Astrônomos resolvem mistério de estrela que explodiu e desapareceu há mais de 500 anos

Michael Sara, autor principal do estudo, assegura: “Esta é a primeira nova [explosão menor que uma supernova] que recuperamos com toda a certeza, tendo por base os registro chineses, coreanos e japoneses de há quase 2500 anos”.

Em 11 de março de 1437, os astrônomos coreanos observaram aquilo que pensavam ser uma nova e brilhante estrela na cauda da constelação Escorpião, que 14 dias depois desapareceu.

No entanto, mais de 500 anos depois, cientistas conseguiram seguir o rastro do corpo celeste e descobriram que se tratava apenas de uma explosão clássica de uma nova – uma nova anã de maior luminosidade – e conseguiram identificar o sistema de estrelas binárias que o causou.

“Esta é a primeira nova que recuperamos com toda a certeza, tendo por base os registros chineses, coreanos e japoneses de há quase 2500 anos”, assegura Michael Sara, astrofísico do Museu Americano de História Natural, em Nova York, nos EUA, e principal autor do estudo publicado nesta quarta-feira (30) na revista Nature.

A pesquisa suporta a teoria de que a explosão de novas em um sistema de duas estrelas pode ser produzido em ciclos de milhares de anos, com possíveis períodos de hibernação.

Nesses sistemas, compostos por uma anã branca – resto estelar com pouco combustível nuclear – e outra estrela evoluída, a primeira “rouba” hidrogênio da companheira e provoca uma explosão termonuclear, que pode fazer a estrela brilhar até 300 mil vezes mais do que o Sol.

De acordo com Michael e a sua equipe, entre cada explosão há pequenas erupções menores de estrelas anãs novas e de sistemas binários intermediários. Não se tratam de entidades separadas, mas de um mesmo sistema que se repete várias vezes até 100 mil vezes durante milhares de milhões de anos.

Para demonstrá-lo, os peritos reviram os registros astronômicos históricos da Universidade de Harvard, nos EUA, desde 1885 até 1993 e uma série de fotografias de diferentes décadas. As imagens corroboraram que, em cada período, a mesma estrela se encontrava em um estado distinto.

“Da mesma forma que um ovo, uma lagarta, uma larva e uma borboleta são todas as fases da vida do mesmo organismo, agora temos um forte apoio à ideia de que os sistemas binários são todos a mesma coisa vista em diferentes fases da vida”, destaca Sara.

Ainda que fique por compreender a evolução destes sistemas, a descoberta permitiu desenvolver uma espécie de relógio astronômico para medir a idade de certas estrelas, através da data dos seus movimentos.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Reprovação a Bolsonaro volta a subir, afirma Datafolha

O Instituto Datafolha apurou que a reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro aumentou ainda mais, passando para 53% entre as pessoas consultadas, segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (17/02) pelo jornal Folha de S. …

Empresa norueguesa assegura que pode 'eliminar' furacões antes que se tornem destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de cortina de bolhas proposto pela empresa poderia ela própria provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, startup norueguesa, assegura que sua tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem poderosos …

Limitar aquecimento global a 1,5ºC exige redução drástica de gases poluentes, mostra relatório

Manter a temperatura da Terra a 1,5°C será impossível sem uma redução massiva das emissões de gases poluentes. É o que mostra um novo relatório divulgado pela ONU nesta quinta-feira (16). O documento "United …

Alemanha libera entrada para brasileiros que apresentem teste negativo

A Alemanha vai deixar de considerar o Brasil como área de alto risco na pandemia do novo coronavírus a partir deste domingo, anunciou nesta sexta-feira (17/09) o Instituto Robert Koch (RKI), a agência governamental alemã …

Assembleia-Geral da ONU: exigência de vacina ainda não está decidida, mas é improvável que Bolsonaro seja barrado

Perdeu força a possibilidade de que líderes de países tenham que comprovar que se vacinaram contra a covid-19 para participar da 76ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece na semana que vem …

Submarinos: França perde o "contrato do século" para a Austrália, que opta por EUA e Reino Unido

O jornal econômico Les Echos estampa em sua primeira página desta quinta-feira (16) uma notícia, ainda no condicional, que se concretizaria durante a madrugada: "A Austrália desiste de uma encomenda de 12 submarinos franceses …

VSR: o pouco conhecido vírus que se espalha entre crianças no mundo e também no Brasil

No início de 2021, a equipe do Hospital Infantil de Maimonides, no Brooklyn, em Nova York (EUA), começou a experimentar uma cautelosa sensação de alívio. Os casos de covid-19 na cidade estavam em queda. Como …

Com popularidade em queda, premiê britânico Boris Johnson reforma equipe de governo

Após semanas de boatos, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, decidiu modificar o governo nesta quarta-feira para formar uma "equipe unida" e enfrentar os desafios depois de um ano e meio de pandemia e em …

Relatório lista mais de uma dezena de crimes atribuídos a Bolsonaro

Um grupo de juristas liderados pelo ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior entregou nesta terça-feira (14/09) à CPI da Pandemia um relatório de 226 páginas com possíveis crimes cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro durante a …

Simulação virtual mais realista de sempre do Universo é revelada

Um dos aspectos mais incríveis da simulação é que mostra a evolução da matéria durante praticamente os 13,8 bilhões de anos de história do Universo, desde o Big Bang até a atualidade. Uma equipe internacional de …