Donald Trump perdoa Steve Bannon e outros aliados

Don Irvine Photos / Flickr

Steve Bannon, principal estratega e conselheiro do Presidente dos EUA Donald Trump

Nas suas últimas horas no cargo, o presidente dos EUA concede perdão a vários aliados e também políticos condenados por corrupção. Entre os perdoados está seu ex-estrategista-chefe.

O presidente dos EUA, Donald Trump, usou suas últimas horas no cargo para derrubar condenações e sentenças de prisão de vários políticos e empresários acusados de corrupção e outros crimes, concedendo dezenas de perdões presidenciais e comutando penas.

O mais famoso entre os perdoados é o seu ex-estrategista-chefe Steve Bannon, que recebeu um perdão presidencial antes mesmo de ser julgado, como confirma um comunicado da Casa Branca desta quarta-feira (20/01).

Bannon, de 66 anos, foi um dos principais conselheiros de Trump na campanha presidencial vitoriosa de 2016. Ele é acusado de desvio de fundos que foram angariados para a construção do muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México, uma das promessas de campanha de Trump.

Steve Bannon está sendo perdoado por Trump por fraudar os próprios apoiadores de Trump que pagaram por um muro que Trump prometera que o México pagaria”, comentou o deputado democrata Adam Schiff. “Graças a Deus que são apenas mais 12 horas com esse bando de ladrões.”

De forma incomum, Bannon, que foi preso em agosto, recebeu o perdão antes mesmo de ser julgado pela Justiça. O julgamento deverá começar em maio. Normalmente, presidentes concedem perdão a pessoas já condenadas. De acordo com o New York Times, Trump tomou a decisão de perdoar o seu antigo conselheiro no último minuto, depois de falarem ao telefone.

Longa lista de perdoados

Ao todo, Trump perdoou 73 pessoas e comutou a pena de outras 70, comunicou a Casa Branca. Eles se somam os vários perdões concedidos ao longo do ano passado, incluindo ex-aliados como Michael Flynn, Paul Manafort, Roger Stone, George Papadopoulos e Alex Van Der Zwaan.

A lista de perdoados desta quarta inclui um dos principais angariadores de fundos da campanha de Trump em 2016, Elliott Broidy, que foi processado por uma campanha de lobby ilegal, e o rapper americano Lil Wayne, que se declarou culpado no mês passado de uma acusação de posse de arma, pela qual enfrentou até dez anos de prisão.

Entre os perdoados estão ainda os ex-deputados republicanos Rick Renzi, do Arizona, que foi condenado a três anos de cadeia em 2013 por corrupção, Robert Hayes, da Carolina do Norte, que se declarou culpado de mentir ao FBI em 2019, e Randall Cunningham, da Califórnia, que se declarou culpado, em 2005, de receber propinas no valor de 2,4 milhões de dólares em contratos militares.

Trump também comutou a pena do democrata Kwame M. Kilpatrick, um ex-prefeito de Detroit que foi condenado em 2013 por corrupção.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …

Explosões deixam vários mortos em mesquita no Afeganistão

Ao menos 33 pessoas morrem após explosões em mesquita xiita durante a oração de sexta-feira. Testemunha diz ter visto homens-bomba. Incidente ocorre dias depois de ataque do "Estado Islâmico" contra xiitas no país. Fortes explosões atingiram …

Vênus tinha oceanos? Cientistas refutam hipótese popular usando modelagem

Cientistas da Suíça e França refutaram a hipótese de que anteriormente Vênus era coberta por oceanos. Um novo estudo revela que mesmo no início, quando o Sol era mais fraco do que agora, a superfície …

Suspeito de ataque na Noruega era fichado na polícia por radicalização

Convertido ao islã e conhecido da polícia, dinamarquês de 37 anos teria usado outras armas além de arco e flecha em ataque que matou cinco pessoas em Kongsberg. Ele está preso e reconheceu envolvimento no …

Oposição manobra para destituir Piñera no Chile por citação nos Pandora Papers

Deputados de todos os partidos da oposição chilena apresentaram uma acusação no Congresso nesta quarta-feira (13) para destituir o presidente Sebastián Piñera pela controversa venda de uma mineradora em um paraíso fiscal, revelada no escândalo …

Fatores externos influenciam, mas não justificam inflação a dois dígitos no Brasil

A recuperação do impacto brutal da pandemia de coronavírus leva a inflação a subir na maioria dos países do mundo, mas a conjuntura internacional não explica o nível chegar a dois dígitos no Brasil. …

UE anuncia 1 bilhão de euros em ajuda ao Afeganistão

União Europeia justifica que é preciso evitar "colapso" no país e fornecer ajuda humanitária aos afegãos. Paralelamente, representantes do bloco europeu e dos EUA se reúnem com membros do Talibã em Doha, no Catar. O Talibã …