Boeing teria ocultado problemas do 737 MAX por um ano

traft-carissan / Flickr

Avião Boeing 737-800 da frota da Transavia

A Boeing, empresa norte-americana, está sendo investigada depois de duas de suas aeronaves mais vendidas terem caído em cinco meses, provocando a morte de 346 pessoas.

Com a mídia apontando um comportamento suspeito da empresa após o acidente com uma de suas aeronaves, operadas pela companhia aérea Lion Air em outubro, novos relatórios sugerem que a Boeing não foi informada sobre os problemas do sistema de alerta do novo avião da empresa.

Segundo o jornal The Wall Street, autoridades do setor da aviação e do governo disseram que a Boeing Co., sediada em Chicago, tinha há um ano conhecimento do problema envolvendo o alerta de segurança na cabine da aeronave Boeing 737 MAX, antes mesmo que uma dessas aeronaves caísse na Indonésia em outubro de 2018.

Contudo, a empresa não forneceu explicações consistentes aos pilotos e às operadoras após o primeiro acidente com a aeronave, tornando-se “mais aberta” às companhias aéreas somente após o segundo acidente envolvendo o 737 MAX, que caiu na Etiópia.

Um recente relatório sobre o alerta de desacordo dos sensores de ângulo de ataque (AOA, na sigla em inglês), revelou que os engenheiros da Boeing encontraram problemas no software do sistema, afirmando não cumprir os requisitos exigidos, em 2017, meses depois de iniciar a entrega das aeronaves 737 MAX.

A empresa também admitiu que o software ativou o AOA, mostrando que os sensores AOA se contradizem apenas se a aeronave tiver um indicador AOA, que é designado para informar a tripulação sobre o mau funcionamento de um deles, contudo, o indicador era um recurso opcional para as companhias aéreas.

De acordo com a Boeing, uma análise interna concluiu que a questão “não impactou negativamente a segurança da aeronave”, ressaltando que os problemas foram descobertos depois da queda do avião da Lion Air.

“Naquele momento, a Boeing informou para a FAA [Administração Federal de Aviação] que os engenheiros da Boeing identificaram a questão do software em 2017 e determinou por padrão da Boeing que o processo não impactou negativamente a segurança ou operação da aeronave”, indica o relatório da empresa.

Vale destacar que as leituras equivocadas de sensores AOA que fizeram computadores da aeronave direcionar o jato para baixo foram relacionadas às quedas de aviões 737 MAX na Indonésia e na Etiópia, de acordo com relatórios preliminares de investigadores.

Após os acidentes envolvendo as aeronaves 737 MAX 8, que mataram 346 pessoas, vários países, incluindo EUA, China, Índia, Egito, Vietnã e EU, bloquearam a aeronave em seu espaço aéreo, enquanto as investigações são realizadas.

Até o momento, o sistema de aumento de características de manobra (MCAS) tem sido julgado como possível causa dos acidentes envolvendo as aeronaves da Boeing.

O MCAS foi projetado como um recurso de segurança. Quando o MCAS detecta que o avião está subindo em um ângulo vertical elevado sem a velocidade necessária, que eleva as chances de estolagem (perda de sustentação aerodinâmica) da aeronave, ele move o estabilizador horizontal na cauda para levar o nariz do avião para baixo.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

China consegue pousar veículo não tripulado em Marte

A China conseguiu neste sábado pousar um veículo autônomo não tripulado em Marte. A fase final da operação Tianwen-1 aconteceu sem falhas, informou a TV estatal chinesa, que transmitiu um programa especial chamado Alo …

Lewandowski permite que Pazuello fique em silêncio na CPI

Ex-ministro da Saúde será obrigado a comparecer ao depoimento, mas não precisará responder perguntas que possam incriminá-lo. No entanto, será obrigado a falar a verdade em fatos e questões relacionados a terceiros. O ministro do Supremo …

Como o coronavírus afeta o fígado

O SARS-CoV-2, vírus causador da covid-19, mudou completamente a cara do mundo que conhecíamos até então. Ele afetou praticamente todos os aspectos da vida cotidiana e causou mudanças substanciais nas ciências da saúde e, portanto, na …

'Síndrome de Havana': lesão cerebral atinge ao menos 130 diplomatas e oficiais americanos, dizem EUA

Diplomatas, agentes da CIA e oficiais de defesa dos EUA relataram sintomas graves da perturbação conhecida como "síndrome de Havana" nas últimas semanas. O elevado número de casos causa espanto. Nas últimas semanas, foram relatados mais …

RJ comunica 1º caso de raiva em cachorro em quase três décadas

Pela primeira vez desde 1995, o Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp) do Rio de Janeiro diagnosticou um caso de raiva animal. A descoberta parte do resultado de perícia no corpo de um cão morto …

O que dizem cientistas sobre isenção de máscaras para vacinados nos EUA

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (13/05) o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção na maioria das situações para pessoas que já foram completamente vacinadas contra a covid-19. Segundo a nova orientação do …

Putin: Rússia reagirá de maneira devida às ameaças perto de suas fronteiras

Durante reunião com membros do Conselho de Segurança da Rússia nesta sexta-feira (14), o presidente da Rússia pediu que lhe fosse reportado sobre o agravamento do conflito israelo-palestino, que toca diretamente os interesses de segurança …

Covid: 16 mil pessoas foram imunizadas com doses de vacina trocadas no Brasil

Um levantamento de dados da Folha de São Paulo com informações do DataSUS, base de dados do Ministério da Saúde, mostrou que pelo menos 16 mil pessoas receberam doses de vacinas diferentes em seu processo …

Covid-19: diretor do Butantan prevê vacinação lenta até setembro no Brasil

Como diretor do Instituto Butantan desde 2017, Dimas Covas sempre precisou aliar o conhecimento técnico e científico com as particularidades do mundo político que, na visão dele, não parecem seguir uma lógica. E essa necessidade se …

Escalada de violência entre israelitas e palestinianos já fez mais de 100 mortos

O conflito entre israelitas e palestinianos subiu de tom na madrugada de hoje, com o Exército israelita a bombardear a faixa de Gaza. Desde segunda-feira já morreram 119 palestinianos nestes ataques, entre eles 31 …