Sallah Abdeslam apresenta-se a tribunal como “combatente do Estado Islâmico”

(cv) RTBF

Salah Abdeslam, autor do atentado ao Bataclan em Paris, era “o homem mais procurado da Europa”

O único sobrevivente do comando que perpetrou os atentados da noite de 13 de Novembro de 2015, em Paris, Sallah Abdeslam, apresentou-se hoje, em tribunal, como “combatente do Estado Islâmico”. Esta quarta-feira arrancou o primeiro dia do julgamento dos piores ataques terroristas cometidos em França que fizeram 130 mortos e centenas de feridos. No total há 20 arguidos que vão ser julgados.

“A audiência está aberta”, foi com estas palavras que o presidente do colectivo de juízes, Jean-Louis Périès, declarou, às 13h17 minutos locais, a abertura do julgamento dos atentados de 13 de Novembro de 2015, com um atraso de quase 50 minutos, relativamente ao agendado.

Do seu lado esquerdo, alinhavam-se 11 arguidos atrás de uma barreira de vidro, com cerca de 30 polícias à volta, enquanto outros três se alinhavam, mais à frente e sem barreira transparente, por comparecerem ao julgamento sob supervisão judicial e não estando actualmente presos.

Logo depois, o primeiro arguido a ser apresentado foi aquele em que as atenções estão principalmente concentradas, o único sobrevivente do comando que perpetrou os atentados da noite de 13 de novembro. Vestido totalmente de preto, incluindo a máscara, Salah Abdeslam começou por dizer que “não há outro Deus a não ser Alá”, disse que deixou a sua profissão para ser “combatente do Estado Islâmico” e não deu o nome dos pais dizendo que “eles não têm nada a ver com o assunto”.

Começa assim a longa maratona histórica de quase nove meses para julgar 20 arguidos no total, seis dos quais ausentes. O presidente do colectivo de juízes fez questão de afirmar, na abertura, que se trata de “um julgamento histórico e fora do comum”.

A sala de audiências, criada especialmente para este julgamento e com 550 lugares, encheu, assim como as salas com difusão vídeo para as partes civis e imprensa.

Forte afluência e emoção palpável nos olhares e na solenidade dos gestos, o julgamento reabre uma ferida colectiva na história de França e intensifica a dor dos que perderam entes queridos e dos que foram directamente vítimas dos atentados no Stade de France, nas esplanadas de cafés e no Bataclan.

No exterior do Palácio da Justiça, na Ile de la Cité, há avenidas fechadas e muita polícia. Até porque a ameaça terrorista permanece, como fez questão de sublinhar ontem o ministro do Interior, Gérald Darmanin, que pediu às autoridades “um alto nível de vigilância” no país durante o julgamento, especialmente junto a locais de culto, de ensino e de grandes concentrações, assim como junto dos locais dos atentados de 13 de Novembro.

O ministro lembrou que durante o julgamento dos atentados ao Charlie Hebdo houve vários ataques, nomeadamente na antiga sede do semanário satírico e contra um professor.

De notar que só a partir de 28 de Setembro é que começam a ser ouvidas as vítimas e, no início de Novembro, há os primeiros interrogatórios dos arguidos, focados nas suas personalidades e percursos. Sobre os atentados, os interrogatórios aos réus começam em Janeiro, estando o de Salah Abdeslam previsto para dias 13 e 14 de Janeiro. A leitura do veredicto está prevista para os dias 24 e 25 de Maio de 2022.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …