Pesquisas dão resultados mistos sobre sentimento independentista na Escócia

Sean Dempsey / EPA

-

A popularidade da União Europeia (UE) parece ter diminuído na Escócia, enquanto o apoio à independência da região mostra resultados mistos, segundo várias pesquisas divulgadas nesta quarta-feira.

Dois dias depois que a ministra principal escocesa, Nicola Sturgeon, anunciou seus planos para impulsionar um segundo referendo de independência, a chamada Pesquisa de Atitudes Sociais, elaborada pela firma ScotCen Social Research, revelou um aumento no respaldo à separação do Reino Unido, com 46% de apoio, contra os 23% obtidos em 2012.

Nesse ano, 2012, se iniciava a campanha nessa região prévia ao primeiro referendo de independência realizado em 18 de setembro de 2014, no qual o apoio à união venceu com 55,3% dos votos, contra os 44,7% dos partidários da secessão.

Paradoxalmente, a prestigiada pesquisa anual detectou ao mesmo tempo uma diminuição na popularidade da União Europeia (UE).

Concretamente, segundo essa pesquisa, mais de dois terços dos eleitores escoceses se mostraram críticos com a UE, com 25% dos participantes a favor de deixar o bloco comunitário, enquanto outros 42% advogaram pela redução dos poderes de Bruxelas.

Segundo a pesquisa da ScotCen, os partidos da região partidários da união com o Reino Unido argumentam que outro referendo geraria mais divisão e incerteza.

Esses dados sugerem que o movimento pró-independentista na Escócia provavelmente irá ganhar mais força agora em uma nova campanha para realizar outro referendo.

Por outro lado, outra pesquisa realizada pela firma “YouGov”, cujos resultados foram publicados hoje, mostra um resultado diferente, ao indicar que 57% de eleitores escoceses querem permanecer no Reino Unido.

Frente a essa maioria de eleitores, 43% dos eleitores são partidários da secessão, excluindo aqueles que “não sabem” ou os que não vão votar.

Segundo Sturgeon, o triunfo do Brexit (saída do Reino Unido da UE) na passada consulta de 23 de junho deixou a Escócia perante uma encruzilhada, frente à qual um referendo de independência é necessário para que a região escolha o caminho a seguir.

Por sua parte, o governo britânico da conservadora Theresa May prevê ativar o Artigo 50 do Tratado de Lisboa, que inicia formalmente o período negociador de dois anos para consumar a saída do Reino Unido do bloco comum, “nos próximos dias”, após finalizar com sucesso a tramitação do projeto de lei do Brexit.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Rede 5G pode transmitir energia elétrica e aposentar as baterias no futuro

O mundo já conhece os benefícios da tecnologia 5G como a alta velocidade na transmissão de dados e baixa latência. Agora, os cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos EUA, descobriram que essas redes …

Covid: como evitar a trágica marca de 5 mil mortes por dia no Brasil?

No dia 19 de maio de 2020, o Brasil atingiu pela primeira vez a marca das mil mortes diárias por covid-19. Esse número permaneceu relativamente estável, em um patamar considerado alto, durante todo o segundo semestre …

Físicos afirmam que o universo é um computador de aprendizado de máquina

Físicos teóricos que trabalham com a Microsoft lançaram um artigo na sexta-feira afirmando que o universo é essencialmente um computador de aprendizagem de máquina (machine learning, em inglês). Os pesquisadores, vários afiliados à Microsoft, pré-publicaram um …

Mundo ainda tem países sem uma única dose de vacina

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 600 milhões de doses de vacina contra a covid-19 já foram aplicadas em todo o mundo. Mas a discrepância entre países é alta: enquanto, …

Covid: site calcula quando você será vacinado. Resultados não animam

Um grupo de voluntários chamado CoronavirusBra desenvolveu uma plataforma para calcular quando você será vacinado contra a covid-19. O ‘Quando vou ser vacinado?’ utiliza dados públicos como a média de imunizados com o número de pessoas …

Rússia inicia desenvolvimento de mais uma vacina contra COVID-19

Sendo o primeiro país a registrar uma vacina contra a COVID-19, a Rússia anunciou o início do desenvolvimento de mais uma vacina contra o coronavírus. A criação do novo medicamento estará a cargo do Instituto Smorodintsev …

Especialista chinês: ascensão da China faz EUA entrarem em pânico e ficarem nervosos

O desenvolvimento econômico e a ascensão do país asiático fazem os EUA ficarem nervosos e entrarem em pânico, mas este medo se origina em seus preconceitos, disse em entrevista à Sputnik um especialista chinês. Li Junru, …

Interação de múons, a nova força da natureza que cientistas acreditam ter descoberto

Desde colar um ímã na porta de uma geladeira até jogar uma bola em uma cesta de basquete, as forças da física funcionam em todos os momentos de nossas vidas. Todas as forças que experimentamos todos …

Receita afirma que "só rico lê" e reforça preconceito de classe brasileiro

A Receita Federal deseja manter o projeto que cobra impostos sobre livros. Através da mesclagem entre PIS e Cofins, a nova CBS (Contribuição sobre bens e serviços), uma espécie de imposto sobre valor agregado, o …

Tribunal europeu dá aval a vacinação obrigatória

Corte de direitos humanos diz que medida pode ser necessária em sociedades democráticas e abre precedente no combate à covid-19. Tribunal julgava ação de famílias tchecas que se recusaram a vacinar os filhos. O Tribunal Europeu …