Astrônomos resolvem mistério de estrela que explodiu e desapareceu há mais de 500 anos

Michael Sara, autor principal do estudo, assegura: “Esta é a primeira nova [explosão menor que uma supernova] que recuperamos com toda a certeza, tendo por base os registro chineses, coreanos e japoneses de há quase 2500 anos”.

Em 11 de março de 1437, os astrônomos coreanos observaram aquilo que pensavam ser uma nova e brilhante estrela na cauda da constelação Escorpião, que 14 dias depois desapareceu.

No entanto, mais de 500 anos depois, cientistas conseguiram seguir o rastro do corpo celeste e descobriram que se tratava apenas de uma explosão clássica de uma nova – uma nova anã de maior luminosidade – e conseguiram identificar o sistema de estrelas binárias que o causou.

“Esta é a primeira nova que recuperamos com toda a certeza, tendo por base os registros chineses, coreanos e japoneses de há quase 2500 anos”, assegura Michael Sara, astrofísico do Museu Americano de História Natural, em Nova York, nos EUA, e principal autor do estudo publicado nesta quarta-feira (30) na revista Nature.

A pesquisa suporta a teoria de que a explosão de novas em um sistema de duas estrelas pode ser produzido em ciclos de milhares de anos, com possíveis períodos de hibernação.

Nesses sistemas, compostos por uma anã branca – resto estelar com pouco combustível nuclear – e outra estrela evoluída, a primeira “rouba” hidrogênio da companheira e provoca uma explosão termonuclear, que pode fazer a estrela brilhar até 300 mil vezes mais do que o Sol.

De acordo com Michael e a sua equipe, entre cada explosão há pequenas erupções menores de estrelas anãs novas e de sistemas binários intermediários. Não se tratam de entidades separadas, mas de um mesmo sistema que se repete várias vezes até 100 mil vezes durante milhares de milhões de anos.

Para demonstrá-lo, os peritos reviram os registros astronômicos históricos da Universidade de Harvard, nos EUA, desde 1885 até 1993 e uma série de fotografias de diferentes décadas. As imagens corroboraram que, em cada período, a mesma estrela se encontrava em um estado distinto.

“Da mesma forma que um ovo, uma lagarta, uma larva e uma borboleta são todas as fases da vida do mesmo organismo, agora temos um forte apoio à ideia de que os sistemas binários são todos a mesma coisa vista em diferentes fases da vida”, destaca Sara.

Ainda que fique por compreender a evolução destes sistemas, a descoberta permitiu desenvolver uma espécie de relógio astronômico para medir a idade de certas estrelas, através da data dos seus movimentos.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Processo contra o Google nos EUA pode afetar o modo como você usa seu celular

Na última terça-feira (23), o Departamento de Justiça dos EUA entregou um "presente de Halloween" pouco agradável ao Google: um gigantesco processo antitruste, acusando a empresa de práticas que eliminam a competição nos mercados de …

Chilenos decidem a favor de nova Constituição por ampla maioria

Em plebiscito, quase 80% dos eleitores votam a favor de uma nova Carta Magna, em substituição à herdada da era Pinochet, e de que ela seja escrita por uma Assembleia Constituinte com igualdade entre mulheres …

'Vai comprar lá na Venezuela', rebate presidente a apoiador que reclamou de preço do arroz

O presidente Jair Bolsonaro rebateu neste domingo (25), durante passeio de moto por Brasília, crítica de apoiador sobre a alta do preço do arroz. No momento em que saia da Feira Permanente do Cruzeiro, região administrativa …

Espanha, Itália e França ampliam restrições em fim de semana com recorde de casos da Covid-19

Os líderes europeus intensificam as medidas de combate à pandemia do coronavírus, depois da alta de 42% de novos casos da Covid-19 em uma semana. A Itália reforçou neste domingo as medidas de restrição …

Pistachio, o cãozinho filhote que nasceu com pelo verde na Itália

O fazendeiro italiano Cristian Mallocci esperava uma ninhada normal de cachorros de sua cadelinha labradora. Entretanto, ao ver os filhotinhos que nasceram, ele percebeu que um era um pouquinho diferente. ‘Pistachio’, como foi nomeado posteriormente, …

Fóssil de pterossauro nunca antes visto de 100 milhões de anos é descoberto na China

Um novo gênero e uma nova espécie de pterossauro dsungaripterídeo, que viveu durante o Cretáceo Inferior, foram catalogados na China após análise de uma mandíbula inferior incompleta. Pterossauros eram répteis voadores que viveram simultaneamente com os …

A consciência é um campo energético: afirma estudo

Uma nova ideia incomum em neurociência sugere que nossa consciência é derivada de um campo de ondas eletromagnéticas emitidas pelos neurônios quando disparam suas cargas elétricas. A ideia é que essas ondas de atividade elétrica sejam …

Pais gays viram alvo de investigações na Rússia

Alguns anos atrás, o advogado Vladimir (nome modificado), morador de uma grande cidade russa, decidiu ter um filho com o auxílio de uma mãe de aluguel. Sua família inteira ficou contente quando uma menina nasceu. …

Líbano: Saad Hariri volta ao posto de primeiro-ministro para formar novo governo

Saad Hariri foi nomeado novamente primeiro-ministro do Líbano, com o desafio de chegar a um acordo com as várias forças políticas do país e formar um governo capaz de realizar as reformas necessárias para …

Alunos incentivam câmeras ligadas para que professores não ‘falem’ com telas em branco

Para amenizar a sensação de solidão de professores em aulas online, alunos norte-americanos começaram a usar o TikTok para incentivar mais estudantes a abrirem as câmeras durante encontros educacionais à distância. A usuária da rede social …