Um raro elemento da tabela periódica está desafiando a mecânica quântica

Ainda há muito que não sabemos sobre os actinídeos. Na tabela periódica, essa série de elementos pesados e radioativos fica na parte de baixo, e inclui várias substâncias que não ocorrem naturalmente na Terra.

Entre eles, o berquélio parece ser mais estranho que do tínhamos percebido inicialmente. Novos experimentos com esse elemento sintético incrivelmente raro mostraram que seus elétrons não se comportam da forma que deveriam, desafiando a mecânica quântica.

“É quase como estar em um universo alternativo porque você está vendo uma química que simplesmente não vê em elementos comuns”, afirma o químico Thomas Albrecht-Schmitt, da Universidade Estadual da Flórida (EUA).

Por anos, Albrecht-Schmitt tem estudado o mundo radioativo dos actinídeos, incluindo o plutônio, califórnio e berquélio.

O berquélio tem este nome porque foi produzido por dois cientistas da cidade de Berkeley, no estado da Califórnia. A descoberta aconteceu em 1949, mas pouca coisa se sabe sobre o elemento porque ele é difícil e extremamente caro de ser produzido em laboratório.

Estima-se que menos de 1 grama do elemento tenha sido sintetizado nos últimos 50 anos. Para a pesquisa de Albrecht-Schmitt, foram produzidas 13 mg do metal radioativo pelo Departamento de Energia dos EUA.

Isso pode parecer muito pouco, mas é mil vezes mais do que outros cientistas já receberam em pesquisas anteriores, e permitiu que os pesquisadores observassem alguns detalhes que passaram despercebidos por outros cientistas.

Em uma série de experimentos que aconteceram em três anos, a equipe da universidade da Flórida criou vários componentes a partir do berquélio e foi possível observar que seus elétrons se comportavam de forma estranha.

Os elementos do topo da tabela periódica são leves, e seus elementos se alinham em configurações explicadas pela teoria quântica, que determina como elétrons giram ao redor do núcleo dos átomos.

O berquélio, porém, assim como outros elementos pesados, se comporta de outra maneira, e os princípios da mecânica quântica não explicam o que os elétrons estão fazendo.

Nesses elementos, os elétrons parecem estar sendo governados pela teoria da relatividade de Einstein, que prevê que objetos com massa ficam mais pesados conforme se movimentam mais rapidamente.

Em termos dos elétrons no berquélio, essa lógica acontece da seguinte forma: conforme os elétrons começam a se mover mais rapidamente ao redor do núcleo, eles vão ficando mais pesados. Esse comportamento desafia a explicação quântica.

“Quando você vê esse fenômeno interessante, você começa a se questionar como fazê-lo ficar mais forte ou desligá-lo. Há alguns anos, ninguém nem pensava que você poderia fazer um componente de berquélio”, diz Albrecht-Schmitt, autor do estudo publicado no Journal of the American Chemical Society.

Esse trabalho se apoia em pesquisas da mesma equipe publicadas em 2016, envolvendo componentes de berquélio. Nelas os pesquisadores afirmaram que o berquélio era “eletronicamente diferente do que as pessoas esperam”.

Conforme esse trabalho evolui, há mais evidências de que o berquélio, como a própria tabela periódica, é algo que é quase impossível de compreender completamente. Resta esperar para ver como esses actinídeos misteriosos vão quebrar nossas melhores teorias.

“O que nos dá uma compreensão de como a química está mudando no final da tabela”, explica o pesquisador. “O objetivo é entender a base química do elemento. Mesmo tendo o berquélio por quase 70 anos, muitas propriedades químicas básicas ainda estão desconhecidas”, explica o cientista.

Ciberia // HypeScience

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …

Pessoas feias superestimam drasticamente suas aparências

Pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência. Não faltam disparidades entre pessoas atraentes e pouco atraentes. Estudos mostram que os mais belos entre nós …

Noruega acusa Pequim de ciberataque contra serviços do governo

Pela primeira vez na história, o Serviço de Segurança Policial da Noruega (PST, na sigla em inglês) identificou a China como sendo responsável por um ataque hacker contra as autoridades do país nórdico. A agência de …

China supera marca de 1 bilhão de vacinas contra a covid-19 aplicadas

Quantia representa mais de um terço das doses aplicadas no mundo. Após início lento da imunização, autoridades chinesas querem vacinar completamente 40% da população até o final de junho. O número de doses de vacinas contra …

Brasileiros protestam no exterior contra Bolsonaro e gestão da epidemia

Dezenas de milhares de pessoas tomaram as ruas de várias capitais brasileiras neste sábado para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro e sua gestão da pandemia, que já deixou mais de meio milhão de …

Relíquia do Jurássico: descoberto animal marinho cuja espécie vive há 180 milhões de anos

Um grupo de pesquisadores descreveu uma nova espécie de ofíuros – um animal marinho parecido com as estrelas-do-mar, que recebeu o nome de Ophiojura, informou nesta quinta-feira (17) Tim O’Hara, curador dos Museus Victoria (Austrália) …