A Terra tem 9% mais árvores do que se pensava

Luciana Macêdo / Fotos Públicas

Uma equipe de pesquisadores de vários países fez uma nova estimativa da cobertura florestal do planeta e, com base em imagens do Google Earth, por exemplo, constatou que a Terra tem pelo menos 9% mais árvores do que o calculado anteriormente, o que equivale em hectares a uma outra Amazônia.

Os resultados da investigação, conduzida pela FAO – Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, fazem parte de um artigo publicado na revista “Science” e podem esclarecer as dúvidas que cercam as estimativas dos sumidouros de carbono no planeta – florestas, vegetações e oceanos que absorvem CO2.

Para chegar a essas conclusões, os cientistas se concentraram nas zonas áridas, que respondem por 40% da superfície terrestre – mas que poderia aumentar a 50% no final do século por conta da mudança climática.

Nestas regiões, eles escolheram 213.795 lotes de meio hectare cada e deles examinaram detalhadamente as imagens disponíveis de satélites, principalmente do Google Earth.

Os pesquisadores conseguiram calcular que na regiões áridas da Terra existem de 40% a 47% mais florestas do que era notificado em estudos anteriores.

Isto representa 467 milhões de novos hectares de árvores que nunca tinham sido catalogadas nessas áreas, o que equivale a uma floresta Amazônica, segundo com diz o pesquisador Luis G. García Montero, professor da Universidade Politécnica de Madri.

Este novo cálculo aumenta as estimativas atuais da cobertura florestal do planeta em pelo menos 9%, segundo o artigo. De acordo com os estudiosos, as “novas árvores” sempre estiveram lá, mas as imagens em alta resolução e as novas tecnologia permitiram aprimorar o cálculo.

“Não é que as imagens de antes fossem ruins, mas não davam a dimensão que dão agora”, comentou Montero, explicando que possivelmente as sombras criadas por elas mesmas pudessem ser um fator para atrapalhar os satélites mais velhos na hora de captar as imagens e por isso a estimativa anterior era menor.

Agora, o novo estudo poderia ajudar a esclarecer dúvidas sobre as estimativas dos sumidouros de CO2.

Neste sentido, Montero lembrou que em 2015 a revista “Nature” publicou um artigo no qual os autores afirmavam que, de todo o gás carbônico emitido pelos humanos e capturado pela natureza, 25% tinha destino desconhecido. As novas estimativas na quantidade de árvores podem, em parte, ter esclarecido.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Fábrica russa eliminará deficiências na produção da Sputnik V de acordo com recomendações da OMS

Em resultado de inspeções efetuadas na Rússia, o grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde fez várias observações sobre a fabricação da vacina Sputnik V. Estas são ligadas principalmente à proteção do meio ambiente …

Brasil ultrapassa Índia e volta a ser líder mundial em mortes diárias por coronavírus

Em meio ao avanço da terceira onda da pandemia, o Brasil ultrapassou a Índia e voltou à liderança do número de mortes diárias por covid-19 registradas, em média. São mais de 2.000 óbitos registrados por …

Rajadas rápidas de rádio ajudarão a mapear distribuição de matéria no universo

O novo levantamento dos dados coletados pelo radiotelescópio CHIME (Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment) resultou em mais de 500 rajadas rápidas de rádio devidamente catalogadas, todas feitas durante o primeiro ano de atuação do telescópio. Agora, …

Lider da UE chama lei húngara anti-LGBT de vergonha

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, afirma que vai usar poderes de que dispõe para garantir direitos de todos os cidadãos do bloco. Países pediram à UE que agisse. A presidente da Comissão Europeia, …

Apesar de ter vacinado mais da metade da população, Israel teme 2ª onda de Covid

O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, alertou nesta terça-feira que o país pode enfrentar uma nova onda de coronavírus. Segundo ele, o aumento do número de doentes, causado pela chegada da variante Delta, “importada” por …

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …