Bolsonaro revê declaração sobre “perdoar o Holocausto”

Tânia Rêgo / Agência Brasil

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro enviou uma mensagem à embaixada de Israel no Brasil para esclarecer uma declaração sua de que seria possível perdoar o Holocausto.  A declaração foi dada durante um encontro com evangélicos, na semana passada, e enfaticamente condenada pelo presidente de Israel, Reuven Rivlin, e pelo Museu do Holocausto, visitado por Bolsonaro no início do mês.

“Deixei escrito no livro de visitantes do Memorial do Holocausto em Jerusalém: ‘Aquele que esquece seu passado está condenado a não ter futuro’. Portanto, qualquer outra interpretação só interessa a quem quer me afastar dos amigos judeus. Já o perdão é algo pessoal, nunca num contexto histórico como no caso do Holocausto, onde milhões de inocentes foram mortos num cruel genocídio”, diz um trecho da carta de Bolsonaro, divulgada neste domingo (14/04).

Com a carta, Bolsonaro busca apaziguar as fortes reações causadas por uma declaração sua, dada durante um encontro com evangélicos no Rio de Janeiro, na quinta-feira, na qual disse que se pode “perdoar, mas não esquecer” o Holocausto.

“Fui, mais uma vez, ao Museu do Holocausto. Nós podemos perdoar, mas não podemos esquecer. E é minha essa frase: ‘Quem esquece seu passado está condenado a não ter futuro’. Se não queremos repetir a história que não foi boa, vamos evitar com ações e atos para que ela não se repita daquela forma”, afirmou Bolsonaro no encontro.

Em seguida, o próprio Museu do Holocausto divulgou um comunicado no qual diz que ninguém tem o direito de determinar se os crimes hediondos cometidos pelos nazistas na Segunda Guerra podem ser perdoados. O Yad Vashem é um centro de memória do Holocausto, que se dedica a homenagear as vítimas e os que combateram o genocídio de seis milhões de judeus pelo regime nazista.

“Desde a sua criação, o Yad Vashem tem trabalhado para manter a lembrança do Holocausto viva e relevante para o povo judeu e a toda humanidade”, completa a nota. “Não concordamos com a fala do presidente brasileiro de que o Holocausto pode ser perdoado. Não é direito de nenhuma pessoa determinar se crimes hediondos do Holocausto podem ser perdoados.”

O presidente de Israel, país do qual Bolsonaro tem buscado uma aproximação, também seguiu o tom do comunicado do Yad Vashem, mas não mencionou o líder brasileiro. “Sempre vamos nos opor àqueles que negam a verdade ou aos que desejam expurgar nossa memória indivíduos ou grupos, líderes de partidos ou premiês. Nós nunca vamos perdoar nem esquecer”, escreveu Rivlin no Twitter.

“O povo judeu sempre vai lutar contra o antissemitismo e a xenofobia. Líderes políticos são responsáveis por moldar o futuro. Historiadores descrevem o passado e investigam o que aconteceu. Nenhuma das partes deveria entrar em território da outra.”

No início do mês, Bolsonaro fez uma visita de quatro dias a Israel, a convite do premiê Benjamin Netanyahu, um aliado político. Durante a viagem, ele visitou o museu Yad Vashem e causou indignação ao repetir a tese que o nazismo teria sido um movimento de esquerda. A própria instituição define o nazismo como um movimento de extrema direita.

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Todo indivíduo tem direito à sua opinião pessoal, inclusive um Presidente da República. Eu também acho, como cristão, que devemos nos esforçar para perdoar os erros alheios. Um dos motivos é por(ô) fim ao “mimimi” que mais espalha do que ajunta. O problema é que a opinião de um político é considerada Política por quem vive com a bala na agulha.
    Admiro Israel e sou contra a atitude de quem o persegue, mas a defesa da identidade e da unidade de seu povo não pode impedir o direito de os outros povos manifestarem sua opinião. Isso é “mimimi”.

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …