Refugiada teve que fugir da Alemanha depois de cruzar com o seu sequestrador na rua

A refugiada yazidi de 19 anos fugiu da Alemanha – país que seria sua nova casa – depois de ter cruzado com seu antigo sequestrador, um membro do Estado Islâmico (EI) que a converteu em escrava sexual.

A jovem era Ashwaq Haji Hami, que acabou por regressar à terra natal, no Iraque, por temer que seu suposto torturador pudesse voltar a atormentá-la em solo alemão.

“A jovem foi interrogada, mas a informação que prestou não foi suficientemente precisa”, disse na altura uma porta-voz dos procuradores judiciais alemães, segundo a Associated Press, que entrevistou Hami, já em um campo de refugiados perto de Shekhan, no Curdistão iraquiano.

A jovem yazidi disse ter sido sequestrada pelo grupo terrorista em agosto de 2014, quando tinha 15 anos, sofrendo diversos abusos por parte de um dos membros, chamado Abu Humam, mas cujo nome verdadeiro seria Mohammed Rashid, segundo a própria.

Foi este homem que, em Mossul, capital iraquiana do EI, comprou a jovem yazidi por cerca de 100 dólares, recorda a revista portuguesa Visão. Durante mais de três meses, Ashwaq foi escravizada e abusada sexualmente.

De acordo com a revista, a jovem garante que conseguiu fugir quando, com a ajuda de outras quatro jovens yazidis, teria colocado soporíferos na comida do homem e de outros 17 que compartilhavam uma refeição noturna.

A fuga permitiu que ela reencontrasse os pais e, em junho de 2015, chegou “mais ou menos sã e salva” à Alemanha. Pelo meio, conta a publicação, descobriu que cinco dos seus irmãos desapareceram sem deixar rastro e que uma irmã continua, até hoje, como prisioneira e escrava do EI.

Depois de ter conseguido fugir e de tentar refazer sua vida, Hami diz ter cruzado com Rashid na Alemanha, em fevereiro deste ano, em Schwaebisch Gmuend, pacata cidade alemã que seria seu novo lar.

Tudo aconteceu quando, no momento em que voltava para casa, um carro estacionou ao seu lado e o condutor perguntou em alemão: “Você é Ashwaq, certo?”. A jovem recorda que ficou paralisada e reconheceu o indivíduo da “cara feia e barba ameaçadora”.

No dia seguinte, a jovem apresentou denúncia na polícia, onde lhe disseram que “também era um refugiado e que não podiam fazer nada sobre o assunto”. “Me deram apenas um número de telefone, caso ele voltasse a me incomodar. Depois dessa resposta, decidi que tinha de voltar ao Curdistão e que jamais regressaria à Alemanha”, conta.

É então que surge a polêmica. A história de Ashwaq começou a ser divulgada pela mídia e, em sua defesa, a Procuradoria alemã diz fazer uma investigação, mas alega desconhecer a identidade do suposto refugiado e invoca ainda “pouco rigor” no testemunho prestado pela jovem.

No verão de 2014, o grupo terrorista iniciou uma campanha para exterminar a minoria curda no Iraque, que contava com cerca de 650 mil pessoas. Dois anos depois, a ONU revelou que esse genocídio fez cerca de 10 mil mortos.

Cerca de 3 mil yazidis estão dados como desaparecidos, 6 mil mulheres e menores foram convertidas em escravas sexuais e aproximadamente 300 mil continuam em campos de refugiados.

Ciberia, Lusa // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Graffiti pode revelar a verdadeira data da erupção que destruiu Pompeia

Na terça-feira (16), as autoridades italianas anunciaram que a erupção vulcânica que destruiu a cidade romana de Pompeia, em 79 a.C., pode ter acontecido dois meses mais tarde do que pensavam os cientistas. Até agora, pensava-se …

Crianças com até 2 anos são as que mais usam aplicativos

Mais de metade das crianças com menos de 8 anos usa aplicativos como entretenimento e as crianças que mais usam os dispositivos eletrônicos têm até 2 anos. Segundo o estudo “Happy Kids: Aplicativos Seguros e Benéficos para Crianças”, do …

Mineral ultra-raro é descoberto em antiga cratera de meteorito na Austrália

Um mineral ultra-raro que se forma apenas quando rochas espaciais atingem a crosta terrestre com uma enorme pressão foi encontrado na Austrália. Até o momento, em todo o planeta, só foram encontrados seis exemplares desse …

Rede de trilhas de 18 mil km começa a ser construída no Brasil

O governo federal criou nesta sexta-feira (19) a Rede Nacional de Trilhas de Longo Curso e Conectividade (Rede Trilhas), formada por quatro grandes corredores interligando paisagens naturais no país por onde milhões de pessoas poderão …

Jornalista saudita teria sido desmembrado ainda vivo; durou sete minutos

Jamal Khashoggi, o jornalista saudita desaparecido desde 2 de outubro, teria sido torturado durante sete minutos e desmembrado ainda vivo no interior do consulado da Arábia Saudita, em Istambul, revela a imprensa turca. O jornal turco …

Candidatos têm propostas antagônicas para direitos humanos

Os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) que disputam, no próximo dia 28, o segundo turno das eleições presidenciais deste ano, defendem diferentes pontos de vista sobre direitos humanos. Apesar de os dois citarem …

Eleita a 1ª deputada indígena do Brasil, Wapichana promete ser resistência

Combater as "ameaças" aos direitos dos povos indígenas será um dos principais desafios de Joênia Wapichana, a primeira mulher indígena na história a ser eleita para ocupar uma cadeira na Câmara dos Deputados. A adoção do …

Acessível e sustentável, parque suspenso em meio a Mata Atlântica é inaugurado em São Paulo

São Paulo e região metropolitana sofrem com a escassez de áreas verdes. O deficit acarreta na falta de opções de lazer e aumenta os efeitos da poluição. Por isso, é ótima a notícia de que São …

Com juristas, Haddad chama campanha anti-PT de “tentativa de fraude"

Na presença de vários juristas, o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, chamou nesta quinta-feira (18) de “tentativa de fraude eleitoral” as denúncias publicadas sobre a suposta existência de um grupo de …

Por temer por sua segurança, Bolsonaro justifica ausência em debate

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta quinta-feira (18), durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais (live) que teme por sua segurança, daí a decisão de não participar de …