Reabertura de escolas a partir de 11 de maio anunciada por Macron gera polêmica na França

Ecole polytechnique Paris / Flickr

O presidente francês, Emmanuel Macron

Um dos principais anúncios do presidente Emmanuel Macron sobre o fim da quarentena na França a partir de 11 de maio foi a reabertura das creches e escolas do ensino fundamental e médio de todo o país. Mas a medida, defendida pelo governo para evitar que as desigualdades de aprendizagem se aprofundem entre os alunos durante o isolamento, gera controvérsia nesta terça-feira.

As condições para a suspensão da quarentena na França, em vigor desde 17 de março, foram anunciadas por Emmanuel Macron no pronunciamento à nação nessa segunda-feira (13). Os franceses sairão do isolamento por etapas a partir de 11 de maio.

A generalização de testes, do uso de máscaras reutilizáveis, a volta ao trabalho e a continuação da quarentena para os idosos já eram esperadas. A medida que mais surpreendeu foi a decisão de retomar as aulas “progressivamente” no ensino fundamental e médio. As universidades continuarão fechadas até o início do próximo ano letivo, em setembro.

Os professores foram os primeiros a criticar a reabertura, já que as crianças podem ser vetores de transmissão do vírus. Entrevistada logo após o discurso do presidente, a secretária-geral do Snuipp-FSU, o principal sindicato de professores do ensino fundamental, Francette Popineau, disse à AFP que está preocupada.

“Sabemos que a escola é um lugar de grande transmissão e contaminação. A reabertura parece em contradição total com o restante das medidas”, disse Popineau.

O presidente da Federação dos Médicos da França, Jean-Paul Hamon, também está inquieto com o fim do confinamento nas escolas que, segundo ele, “traz um risco inútil“. Ele ressalta que as “crianças nem sempre obedecem às orientações, vão brincar juntas e levar o vírus para suas casas”.

O primeiro-secretário do Partido Socialista, Olivier Faure, quer mais detalhes do governo para saber “como será possível proteger ao mesmo tempo alunos, pais e professores”.

Retorno progressivo

O ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer, tentou em entrevista à TV France 2 nesta terça-feira tranquilizar pais, alunos, professores e a população em geral. Segundo ele, a volta às aulas será “progressiva” a partir de 11 de maio e não acontecerá no mesmo dia para todos.

O ministro informou que as modalidades de reabertura das escolas serão definidas nos próximos 15 dias. Ele antecipou que antes da retomada, todos os locais de ensino serão desinfetados, máscaras serão distribuídas a professores e alunos e que as famílias serão contatadas antes de 11 de maio para serem informadas. Provavelmente as classes serão menores.

Jean-Michel Blanquer reafirmou que o governo tomou a medida pensando nos “estudantes que enfrentam dificuldades”. Eles passarão a ser tratados com prioridade. Durante a quarentena, “cada criança ficou exclusivamente em seu contexto familiar e isso aprofundou terrivelmente as desigualdades”, lembrou o ministro. As escolas francesas estão fechadas desde 16 de março.

Apesar das declarações de Blanquer, os sindicatos de professores alertam que se no início de maio as condições sanitárias anunciadas pelo governo forem consideradas insuficientes, eles serão contrários à reabertura dos estabelecimentos escolares.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …