Trump volta atrás e suspende importação de “troféus de caça”

Presidente dos EUA fez anúncio menos de 48 horas depois de seu próprio governo ter concedido autorização para a importação de marfim e cabeças de elefantes por caçadores americanos

Donald Trump mudou de ideia. Diante de uma enxurrada de críticas, o presidente dos EUA resolveu suspender na sexta-feira à noite (17) a autorização para que “troféus de caça” de elefantes abatidos na África pudessem ser importados por caçadores americanos.

O anúncio foi feito pelo próprio presidente em sua conta no Twitter, e ocorreu menos de 48 horas depois de seu próprio governo ter concedido a autorização, que revertia uma política do ex-presidente Barack Obama adotada em 2014 para conter o tráfico de marfim.

Na manhã de sexta-feira, o Serviço de Vida Selvagem dos Estados Unidos tinha anunciado, em comunicado, que iria voltar a permitir que os elefantes africanos do Zimbábue e Zâmbia sejam trazidos como troféus, e que, com isso, iria conseguir recolher fundos para programas de conservação de espécies.

“A caça esportiva legal e bem regulamentada, como parte de um programa de gestão, pode beneficiar determinadas espécies, proporcionando incentivos às comunidades locais para conservar essas espécies e colocando receitas tão necessárias de volta à conservação”, lê-se no comunicado.

A informação relativa à decisão dos EUA foi divulgada na página de um conhecido fórum sul-africano de caça, o Club International Foundation, que, juntamente com a National Rifle Association, batalhou para conseguir que a lei de Obama fosse anulada.

Trump agora afirma que pretende suspender a autorização para a importação até analisar o assunto. “Coloquei a caça em espera enquanto reviso todos os aspectos de conservação”, disse o presidente.

O fim da proibição da importação permitiria que cabeças de elefantes, presas de marfim e outras partes dos animais chegassem legalmente aos EUA. O anúncio original que concedia a autorização foi divulgado na quinta-feira (16/11) e partiu da US Fish and Wildlife Service (USFWS), uma das agências do governo americano.

Um comunicado da agência disse que “a caça esportiva legalizada e regulada como parte de uma administração consistente pode beneficiar a conservação de certas espécies ao prover incentivos às comunidades locais”.

Mas a medida imediatamente provocou repúdio entre ambientalistas e ONGs, já que a população de elefantes vem caindo na África nos últimos anos e os animais constam em listas de espécies ameaçadas de extinção. Entre 2007 e 2014, o número de elefantes no continente registrou queda de 30%.

Membros da base republicana de Trump também criticaram a medida. O deputado Ed Royce, um membro do Comitê de Assuntos Exteriores da Câmara dos Representantes, disse que a autorização era “uma decisão errada num momento errado”.

“Os elefantes e outros grandes animais da África são uma ‘moeda de sangue’ para as organizações terroristas e estão sendo mortos num ritmo alarmante”, afirmou Royce, em nota.

Ciberia // Deutsche Welle

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …