A última inversão de polos magnéticos da Terra levou a 22 mil anos de esquisitices

NASA Goddard / Flickr

Conceito de artista do Campo Magnético da Terra

Um estudo da Universidade de Wisconsin (EUA) fez uma “linha do tempo” da mais recente inversão de polo magnético da Terra, que ocorreu cerca de 770.000 anos atrás.

Usando técnicas avançadas, os pesquisadores analisaram registros de mudanças magnéticas em amostras de lava encontradas no Chile e nas ilhas do Taiti (Polinésia Francesa), Guadalupe (Caribe), La Palma (Espanha) e Maui (Havaí). Um artigo sobre a nova pesquisa foi publicado na revista científica Science Advances.

Segundo a pesquisa, a lava “prende” cristais de magnetita quando se solidifica, pequenos fragmentos minerais que tendem a se orientar com o campo magnético da Terra.

As lavas de todos esses locais já haviam sido estudadas anteriormente, mas as técnicas de análise melhoraram o suficiente para que os pesquisadores decidissem atualizar seus dados.

As novas medidas são mais precisas e contêm uma margem de erro de apenas 5.000 anos em 780.000 anos de registros de lava.  Além da lava, os cientistas levaram em consideração sedimentos no fundo do mar e em núcleos de gelo.

O gelo só pode nos dizer quão forte o campo magnético era em determinada época, enquanto os sedimentos registram a localização dos polos – com menos precisão que a lava, mas com a vantagem de serem contínuos, ao invés dos “vômitos” ocasionais dos vulcões.

Enquanto alguns dos registros sugerem inversões de polo magnético super-rápidas, a figura maior mostra um processo mais complexo, se desenrolando ao longo de cerca de 22.000 anos.

Por exemplo, os pesquisadores detectaram um grande enfraquecimento do campo magnético 795 mil anos atrás, que ocorreu antes do polo “virar” do sul para o norte e se fortalecer um pouco.

No entanto, cerca de 784 mil anos atrás, o campo tornou-se instável novamente – fraco e com um polo variável favorecendo o sul. Essa fase durou até cerca de 773.000 anos atrás, quando o campo magnético recuperou sua força rapidamente e se mudou para o polo geográfico do norte de vez.

Esses resultados estão alinhados com um estudo de 2012 que propôs um padrão a todas as inversões de polo que inclui um movimento “intermediário” seguido por uma reversão completa.

Além disso, os pesquisadores apontam para uma simulação de 2011 que indicou um padrão de força de campo crescente e decrescente e de variabilidade de polo similares aos que foram vistos no novo estudo, embora aquele levasse cerca de 50.000 anos para fazer a transição.

Por conta dessa correspondência, o modelo “forneceria um excelente ponto de partida para projetar futuras simulações” capazes de explicar porque a reversão ocorre desta maneira.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Primeiro-ministro renuncia e coloca fim a governo na Itália

Em discurso no Senado, Giuseppe Conte anuncia que vai deixar o cargo e acusa seu vice, Matteo Salvini, por crise na coalizão de governo. Presidente deve decidir sobre convocação de novas eleições. O primeiro-ministro italiano, Giuseppe …

Governo de Hong Kong espera "volta à calma" sem ceder a demandas de manifestantes

A chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam, disse esperar que "uma volta à calma" esteja a caminho no território, depois que a grande manifestação do último domingo (18) acabou sem violência. Depois de …

Cientista americana diz ter certeza que a Terra será atingida por um asteroide

Uma cientista americana de uma ONG dedicada a proteger a Terra diz que é 100% certo que um asteroide atingirá nosso planeta. A cientista é Danica Remy, presidente da Fundação B612. Após a quase colisão da …

Justiça de El Salvador absolve acusada de homicídio por suspeita de aborto

Promotoria pedia pena de 40 anos de prisão para vítima de estupro que dizia não saber da gravidez até o momento do parto. País da América Central possui uma das legislações mais rigorosas do mundo …

EUA testam míssil após deixarem tratado nuclear

Os Estados Unidos anunciaram nesta segunda-feira (19/08) que realizaram um teste com um míssil de cruzeiro. Esse é o primeiro teste feito pelo país desde que deixou oficialmente o Tratado de Forças Nucleares de Alcance …

Astrônomos descobrem 39 galáxias antigas movendo-se tão rápido que nem mesmo o Hubble consegue vê-las

Astrônomos da Universidade de Tóquio (Japão) conseguiram detectar 39 galáxias muito antigas, do início do nosso universo, utilizando dados do espectro infravermelho de telescópios submilimétricos. A luz destas estrelas viajou nada menos que 11 bilhões de …

Trump confirma ter interesse em comprar Groenlândia

O presidente dos EUA, Donald Trump, confirmou em entrevista com jornalistas que tem interesse na compra da Groenlândia. O cientista político Vladimir Shapovalov comenta a declaração do líder norte-americano em entrevista ao serviço russo da …

Brexit sem acordo: tempos duros para britânicos, confirma relatório vazado

Segundo documento do governo vazado para imprensa, Reino Unido estará sujeito a meses de caos de transportes e carência de artigos básicos, caso se separe da UE sem um acordo de transição, como propõe o …

Pesquisadores criam adesivos corporais que verificam a saúde

A universidade de Stanford anunciou um novo experimento: adesivos corporais que leem informações a respeito da saúde da pessoa. Basicamente, os adesivos captam os sinais fisiológicos que emanam da pele, e então transmitem essas leituras de …

Bolsonaro se engana e critica Noruega com vídeo dinamarquês

O presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar a Noruega, que anunciou na semana passada a suspensão de repasses ao Fundo Amazônia. O mandatário, cujas políticas ambientais têm sido alvo de críticas internacionais, publicou um vídeo …