Chimpanzés fêmeas fogem quando vão ter filhote e agora sabemos a razão

Um raro registro de um chimpanzé nascendo na natureza terminou de forma terrível. Segundos após o nascimento, o bebê foi levado de sua mãe e devorado por um chimpanzé macho do mesmo grupo.

O ocorrido explica por que as fêmeas chimpanzés tendem a se esconder por semanas ou meses quando vão ter seus filhotes.

Pouco se sabe sobre como os chimpanzés dão à luz na vida selvagem, porque até agora apenas 5 nascimentos já foram observados, diz Hitonaru Nishie, pesquisador da Universidade de Kyoto, no Japão.

Nishie e seus colegas estudaram chimpanzés nas montanhas Mahale da Tanzânia nos últimos anos. Os resultados da pesquisa foram publicados este mês no American Journal of Physical Anthropology.

Uma das razões pelas quais poucos nascimentos de chimpanzés foram testemunhados até agora, explica Nishie, é que as mães deixam o grupo quando o bebê está chegando e não retornam até o bebê ter semanas ou meses de idade. Essa ausência foi descrita como a “licença maternidade” das chimpanzés.

Assim, Nishie e seu colega Michio Nakamura ficaram surpresos quando, em dezembro passado, uma chimpanzé do grupo que eles estavam observando começou a dar à luz na frente dos outros 20 membros do grupo.

Assim que o bebê nasceu – e antes que a mãe tivesse a chance de tocá-lo – ele foi capturado por um membro do grupo, que então desapareceu no mato. Os pesquisadores o encontraram cerca de 1 hora e meia depois, sentando uma árvore e comendo a metade inferior do corpo da criança. Ele comeu todo o corpo dentro de uma hora.

(dr) Michio Nakamura

A mãe chimpanzé aprendeu sobre a “licença de maternidade”

Evento raro

Esta é a primeira vez que alguém relatou ter visto um chimpanzé recém-nascido canibalizado dessa maneira, diz Nishie. Ele diz que sua observação fornece uma pista óbvia sobre por que as mães chimpanzé tendem a se esconder para dar à luz.

Neste caso, a mãe ainda não teria tido a chance de aprender sobre a “licença maternidade” caso tenha sido sua primeira gravidez, diz Tatyana Humle, da Universidade de Kent, no Reino Unido.

Eu prevejo que ela irá ter uma “licença maternidade” na próxima vez”, diz ela. Na verdade, foi exatamente isso que aconteceu. Quando a chimpanzé teve posteriormente outro bebê (mostrado na foto acima), ela desapareceu por um mês.

Os animais machos de muitas outras espécies são conhecidos por matar crianças pequenas que não estão relacionadas a eles. Isso os permite se acasalar com a mãe e ter mais filhos em seu grupo. E as chimpanzés fêmeas também já foram vistas matando os bebês de outras mulheres quando os recursos, como alimentos, são escassos, diz Humle.

O bebê chimpanzé pode também simplesmente ter sido uma fonte de nutrição para o adulto que o levou, diz Nishie.

De qualquer forma, o infanticídio e o canibalismo são extremamente raros entre os chimpanzés, diz Hulme. “Eu trabalho com uma comunidade de chimpanzés na África Ocidental, e nunca vi nenhum caso”, diz ela. Humle acredita que tal violência pode ser mais provável de ocorrer em grupos maiores, onde há mais concorrência por recursos.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …

Explosões deixam vários mortos em mesquita no Afeganistão

Ao menos 33 pessoas morrem após explosões em mesquita xiita durante a oração de sexta-feira. Testemunha diz ter visto homens-bomba. Incidente ocorre dias depois de ataque do "Estado Islâmico" contra xiitas no país. Fortes explosões atingiram …

Vênus tinha oceanos? Cientistas refutam hipótese popular usando modelagem

Cientistas da Suíça e França refutaram a hipótese de que anteriormente Vênus era coberta por oceanos. Um novo estudo revela que mesmo no início, quando o Sol era mais fraco do que agora, a superfície …

Suspeito de ataque na Noruega era fichado na polícia por radicalização

Convertido ao islã e conhecido da polícia, dinamarquês de 37 anos teria usado outras armas além de arco e flecha em ataque que matou cinco pessoas em Kongsberg. Ele está preso e reconheceu envolvimento no …

Oposição manobra para destituir Piñera no Chile por citação nos Pandora Papers

Deputados de todos os partidos da oposição chilena apresentaram uma acusação no Congresso nesta quarta-feira (13) para destituir o presidente Sebastián Piñera pela controversa venda de uma mineradora em um paraíso fiscal, revelada no escândalo …

Fatores externos influenciam, mas não justificam inflação a dois dígitos no Brasil

A recuperação do impacto brutal da pandemia de coronavírus leva a inflação a subir na maioria dos países do mundo, mas a conjuntura internacional não explica o nível chegar a dois dígitos no Brasil. …

UE anuncia 1 bilhão de euros em ajuda ao Afeganistão

União Europeia justifica que é preciso evitar "colapso" no país e fornecer ajuda humanitária aos afegãos. Paralelamente, representantes do bloco europeu e dos EUA se reúnem com membros do Talibã em Doha, no Catar. O Talibã …