A última inversão de polos magnéticos da Terra levou a 22 mil anos de esquisitices

NASA Goddard / Flickr

Conceito de artista do Campo Magnético da Terra

Um estudo da Universidade de Wisconsin (EUA) fez uma “linha do tempo” da mais recente inversão de polo magnético da Terra, que ocorreu cerca de 770.000 anos atrás.

Usando técnicas avançadas, os pesquisadores analisaram registros de mudanças magnéticas em amostras de lava encontradas no Chile e nas ilhas do Taiti (Polinésia Francesa), Guadalupe (Caribe), La Palma (Espanha) e Maui (Havaí). Um artigo sobre a nova pesquisa foi publicado na revista científica Science Advances.

Segundo a pesquisa, a lava “prende” cristais de magnetita quando se solidifica, pequenos fragmentos minerais que tendem a se orientar com o campo magnético da Terra.

As lavas de todos esses locais já haviam sido estudadas anteriormente, mas as técnicas de análise melhoraram o suficiente para que os pesquisadores decidissem atualizar seus dados.

As novas medidas são mais precisas e contêm uma margem de erro de apenas 5.000 anos em 780.000 anos de registros de lava.  Além da lava, os cientistas levaram em consideração sedimentos no fundo do mar e em núcleos de gelo.

O gelo só pode nos dizer quão forte o campo magnético era em determinada época, enquanto os sedimentos registram a localização dos polos – com menos precisão que a lava, mas com a vantagem de serem contínuos, ao invés dos “vômitos” ocasionais dos vulcões.

Enquanto alguns dos registros sugerem inversões de polo magnético super-rápidas, a figura maior mostra um processo mais complexo, se desenrolando ao longo de cerca de 22.000 anos.

Por exemplo, os pesquisadores detectaram um grande enfraquecimento do campo magnético 795 mil anos atrás, que ocorreu antes do polo “virar” do sul para o norte e se fortalecer um pouco.

No entanto, cerca de 784 mil anos atrás, o campo tornou-se instável novamente – fraco e com um polo variável favorecendo o sul. Essa fase durou até cerca de 773.000 anos atrás, quando o campo magnético recuperou sua força rapidamente e se mudou para o polo geográfico do norte de vez.

Esses resultados estão alinhados com um estudo de 2012 que propôs um padrão a todas as inversões de polo que inclui um movimento “intermediário” seguido por uma reversão completa.

Além disso, os pesquisadores apontam para uma simulação de 2011 que indicou um padrão de força de campo crescente e decrescente e de variabilidade de polo similares aos que foram vistos no novo estudo, embora aquele levasse cerca de 50.000 anos para fazer a transição.

Por conta dessa correspondência, o modelo “forneceria um excelente ponto de partida para projetar futuras simulações” capazes de explicar porque a reversão ocorre desta maneira.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Plataforma de gelo no Canadá quebra e cria iceberg pouco menor que Vitória, do Espírito Santo

Após um aquecimento de cerca de 9 ºC nas últimas décadas, a Milne, considerada "a última plataforma de gelo completa" no mundo, perdeu uma grande parte, formando um iceberg. Uma das maiores plataformas de gelo no …

Cientistas propõe adicionar drogas psicoativas na água potável

Pesquisadores do Reino Unido propuseram uma idéia radical para reduzir a taxa de suicídios: incluir o medicamento psicoativo lítio — um estabilizador de humor — na água potável da população. Parece uma idéia completamente radical, mas …

Magnata da mídia é preso em Hong Kong

Jimmy Lai, crítico do regime de Pequim e proprietário de jornal pró-democracia, foi detido com base em nova lei de segurança nacional imposta pela China. O empresário Jimmy Lai, uma das figuras mais influentes do movimento …

Twitter entra na briga pela compra do TikTok e pode fundir redes sociais

O banimento do TikTok nos Estados Unidos virou uma verdadeira novela mexicana. O aplicativo chinês, que tem até 45 dias para encontrar uma companhia americana para assumir suas operações no país e não ser bloqueado …

Motoboy é vítima de racismo de homem branco: "Você tem inveja disso aqui [minha cor]"

A manhã de sexta-feira (7) começou com mais um caso de racismo no Brasil. Um vídeo que viralizou no Twitter registra um homem branco fazendo injúrias raciais contra um entregador de delivery. As fortes imagens são …

‘Grande ameaça à saúde pública’: cientistas descobrem mutação resistente a remédio contra a malária

Pesquisadores em Ruanda identificaram uma cepa do parasita causador da malária que é resistente a medicamentos. O estudo, publicado na revista Nature, revelou que os parasitas eram capazes de resistir ao tratamento com a artemisinina, um …

Brasil, um ano no foco da crítica ambiental mundial

Em agosto de 2019, país virou pária ambiental devido a incêndios e aumento do desmatamento. Bolsonaro reagiu com agressividade e insultos. Agora, aumenta a pressão de investidores estrangeiros por uma mudança de rumo. Foi uma catástrofe …

Com medo da Covid-19, Venezuela discrimina venezuelanos que voltam ao país

Várias medidas vêm sendo aplicadas na Venezuela para conter a Covid-19. Um estádio foi transformado em hospital de campanha, blocos de concreto foram colocados nas vias, festas estão proibidas e há um canal de …

Centro Gamalei, desenvolvedor de vacina russa, explica como funciona e se há riscos para o paciente

O diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamalei falou sobre os testes da vacina, que será registrada oficialmente na quarta-feira (12). As partículas do coronavírus na vacina da COVID-19 não podem prejudicar …

Mistura inusitada de amônia e água cria raios superficiais e granizos em Júpiter

Júpiter, o maior gigante gasoso do Sistema Solar, é um lugar coberto por tempestades estranhas. O que os cientistas ainda não sabiam é que no meio dessas tormentas, existem raios de natureza bem diferente dos …