Agricultura tem matado mais abelhas do que se pensava; entenda as consequências

Em um novo levantamento feito com dezenas de estudos publicados nos últimos 20 anos, cientistas avaliaram a interação entre os agroquímicos com as populações de insetos polinizadores em todo mundo — em especial, as abelhas.

Segundo eles, a combinação entre os vários pesticidas provoca um impacto muito maior nestes organismos do que a soma de seus efeitos individuais. Em outras palavras: a agricultura tem matado muito mais abelhas do que se pensava, e as consequências disso podem ser desastrosas.

As abelhas despenham um papel fundamental para a polinização, mas as novas evidências revelam uma crescente queda na população destes insetos em escala global. O novo estudo procurou entender a interação entre os agroquímicos, parasitas e desnutrição no comportamento desses animais.

Os pesquisadores descobriram que, quando os diferentes estressores se combinam, eles elevam a probabilidade de morte das abelhas.

O co-autor do artigo, Harry Siviter, da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, diz que os resultados demonstraram que o atual processo regulatório não protege as abelhas das consequências indesejáveis e mortais, diante da grande exposição a agroquímicos complexos.

“Continuar a expor as abelhas a vários estressores antrópicos na agricultura resultará no declínio contínuo das abelhas e seus serviços de polinização, em detrimento da saúde humana e do ecossistema”, acrescente Siviter.

Além disso, os insetos polinizadores enfrentam ameaças da agricultura de maneira intensiva, incluindo outros produtos nocivos como fungicidas e pesticidas, conforme ressalta Adam Vanbergen, pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisa Agronômica da França.

Ele também destaca a redução de pólen e néctar de flores silvestres disponíveis para estes insetos em decorrência da destruição dos ecossistemas, e a importância de mais pesquisas sobre os outros polinizadores — os quais podem reagir aos estressores de maneiras diferentes.

A pesquisa foi publicada no dia 4 de agosto deste ano, na revista Nature.

A importância das abelhas para a nossa sobrevivência

De acordo com a Organização Mundial das Nações Unidas (ONU), as abelhas são responsáveis por cerca de 73% da polinização de plantas cultivadas, o que significa que, sem elas, não existiriam frutas silvestres, tomates, abacates e muitos outros alimentos que fazem parte do nosso cotidiano.

Enquanto polinizam, elas também desempenham esse serviço ambiental, contribuindo para a recuperação de ecossistemas.

A ausência de abelhas no planeta, ou simplesmente uma drástica redução em sua população mundial, implica em consequências não apenas para a nossa alimentação, mas para toda a cadeia alimentar. Por exemplo, são elas as responsáveis, em grande parte, pela polinização mundial da alfafa, amplamente utilizado para alimentação de gado. Sem elas, a alimentação de animais herbívoros fica comprometida, afetando até mesmo a produção de alimentos lácteos.

O fim das abelhas é quase um sinônimo para o fim dos ecossistemas terrestres, pois, sem a polinização delas, os alimentos de grande parte das aves, assim como muitas outras espécies de insetos e animais, acabaria. Cria-se, então, um grande efeito dominó que reduz os ecossistemas a quase nada.

Apesar disso, a presença delas é um ótimo indicador de saúde de um habitat, por serem um dos insetos mais sensíveis e que menos toleram as alterações climáticas. Então, um jardim repleto delas não é motivo de pânico, mas um bom sinal.

Infelizmente, no Brasil, só no ano passado foram registrados 493 novos agrotóxicos — o maior número já apontado pelo Ministério da Agricultura desde 2000. Este número representa um aumento de 4% em relação ao ano anterior, e os registros não param de subir desde 2016.

Em 2019, cientistas alertaram que quase metade de todas as espécies de insetos, em todo o mundo, estavam em declínio — desse total, um terço pode desaparecer por completo até o fim do século.

Estima-se que uma a cada seis espécies de abelhas já foi regionalmente extinta em algum lugar do mundo. Os especialistas acreditam que as principais causas dessa grande perda se deve ao uso de agroquímicos e à crescente destruição do meio ambiente.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …