Alemanha quer eliminar extremismo de direita de tropa de elite

Com reforma, Ministério da Defesa alemão pretende “apertar o botão de reset” no KSK, unidade de elite das Forças Armadas abalada por escândalos sobre envolvimento de seus membros com extremismo de direita.

A ministra alemã da Defesa, Annegret Kramp-Karrenbauer, apresentou nesta quarta-feira, planos de reforma que devem significar uma profunda transformação no Comando de Forças Especiais (KSK), unidade de elite da Bundeswehr (Forças Armadas) que ocupou manchetes devido a frequentes escândalos sobre envolvimento de seus membros com extremismo de direita.

“Somos obrigados a constatar que, ao menos em partes do KSK, desenvolveu-se uma liderança tóxica, a partir de um conceito equivocado de liderança”, declarou Kramp-Karrenbauer ao apresentar a reforma, em Berlim. Por isso, o KSK não pode continuar como está e precisa ser modificado a partir de dentro, disse a ministra. “Queremos encorajar os corajosos.”

Na prática, isso significa que a tropa de elite do Exército alemão será reduzida e terá menos atribuições. O ponto determinante para a reforma foi a descoberta de um arsenal de armas, munição e explosivos escondido na residência de um soldado do KSK, em maio.

A reforma mira principalmente a segunda companhia de comando, que deverá ser extinta. Em 2017, a companhia organizou uma festa de despedida para um comandante, na qual soldados do KSK arremessaram cabeças de porcos, ouviram rock de extrema direita e fizeram a saudação nazista.

Desde então, o KSK ganhou manchetes na Alemanha várias vezes por causa de incidentes extremistas. Em janeiro de 2020, o presidente do serviço secreto militar alemão (MAD), Christof Gramm, alertou para cerca de 20 casos de suspeita de extremismo de direita no KSK. Proporcionalmente, isso é cinco vezes mais do que em toda a Bundeswehr.

Chance de recomeço

A reforma planejada pelo Ministério da Defesa almeja acabar com o extremismo de direita no KSK. Além da extinção da segunda companhia de comando, membros do KSK em missões ou exercícios no exterior deverão retornar à Alemanha. Cooperações internacionais serão suspensas. Para Kramp-Karrenbauer, essas medidas permitirão ao KSK “apertar o botão de reset” e se reconstituir.

Além disso, a reforma prevê um sistema de rotação. Sobretudo soldados que desejam assumir cargos de comando deverão ter, primeiramente, servido em outras unidades da Bundeswehr. O KSK também não poderá mais formar seus próprios soldados. Essa atribuição caberá ao Exército.

O processo de reforma deverá ser acompanhado por um conselho especial, sob a direção do inspetor-geral da Bundeswehr. O inspetor-geral é o mais alto cargo militar da Bundeswehr e assessora o governo em assuntos militares.

Kramp-Karrenbauer ressaltou que a reforma não é uma punição para o KSK, mas uma oportunidade. “Uma chance sobretudo para as forças do KSK que têm senso crítico de colaborarem pessoalmente para que este KSK, que celebra seu jubileu no próximo ano, seja um KSK melhor.”

A ministra visitou a unidade de elite nesta segunda-feira e deixou claro aos soldados que eles deverão decidir se querem ser parte da solução ou se querem continuar sendo parte do problema.

Unidade de operações sigilosas

O KSK foi criado em 1996, depois de a Alemanha se ver obrigada a apelar para a tropa de elite da Bélgica para resgatar cidadãos alemães durante o genocídio em Ruanda. A unidade emprega hoje cerca de 1.700 pessoas, incluindo militares e funcionários civis.

Idealmente, essa tropa de elite executa suas tarefas de forma eficiente e extremamente sigilosa. Às vezes, porém, algumas missões acabam chegando à imprensa. Foi assim em 2012, quando o KSK prendeu um líder do Talibã no Afeganistão.

Mesmo o porta-voz para assuntos militares do Partido Verde, um partido de raízes pacifistas, elogiou o sucesso da missão. Mas ele também pediu mais transparência na comunicação com o Bundestag (Parlamento).

A Bundeswehr é, afinal, comandada pelos parlamentares. São eles que têm a última palavra sobre missões no exterior. E os relatos que chegam à imprensa sobre o que acontece no KSK devem deixar os deputados alemães preocupados.

Em maio se tornou conhecido o caso de um sargento que foi suspenso do trabalho devido à sua proximidade com o Movimento Identitário, um grupo de extrema direita.

O próprio chefe do KSK, o general de brigada Markus Kreitmayr, afirmou em maio, depois da descoberta do arsenal escondido, que a unidade tem um problema com o extremismo de direita.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Twitter bloqueia conta oficial de campanha de Trump

O Twitter anunciou nesta quarta-feira (5) ter bloqueado temporariamente a conta oficial da campanha de reeleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, por conta de um tuíte que continha informação equivocada sobre a …

Líbano inicia luto nacional e recebe ajuda internacional

Diversos países enviam suprimentos médicos a Beirute. Presidente da França chega ao Líbano para avaliar situação. Megaexplosão deixou ao menos 137 mortos, incluindo diplomata alemão, e mais de 5 mil feridos. Beirute amanheceu nesta quinta-feira (06/08) …

StarShip finalmente levanta voo: a nave que um dia levará cem humanos para Marte e Lua

A SpaceX fez um lançamento de teste com sucesso do seu gigantesco protótipo do StarShip SN5 em Boca Chica, Texas (EUA), a uma altura planejada de 150 metros. A massiva torre de aço inoxidável flutuou no …

EUA conduzem lançamento de teste do míssil balístico Minuteman III

O projétil não tinha ogiva de combate, mas era equipado com três veículos recuperáveis que foram submetidos a testes. Militares dos EUA lançaram na manhã desta terça-feira (4) um míssil balístico Minuteman III a partir da …

Beirute soma mais de 100 mortos e 4000 feridos após explosões

O Líbano vive nesta quarta-feira (5) um dia de luto nacional, após as explosões na região portuária de Beirute, na tarde de ontem. A tragédia soma pelo menos 100 mortos, 4.000 feridos e 300.000 …

Mensagem na areia salva marinheiros desaparecidos no Oceano Pacífico

Trio de marinheiros que havia se desviado de rota e ficado sem combustível foi localizado numa pequena ilha da Micronésia após três dias. Aeronaves avistaram sinal gigante de SOS escrito na areia da praia. Três homens …

Problemas cardíacos duradouros se apresentam em 78% dos pacientes de coronavírus

O entusiastas do retorno da economia para a normalidade defendem suas opiniões geralmente com base no fato da maioria dos pacientes exibirem sintomas leves ou sequer ter qualquer sintoma de coronavírus, comparando negligentemente o Covid-19 …

Governo britânico vai pagar parte da conta de consumo em pubs e restaurantes

Incentivos não vão faltar para quem estava com saudades de frequentar bares, pubs e restaurantes no Reino Unido. Durante o mês de agosto, o governo britânico vai bancar parte da conta de quem sair …

Cientistas revelam origem de estranhos meteoritos encontrados na Terra

Uma equipe de cientistas norte-americanos teoriza que alguns dos meteoritos, que não se encaixam nas duas categorias principais, têm uma origem até hoje desconhecida por astrônomos. Um grupo significante de meteoritos, que existem hoje na Terra, …

Twitter pode ser multado em US$ 250 milhões por abuso de dados dos usuários

O Twitter confessou que, possivelmente, será multado em até US$ 250 milhões pela Comissão Federal de Comércio dos EUA (FTC, no original em inglês) por ter desrespeitado um acordo firmado em 2011 com a agência …