Boeing teria ocultado problemas do 737 MAX por um ano

traft-carissan / Flickr

Avião Boeing 737-800 da frota da Transavia

A Boeing, empresa norte-americana, está sendo investigada depois de duas de suas aeronaves mais vendidas terem caído em cinco meses, provocando a morte de 346 pessoas.

Com a mídia apontando um comportamento suspeito da empresa após o acidente com uma de suas aeronaves, operadas pela companhia aérea Lion Air em outubro, novos relatórios sugerem que a Boeing não foi informada sobre os problemas do sistema de alerta do novo avião da empresa.

Segundo o jornal The Wall Street, autoridades do setor da aviação e do governo disseram que a Boeing Co., sediada em Chicago, tinha há um ano conhecimento do problema envolvendo o alerta de segurança na cabine da aeronave Boeing 737 MAX, antes mesmo que uma dessas aeronaves caísse na Indonésia em outubro de 2018.

Contudo, a empresa não forneceu explicações consistentes aos pilotos e às operadoras após o primeiro acidente com a aeronave, tornando-se “mais aberta” às companhias aéreas somente após o segundo acidente envolvendo o 737 MAX, que caiu na Etiópia.

Um recente relatório sobre o alerta de desacordo dos sensores de ângulo de ataque (AOA, na sigla em inglês), revelou que os engenheiros da Boeing encontraram problemas no software do sistema, afirmando não cumprir os requisitos exigidos, em 2017, meses depois de iniciar a entrega das aeronaves 737 MAX.

A empresa também admitiu que o software ativou o AOA, mostrando que os sensores AOA se contradizem apenas se a aeronave tiver um indicador AOA, que é designado para informar a tripulação sobre o mau funcionamento de um deles, contudo, o indicador era um recurso opcional para as companhias aéreas.

De acordo com a Boeing, uma análise interna concluiu que a questão “não impactou negativamente a segurança da aeronave”, ressaltando que os problemas foram descobertos depois da queda do avião da Lion Air.

“Naquele momento, a Boeing informou para a FAA [Administração Federal de Aviação] que os engenheiros da Boeing identificaram a questão do software em 2017 e determinou por padrão da Boeing que o processo não impactou negativamente a segurança ou operação da aeronave”, indica o relatório da empresa.

Vale destacar que as leituras equivocadas de sensores AOA que fizeram computadores da aeronave direcionar o jato para baixo foram relacionadas às quedas de aviões 737 MAX na Indonésia e na Etiópia, de acordo com relatórios preliminares de investigadores.

Após os acidentes envolvendo as aeronaves 737 MAX 8, que mataram 346 pessoas, vários países, incluindo EUA, China, Índia, Egito, Vietnã e EU, bloquearam a aeronave em seu espaço aéreo, enquanto as investigações são realizadas.

Até o momento, o sistema de aumento de características de manobra (MCAS) tem sido julgado como possível causa dos acidentes envolvendo as aeronaves da Boeing.

O MCAS foi projetado como um recurso de segurança. Quando o MCAS detecta que o avião está subindo em um ângulo vertical elevado sem a velocidade necessária, que eleva as chances de estolagem (perda de sustentação aerodinâmica) da aeronave, ele move o estabilizador horizontal na cauda para levar o nariz do avião para baixo.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Oceano de magma revela que a Lua surgiu milhões de anos antes do imaginado, diz estudo

O magma fundido que cobria a Lua ao se formar levou "quase 200 milhões de anos" para se solidificar em rocha de manto, 85 milhões de anos depois da data de consenso, mostra estudo alemão. Uma …

Vacina da Moderna mostra resultado e vai para fase final de testes

Candidata a vacina gera anticorpos e é bem tolerada por participantes, afirma empresa americana. A partir de 27 de julho, 30 mil pessoas vão participar da fase final e decisiva dos ensaios clínicos nos Estados …

Maior educação feminina e controle da natalidade farão população mundial crescer menos

A população mundial deve começar a encolher na segunda metade do século 21, atingindo 8,8 bilhões em 2100, cerca de 2 bilhões a menos do que previa a ONU. O estudo foi publicado nesta …

Museu da Língua Portuguesa lança projeto que usa a palavra para lidar com as dores da pandemia

A palavra não é somente nossa maior ferramenta de comunicação e um dos principais instrumentos para a criação humana – ela pode ser também um remédio. Usar a palavra para curar nossos males e dores é …

Estudo indica que imunidade ao coronavírus é temporária

Pesquisadores britânicos monitoraram os níveis de anticorpos contra a covid-19 em 90 pacientes recuperados. Resultados sugerem que o contato com o vírus só fornece imunidade por alguns meses, como no caso da gripe. Pacientes que se …

Essa é a explosão mais forte na história do universo e acabou de ser detectada

A maior explosão no Universo desde o Big Bang foi descoberta, localizada no aglomerado de galáxias Ophiuchus a milhões de anos-luz de distância de nós. O evento liberou cinco vezes mais energia do que a …

Encontradas espécies que vivem em 'deserto marinho' no oceano Pacífico

Cientistas usaram a oportunidade de visitar o sul do oceano Pacífico para retirar amostras de uma área oceânica particularmente pobre em vida, lançando luz sobre uma região marinha inóspita. Pesquisadores alemães do Instituto Max Planck de …

Polícia alemã tenta capturar "Rambo da Floresta Negra"

As autoridades de segurança do estado alemão de Baden-Württemberg estão conduzindo nesta segunda-feira (13/07) uma megaoperação para capturar um fugitivo armado com pistolas e um arco e flecha que se esconde na Floresta Negra, no …

Rio começa a implementar sistema de iluminação inteligente

O conceito de smart cities está por aí há anos e nas últimas temporadas tem se tornado cada vez mais uma realidade no Brasil, graças aos avanços tecnológicos. O Rio de Janeiro é mais uma …

Coágulos sanguíneos em “quase todos os órgãos” de pacientes que morrem de Covid-19

Pesquisas de autópsias em pacientes com Covid-19 mostraram coágulos sanguíneos presentes não exclusivamente nos pulmões, mas sim em “quase todos os órgãos”, afirmou uma patologista da Universidade de Nova York à CNN na última semana. A …