As bananas estão em risco de extinção

Uma banana selvagem, que só existe em Madagascar, pode ser crucial para a proteção das plantações de banana comestível. A má notícia é que ela foi colocada na lista de espécies ameaçadas de extinção.

Cerca de 40% das bananas consumidas em todo o mundo são de um tipo conhecido como Cavendish, vulnerável a uma doença conhecida como o “mal do Panamá”, causada pelo fungo F. oxysporum.

A doença está confinada à Ásia, pelo menos por enquanto. No entanto, se chegar ao continente americano pode desencadear uma verdadeira catástrofe, principalmente à América do Sul, dado que o Equador é o principal exportador do fruto e, se a doença chegar por lá, poderá colocar em perigo o abastecimento dos mercados.

Mas há uma espécie que cresceu completamente isolada, longe da ilha principal de Madagascar. Ela pode ter propriedades distintas dos demais tipos de fruta, defende um especialista dos Royal Botanic Gardens, em Kew, no Reino Unido. Por esse motivo, o cientistas afirmam ser essencial conservar a “espécie solitária”.

“Essa espécie não tem o mal do Panamá, portanto talvez tenha traços genéticos que lutem contra a doença. Não saberemos até analisarmos a banana, mas não podemos fazer isso até que ela seja salva”, afirmou Richard Allen à BBC.

No entanto, a espécie foi colocada na lista de espécies ameaçadas de extinção. Mas há ainda um fio de esperança, já que os cientistas esperam que a inclusão desse tipo de banana em uma lista de alerta da Organização Internacional para a Conservação da Natureza acelere o processo de proteção.

Hélène Ralimanana, do jardim botânico londrino, diz que é muito importante conservar essa banana “porque ela tem grandes sementes, que podem oferecer a oportunidade de se encontrar um gene para melhorar a banana cultivada”.

Esse tipo de banana produz sementes dentro da fruta, ou seja, não é comestível. Mas um cruzamento de espécies podem levar à criação de um novo tipo da fruta que, além de comestível, pode ser resistente também.

A espécie mais plantada na América do Sul, até os anos 50 do século passado, era a Gros Michel, mas foi devastada por uma epidemia do mesmo fungo. O fato de as bananas não terem sementes as tornam bastante vulneráveis.

Nos últimos tempos, têm existido vários estudos com o objetivo principal de analisar um possível trabalho genético para tornar as bananas mais resistentes, como revela um estudo publicado na Nature. Essa pode ser a estratégia certa para que continuemos a desfrutar do agradável sabor dessa fruta.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Alunos incentivam câmeras ligadas para que professores não ‘falem’ com telas em branco

Para amenizar a sensação de solidão de professores em aulas online, alunos norte-americanos começaram a usar o TikTok para incentivar mais estudantes a abrirem as câmeras durante encontros educacionais à distância. A usuária da rede social …

Identificada a causa da maior extinção em massa na história da Terra

A vida na Terra tem uma história longa, mas também extremamente turbulenta. Em mais de uma ocasião, a maioria de todas as espécies foi extinta e uma biodiversidade já altamente desenvolvida reduziu para um mínimo …

Cães farejadores de covid: eficazes e baratos, mas esnobados

A Europa está em pânico em meio ao segundo surto de covid-19, com taxas de contágio explodindo e os PIBs despencando. A Bélgica acaba de anunciar que não mais testará cidadãos assintomáticos, mesmo que tenham …

Bolsonaro é avaliado positivamente por 37% da população, diz pesquisa

Entre os que souberam do dinheiro na cueca do senador Chico Rodrigues (52%), 74% não mudaram sua avaliação sobre o presidente Bolsonaro. Os que mais mudaram de opinião foram os pesquisados com ensino superior (26%) …

Tribunal Constitucional da Polônia invalida direito ao aborto por malformação do feto

O Tribunal Constitucional da Polônia invalidou nesta quinta-feira (22) uma disposição que permitia a interrupção voluntária da gravidez (IVG) em caso de malformação do feto. Uma vez que a decisão entre em vigor, apenas o …

Estudo descobre 1,8 bilhão de árvores no deserto do Saara e no Sahel

Um estudo publicado na revista Nature descobriu que na região do Saara Ocidental e no Sahel, há mais de um bilhão de árvores. No meio da aridez do local, a surpreendente descoberta colocou um novo …

Guerra Fria 2.0 entre EUA e China será uma batalha tecnológica, dizem especialistas

A batalha mundial pelo domínio da alta tecnologia está cada vez mais centrada em EUA e China. Com confronto aberto no caso da Huawei, especialistas do clube Valdai alertam para uma longa guerra fria tecnológica …

Combate à corrupção reduz mortalidade infantil, aponta estudo

Auditorias anticorrupção realizadas em municípios brasileiros entre 2003 e 2015 reduziram a mortalidade infantil. Esta é a principal conclusão de um estudo, conduzido por pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, que relacionou o …

2.300 maneiras de prevenir o Covid-19 foram mapeadas por universidade brasileira

Está disponível online a Plataforma das Universidades contra COVID-19 organizada pelo Projeto Ciência Popular e desenvolvida em parceria com a Empresa Júnior de Sistemas de Informação da EACH/USP (Síntese Jr.). Em setembro havia sido publicado o …

Debate nos EUA: Trump não disse nada de novo para reverter vantagem de Biden, diz historiador

O segundo e último debate entre o presidente americano, Donald Trump, e seu rival democrata Joe Biden, nesta quinta-feira (22), em Nashville, foi mais civilizado do que a primeira confrontação entre os dois candidatos …