Brasil lidera mortes por armas de fogo no mundo

Mais de 250 mil pessoas morreram em 2016 por ferimentos relacionados com armas de fogo, das quais a metade estava em seis países da América: Brasil, Estados Unidos, México, Colômbia, Venezuela e Guatemala, segundo um estudo publicado esta semana pelo Journal of the American Medical Association (Jama).

A lista é liderada pelo Brasil, com 43 mil mortos, seguido em suas dez primeiras posições por Estados Unidos (37.200), Índia (26.500), México (15.400), Colômbia (13.300), Venezuela (12.800), Filipinas (8.020), Guatemala (5.090), Rússia (4.380) e Afeganistão (4.050), segundo um comunicado.

O estudo avalia a mortalidade relacionada com armas de fogo entre 1990 e 2016 em 195 países e territórios por idade e sexo, mas exclui as mortes em conflitos, execuções e ações das forças da ordem.

O autor principal do estudo, Mohsen Maghavi, do Instituto de Métricas e Avaliação da Saúde (IHME) da Universidade de Washington, afirmou que este “confirma o que muitos afirmamos durante anos: que a violência armada é uma das maiores crises de saúde pública do nosso tempo”.

No entanto, ressaltou que “não há antídotos simples para fazer frente a este problema de saúde. A tragédia de cada morte relacionada com uma arma continuará até que líderes razoáveis e sensatos se reúnam para abordar o problema”.

Em 2016, os homicídios representaram 64% das mortes por armas de fogo no mundo todo; seguidos por suicídios (27%) e lesões acidentais (9%).

Nos últimos 26 anos, a taxa de homicídios com armas de fogo se estagnou, sem que se registrassem quedas significativas entre 1990 e 2016.

O estudo indica ainda que as mortes relacionadas com armas no mundo todo superaram às provocadas por conflitos e terrorismo a cada ano de 1990 a 2016, com a exceção de 1994, quando aconteceu o genocídio de Ruanda.

Além disso, 87% das mortes totais no mundo (218.900) foram de homens, dos quais 34.700 tinham entre 20 e 24 anos.

No que se refere aos suicídios, o texto aponta que a maior taxa corresponde à Groenlândia (Dinamarca), com 22 mortes por cada 100 mil habitantes, seguido dos Estados Unidos com 6,4 mortos, segundo os dados ajustados por idade.

Os resultados do estudo “reforçam a mensagem de que é imprescindível expandir a segurança e a educação sobre armas”, declarou o professor do IHME e também autor do estudo Ali Mokdad.

Ciberia // EFE

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Uma pesquisa paralela me demonstra que a legislação sobre posse de armas não tem relação de causa sobre as mortes. Na verdade, a legislação brasileira é semelhante à de países com taxas muito baixas de mortes. Além disso, a taxa de mortes no Brasil é muito superior à dos EUA, com legislação extremamente permissiva.
    Tudo me indica ser equivocada a ênfase frequentemente dada ao desarmamento LEGAL como essencial à redução das mortes. É um barulho que somente afasta o foco dos reais fatores por trás das nossas taxas altíssimas de mortes.

DEIXE UM COMENTÁRIO:

"Vão ter que mudar", diz Greta sobre Bolsonaro e Trump em retorno à Europa

A ativista chegou em Lisboa na tarde desta terça-feira (3), 21 dias depois de sair dos EUA a bordo de um veleiro. A jovem sueca retorna à Europa para participar da COP 25, a conferência …

Museu decide comprar apenas obras de mulheres por um ano por reparação histórica

Para se transformar a velha normalidade repleta de preconceitos, violências e desigualdades embutidas é preciso atitudes efetivas e concretamente transformadoras. Da mesma forma que a dívida histórica racial deve ser reparada não somente no discurso, mas …

Black Friday no Brasil superou a dos EUA nos apps de compras, segundo estudo

Neste ano, a Black Friday fez a sua marca entre as compras dos brasileiros. O próprio Canaltech fez uma cobertura muito especial em torno da Black Friday deste ano.Importada dos EUA, a tradição está mesmo …

Para acalmar a crise, presidente chileno propõe ajuda de R$ 520 para 1 milhão de famílias

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, propôs nesta terça-feira (3) a criação de um bônus de 100.000 pesos chilenos (cerca de R$ 520), que serão distribuídos para 1,3 milhão de famílias. O objetivo da medida, …

Anvisa dá aval à venda de maconha medicinal em farmácias

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta terça-feira (03/12) um novo marco regulatório para o registro e venda de produtos à base de cannabis em farmácias no país, tornando o Brasil a nação …

Visitante interestelar pode 'morrer' ao se aproximar do Sol

Um visitante interestelar, observado em nosso Sistema Solar, pode estar próximo de "morrer", isso porque, o 2I/Borisov provavelmente será desintegrado ao se aproximar do Sol. Os cientistas acompanham cada movimento do cometa, que está se aproximando …

Messi e Rapinoe levam o Bola de Ouro

Argentino bate recorde histórico ao ser eleito pela sexta vez o melhor jogador do mundo pela "France Football". Americana é a segunda mulher a receber a premiação na categoria futebol feminino. O atacante argentino Lionel Messi, …

Chuvas já mataram 12 pessoas em dez dias no sul da França

As fortes chuvas que atingiram no domingo (1) a Riviera Francesa (sul) deixaram seis mortos e sérios danos materiais. Temporais de intensidade semelhante ocorridos na semana passada já tinham matado seis pessoas e deixado um desaparecido. …

Butão: o ‘país mais feliz do mundo’ é eleito o ‘melhor lugar para visitar em 2020’

2019 ainda não acabou, mas nós já estamos planejando e sonhando com as viagens que faremos em 2020. Que tal fugir do roteiro óbvio e conhecer um país pouquíssimo explorado? O tradicional e respeitado guia Lonely …

Trump acusa Brasil de desvalorização "maciça" do real e anuncia retaliação

Presidente dos EUA promete impor tarifas sobre importação de aço e alumínio do Brasil e Argentina, acusando-os de desvalorizarem suas moedas de forma "maciça". Bolsonaro diz que vai falar com Trump. O presidente dos Estados Unidos, …