou um debate no qual decidirá se elimina as duas emendas acrescentadas pela Câmara dos Lordes ao projeto de lei para iniciar o desligamento com a UE.

Espera-se que a maioria conservadora descarte ambos anexos, que asseguram os direitos dos cidadãos comunitários no Reino Unido após o Brexit e outorga ao parlamento um voto “significativo” sobre o futuro acordo de desligamento entre Londres e Bruxelas.

A Câmara dos Lordes pode dar o sinal verde definitivo ao projeto de lei e a partir disso o texto ficaria pronto para entrar em vigor após receber a rubrica da rainha Elizabeth II, abrindo o caminho a May para ativar em qualquer momento o artigo 50.

Ciberia // BBC / EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …