As águas do Antártico podem absorver menos CO2 do que antecipávamos

A vastidão das águas geladas que separa o continente da Antártida dos restantes continentes é um poço de mistério para a maioria das pessoas. Contudo, este remoto, tempestuoso oceano trás grandes benefícios para a humanidade.

Segundo estimativas dos cientistas, a cada ano, o oceano Antártico absorve cerca de 40% das emissões de dióxido de carbono emitidos pelas populações humanas aquando da queima dos combustíveis fosseis.

Isto ajuda imenso a abrandar o passo cada vez mais rápido do aumento dos gases de estufa na atmosfera e a conter em parte as alterações climáticas. Contudo, alguns pontos do oceano poderão estar a trabalhar no sentido oposto.

Os cientistas têm procurado de forma ambiciosa medir quando dióxido de carbono o oceano consegue absorver, usando sondas de alta profundidade que navegam pelos vários cantos do oceano.

O que os cientistas descobriram foi, contudo, surpreendente. Durante os meses do frio, escuro e rigoroso inverno Antártico, partes do oceano libertam dióxido de carbono em vez de o absorver.

Os dados recolhidos pelos cientistas leva-os a ponderar o quão mais complexo é o senário, e o quanto dióxido de carbono pode o oceano austral pode afinal absorver. Questionam-se também para onde escapa o dióxido de carbono, se para um outro oceano, para a atmosfera ou para a vegetação.

Os investigadores têm assim então de reavaliar as suas ideias sobre o fluxo de carbono na Terra.

Ao contrário das águas de outros oceanos, onde os continentes que os bordam moldam as correntes e restringem os seus movimentos, no oceano Antártico as águas fluem sem impedimento em redor do continente Antártico.

Isto cria um fenómeno de circulação de água em que as partes profundas do oceano são circuladas para a superfície, e vice-versa. Esta circulação de água da superfície para a profundidade, pensa-se, é uma das responsáveis pela capacidade do oceano para captar dióxido de carbono.

As águas á superfície absorvem o carbono que é depois movido para baixo na coluna de água. Em contrário, a água das profundezas sobre com um teor menos de carbono (ainda tem algum derivado dos seres vivos que morrem e vão dar ao fundo o oceano).

É importante compreender o papel deste oceano a nível da captação de dióxido de carbono e a sua contribuição para a retardação das alterações climáticas.

Das estimadas 375 giga toneladas (uma giga tonelada são 1 milhão de toneladas) de dióxido de carbono libertadas entre 1750 (início da era industrial) até 2011, estima-se que o oceano austral tenha absorvido cerca de 42 giga toneladas. Mais de 10% do total.

Importa perceber se este dióxido de carbono é definitivamente sequestrado, ou se há alguma dinâmica de sequestro e libertação, ou mesmo uma capacidade máxima, sem efeito para a sua acumulação.

Compreender o sistema de funcionamento e as dinâmicas do dióxido de carbono em relação ao oceano Antártico poderão ajudar a refinar os modelos de previsão das alterações climatéricas. Isso ajudar-nos-ia a perceber melhor onde estaríamos, daqui a 20 ou mesmo 50 anos, e a perceber melhor que medidas tomar para reverter as alterações climatéricas.

Ciberia //

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Navio de combate alemão da 1ª Guerra Mundial é encontrado nas Malvinas

Um cruzador alemão, afundado pelos britânicos durante a Primeira Guerra Mundial em 8 de dezembro de 1914, foi achado perto da costa das ilhas Malvinas. Trata-se do SMS Scharnhorst, principal navio da esquadra do almirante Maximilian …

Impeachment de Trump avança nos EUA: entenda o caso em poucas palavras

Você já deve ter ouvido falar que a reação a um polêmico telefonema com um líder estrangeiro ameaça o futuro da Presidência de Donald Trump. O presidente americano enfrenta um inquérito de impeachment sob a acusação …

Twitter vai ser mais rígido com conteúdo adulto na internet e preocupa criadores

Desde o ano passado tem sido mais difícil para os criadores de páginas com o perfil NSFW (Not Safe for Work ou não seguro para ver no trabalho — impróprio, em tradução livre) ter seus …

Otan tenta exibir união, enquanto líderes são flagrados falando de Trump

Chefes de Estado e de Governo de 29 países participaram nesta quarta-feira (4) do segundo dia da cúpula de aniversário de 70 anos da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), em Watford, nos arredores …

Radar aéreo descobre um navio viking em uma fazenda

Um estudo do Instituto Norueguês de Pesquisa do Patrimônio Cultural (NIKU) descobriu um navio viking em uma fazenda usando radar aéreo. O achado foi uma surpresa e um golpe de sorte, uma vez que este local …

Casamentos entre pessoas do mesmo sexo saltam 61,7% no Brasil

O número de casamentos realizados entre pessoas do mesmo sexo em 2018 aumentou 61,7% em relação ao ano anterior, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (04/12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com …

Uber do entulho te ajuda a descartar resíduos corretamente

O lixo é definitivamente um problema contemporâneo de dimensões globais – e não só a qualidade, o material ou o destino desse lixo, mas também a forma de descarta-lo. Dos 387 quilos de resíduos que o …

Asteroide passará perto da Terra a 27.000 km/h na sexta-feira, alerta NASA

Um grande corpo celeste está se movendo na direção da Terra e chegará ao ponto mais próximo do nosso planeta nesta sexta-feira (6). De acordo com as estimativas da NASA, o asteroide 2019 WR3 mede entre …

Mensagem misteriosa pintada em urso polar na Rússia alarma pesquisadores

Imagens compartilhadas por perfis russos nas redes sociais com um urso polar pintado em spray com o símbolo "T-34" ter alarmado especialistas. Eles advertem que a pintura — cujas circunstâncias ainda não foram identificadas — pode …

Experimento deve provar que microgravidade inibe crescimento de tumores

De onde estiver, Stephen Hawking segue presente na ciência, e seus últimos conselhos devem render uma descoberta para lá de impressionante (e revolucionária). Em conversa com um pesquisador da Austrália, o gênio da física falou sobre …