Equador cortou a Internet de Julian Assange

wheelzwheeler / Flickr

Julian Assange, fundador do WikiLeaks

Julian Assange, fundador do WikiLeaks

Faltando três semanas para as eleições presidenciais nos Estados Unidos, uma possível interferência na disputa por conta de documentos vazados pelo site Wikileaks fez com que seu fundador, Julian Assange, tivesse a internet cortada na Embaixada do Equador em Londres, onde está asilado.

A chancelaria equatoriana reconheceu que restringiu temporariamente o acesso de Assange à internet e assinalou que, nas últimas semanas, o australiano divulgou informações que poderiam impactar as eleições presidenciais americanas.

Os últimos materiais revelados pelo Wikileaks, site especializado em vazamento de documentos sigilosos, atingem a candidata democrata Hillary Clinton e têm dado munição à campanha do republicano Donald Trump.

O comunicado da chancelaria equatoriana diz ainda que a divulgação dos documentos é de responsabilidade exclusiva do Wikileaks e que o Equador não quer interferir no processo eleitoral dos Estados Unidos.

O país ressaltou, porém, que a decisão de limitar o acesso do ativista à internet não foi resultado de pressão de Washington.

“O Equador, exercendo seu direito soberano, restringiu temporariamente o acesso à parte de seu sistema de comunicação na embaixada no Reino Unido”, diz o comunicado. “O Equador não cede a pressões de outros países.”

Os Estados Unidos também negaram as acusações do Wikileaks de que teria pedido ao Equador para impedir que o site publicasse documentos sobre a candidata presidencial Hillary Clinton.

Julian Assange está asilado na Embaixada equatoriana em Londres desde 2012 para evitar extradição à Suécia, onde ele é acusado de ter cometido estupro em agosto de 2010, o que ele nega.

O australiano alega que, uma vez na Suécia, poderia ser transferido para os Estados Unidos, onde responderia acusações de espionagem por causa das atividades do Wikileaks.

Em colaboração com diversas organizações de mídia, o Wikileaks foi responsável pela divulgação, em 2010, de cerca de 500 mil documentos confidenciais americanos sobre o Iraque e o Afeganistão, vazados pelo então soldado Bradley Manning, hoje Chelsea Manning.

Entre os materiais vazados estava um vídeo que mostrava a força aérea americana matando civis iraquianos. Manning foi condenada a 35 anos de prisão.

Saia justa

O Wikileaks afirmou pelo Twitter que o Equador havia cortado o acesso de Assange à internet na tarde de sábado. “Podemos confirmar que o Equador cortou o acesso de Assange à internet às 17h do sábado, logo após a publicação dos discursos de Clinton ao Goldman Sachs”, diz o tuíte.

O Wikileaks divulgou recentemente materiais da campanha presidencial de Hillary Clinton, inclusive e-mails hackeados do chefe da campanha democrata, John Podesta.

O site publicou no sábado a transcrição de três discursos pagos que Hillary deu ao banco de investimentos Goldman Sachs – discursos que a campanha da democrata vinha se recusando a divulgar.

O conteúdo revela a relação amistosa que a candidata tem com executivos do setor bancário – o que pode gerar desconfiança entre democratas liberais que não veem com bons olhos a proximidade de Hillary com Wall Street.

Não se sabe quem hackeou os e-mails, mas a campanha da candidata democrata alegou que a divulgação dos documentos havia sido orquestrada por hackers russos com o objetivo de atrapalhar o processo eleitoral. O Wikileaks atua como divulgador e diz não encoraja ações hacker.

Ainda que a equipe de Hillary não tenha confirmado nem negado a autenticidade dos e-mails vazados, não há indícios de que sejam falsos.

Ação secreta na Síria

De acordo com os últimos e-mails vazados, Hillary afirmou em uma palestra no Goldman Sachs que gostaria de intervir secretamente na Síria. Ela fez a afirmação em resposta a uma pergunta de Lloyd Blankfein, chefe executivo do banco, em 2013, meses após deixar o cargo de secretária de Estado.

“Na minha opinião você interfere da maneira mais secreta possível”, disse ela. O banco pagou US$ 225 mil pela palestra.

Apelidada de “falcão” por críticos devido à suas posições firmes em situações de guerra, Hillary criticou fontes do governo que vazam informações sobre operações delicadas para os jornalistas.

“Costumávamos ser melhores do que isso. Agora ninguém consegue se segurar, eles precisam contar aos seus amigos jornalistas ‘olha o que eu estou fazendo, quero colher o mérito por isso'”, disse a presidenciável.

Identificado com a esquerda liberal, Julian Assange gerou controvérsia entre seus apoiadores pelo fato de as últimas revelações do Wikileaks favorecerem o candidato americano mais associado com a direita, Donald Trump.

Em fevereiro, quando Hillary Clinton ainda disputava a nomeação do Partido Democrata, Assange afirmou que um voto na candidata seria “um voto pela guerra sem fim“.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Relíquia do Jurássico: descoberto animal marinho cuja espécie vive há 180 milhões de anos

Um grupo de pesquisadores descreveu uma nova espécie de ofíuros – um animal marinho parecido com as estrelas-do-mar, que recebeu o nome de Ophiojura, informou nesta quinta-feira (17) Tim O’Hara, curador dos Museus Victoria (Austrália) …

Projeto de estrada cortando parque das cataratas de Iguaçu ameaça outras áreas de proteção pelo Brasil

Uma das paisagens naturais mais impressionantes do Brasil e reconhecida pela Unesco, o Parque Nacional do Iguaçu, que abriga as cataratas, no Paraná, pode ser cortado ao meio por uma rodovia asfaltada – em …

Por que a imunidade de rebanho está longe de ser realidade

Embora costume ser apresentada como simples cálculo matemático, alcançar a imunidade de rebanho não é tarefa fácil. Ela não só depende da infecciosidade das variantes, como da adoção de medidas sanitárias pela população. Apesar das campanhas …

Uso de maconha na adolescência pode atrapalhar o desenvolvimento do cérebro

O consumo de maconha pode ser prejudicial ao cérebro humano durante a adolescência, de acordo com estudo publicado na última quarta-feira (16). Segundo a pesquisa, realizada em regiões da Europa, o uso recreativo da planta pode …

EUA terão feriado para comemorar fim da escravidão

Data já celebrada na maioria dos estados vai se tornar feriado federal. O "Juneteenth" lembra dia em que os últimos escravos negros foram libertados no país, em 1865. Após aprovação pelo Congresso dos Estados Unidos na …

5 perguntas sobre os denisovanos, 'parentes' extintos dos humanos modernos que viveram na Terra há 50 mil anos

Desde que os primeiros vestígios dos denisovanos foram descobertos em 2008, os cientistas não descansaram tentando obter mais informações sobre eles. A tarefa, no entanto, não tem sido fácil, porque até agora só foram encontrados pequenos …

Calheiros anuncia nome das 14 pessoas que passaram de testemunhas a investigados na CPI da Covid

Segundo senador, é preciso mudar o "patamar" da investigação pois já há provas e indícios concretos contra as pessoas inseridas na lista, que agora será encaminhada ao presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM). Nesta sexta-feira (18), …

Turistas “madrugam” para visitar Disneyland Paris, que reabre após oito meses por causa da pandemia

Depois de oito meses de portas fechadas, o parque Disneyland Paris reabriu para o público nesta quinta-feira (17). A atração, um dos principais destinos turísticos da Europa, volta a funcionar, mas mantém medidas sanitárias …

Cientistas desvendam mistério de 'apagamento' de estrela gigante Betelgeuse

Astrônomos dizem que solucionaram o mistério sobre por que uma das mais conhecidas estrelas que iluminava o céu à noite começou a perder o brilho há cerca de um ano. Betelgeuse, uma supergigante vermelha da …

Portugal isola Lisboa para conter disseminação de variante

Em meio a alta de casos e difusão da variante delta do coronavírus, detectada inicialmente na Índia, governo português restringe circulação para dentro e para fora da região metropolitana da capital no fim de semana. Em …