Câmara dos EUA anuncia abertura de processo de impeachment contra Trump

Presidente é acusado de pressionar governo da Ucrânia a investigar filho de rival democrata. “O presidente precisa ser responsabilizado. Ninguém está acima da lei”, disse a presidente da Câmara.

A presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, anunciou nesta terça-feira a abertura de um processo de impeachment contra o presidente Donald Trump.

O republicano é suspeito de pressionar o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, para que este apoiasse investigações contra Hunter Biden, filho do pré-candidato democrata à presidência Joe Biden. A pressão teria ocorrido durante um telefonema no final de julho. A revelação do caso na semana passada provocou uma tempestade política em Washington.

“Isto é uma quebra da Constituição americana”, disse a democrata Pelosi ao anunciar a abertura do processo. “O presidente precisa ser responsabilizado. Ninguém está acima da lei. Portanto, hoje estou anunciando que a Câmara dos Deputados está avançando com uma investigação oficial de impeachment.”

Segundo o jornal The New York Times, a tendência é que Pelosi determine a instalação de uma comissão especial para investigar as suspeitas que envolvem Trump. Em 1973, a Casa instalou uma comissão do tipo para investigar o então presidente Richard Nixon, mas ele acabou renunciando antes que a Câmara votasse pela admissibilidade do processo em plenário.

Os democratas têm maioria na Câmara, mas a possibilidade de um processo de impeachment prosperar até a fase final é mais improvável no Senado, que tem a palavra final sobre uma eventual saída do presidente. Os republicanos superam o Partido Democrata em número de senadores. Ainda assim, o caso tem alto potencial de desgaste para Trump a cerca de 13 meses das eleições de 2020.

Na última sexta-feira, o Wall Street Journal apontou que Trump pressionou o presidente da Ucrânia em uma ligação no final de julho a investigar tanto Biden quanto seu filho, Hunter. Na ocasião, segundo o jornal, Trump pediu a Zelensky para que seu advogado pessoal, o ex-prefeito Rudy Giuliani, pudesse atuar na investigação em conjunto com os ucranianos.

O caso em questão envolveria suspeitas sobre as ligações de Hunter com a empresa de gás de um oligarca ucraniano. Giuliani, por sua vez, também sugeriu aos ucranianos que Biden, na época em que ainda era vice-presidente, atuou para proteger seu filho. Só que membros da Justiça ucraniana disseram ao WSJ que não há evidências de alguma irregularidade na conduta de Biden ou de seu filho.

Biden, que foi vice-presidente de Barack Obama, lidera no momento as pesquisas entre os pré-candidatos democratas para se tornar o candidato que enfrentará o republicano Trump nas eleições de 2020.

No último domingo, Trump disse a repórteres na Casa Branca que o telefonema foi, sobretudo, de parabenização (o partido de Zelensky havia acabado de ganhar uma eleição parlamentar), mas admitiu que também tratou de corrupção e dos Biden. Ele, no entanto, minimizou o caso falando que não fez nada de errado.

Mas o escândalo ganhou anda mais força na segunda-feira, quando o jornal Washington Post revelou que Trump suspendeu uma ajuda militar no valor de 400 milhões de dólares para a Ucrânia dias antes do telefonema para Zelensky, levantando a suspeita de que a medida tinha como objetivo pressionar o líder ucraniano a cooperar na ação contra Biden.

Antes mesmo do WSJ revelar detalhes da conversa entre Trump e Zelensky, outra reportagem do Washington Post publicada dois dias antes já havia apontado que Trump havia sido alvo de uma denúncia na comunidade de inteligência por causa de uma conversa suspeita.

Neste caso, o diário havia indicado que um agente dos serviços de inteligência dos EUA que acompanhava a conversa — como é rotina em telefonemas de presidentes americanos – ouviu Trump fazer uma “promessa” a um “líder estrangeiro” que despertou “preocupação urgente” sobre a segurança nacional dos EUA. Inicialmente, o “líder estrangeiro” não foi identificado pelo Washington Post, mas dois dias depois o concorrente WSJ apontou que se tratava de Zelensky.

Ainda segundo o Washington Post, após o diálogo o agente registrou uma queixa anônima contra Trump na comunidade de inteligência.

Depois das reportagens, membros da Câmara pediram que o governo Trump liberasse a transcrição das conversas do presidente com Zelenski. Já o Senado não só pediu as transcrições como também solicitou que o agente que ouviu o telefonema testemunhe sobre o caso.

Trump afirmou que vai fornecer uma divulgação da transcrição. Após o anúncio da abertura do processo de impeachment, ele também atacou os democratas. “Eles nem sequer viram a transcrição da ligação. Isso é uma caça às bruxas!“, escreveu o presidente no Twitter.

Em mais de dois séculos, os deputados só concluíram duas votações para pedir o impeachment de um presidente: em 1868, contra Andrew Jackson, e em 1999, contra o democrata Bill Clinton. Em ambos os casos, os presidentes perderam na Câmara, mas acabaram permanecendo no cargo ao vencerem votações no Senado.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Paleontologistas descobrem 'última refeição' de dinossauro que viveu há 110 milhões de anos

Uma equipe de pesquisadores do Canadá reconstituiu o estômago de um dinossauro herbívoro, o melhor preservado de sempre. Uma equipe de paleontologistas canadenses conseguiu reconstruir o conteúdo do estômago de um dinossauro herbívoro que viveu no …

Estudo que desencoraja uso de hidroxicloroquina é alvo de investigações

Nesta quarta-feira (3), a Organização Mundial da Saúde anunciou que vai retomar os testes com o medicamento hidroxicloroquina, um dos mais cotados atualmente como possível auxiliar na luta contra a COVID-19. A notícia pegou muita gente …

Donald Trump diz por que estava em bunker subterrâneo em meio a protestos

Em meio aos protestos violentos e pacíficos que têm varrido os EUA após a morte do afro-americano George Floyd, surgiram relatos de que Trump se escondeu dos manifestantes em um bunker. Donald Trump atacou como "falsa" …

EUA: 4 policiais são acusados pela morte de George Floyd

O policial de Minneapolis que se ajoelhou sobre o pescoço de George Floyd provocando sua morte será acusado de assassinato em segundo grau. Seus três colegas também serão julgados, disse a senadora americana Amy …

Governo destina verba publicitária a canais de conteúdo inadequado

Em apenas 38 dias, o governo de Jair Bolsonaro publicou mais de 2 milhões de anúncios em canais na internet com "conteúdos inadequados", segundo mostrou um relatório da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das …

Cientistas encontram maior e mais antigo monumento da civilização maia no México

Pesquisadores da Universidade do Arizona (EUA) descobriram a mais antiga construção monumental da civilização maia já encontrada até agora e a maior de toda a história pré-hispânica da região. O estudo, publicado na revista Nature, foi …

Herdeiro da Samsung pode voltar a ser preso

O herdeiro da Samsung, Lee Jae-yong, pode ter de voltar à prisão. Procuradores de justiça da Coreia do Sul pediram nesta quinta-feira (4) uma nova detenção do antigo diretor da gigante como parte de uma …

Escolas ao ar livre criadas para combater a tuberculose no início do século 20

Em 1904, surgia nas proximidades de Berlim a primeira escola ao ar livre do mundo. A Waldschule für kränkliche Kinder havia sido criada por Walter Spickendorff em conjunto com o pediatra Bernhard Bendix e o …

Fígados humanos foram criados em laboratórios e transplantados em ratos com sucesso

Uma equipe internacional liderada por pesquisadores do Departamento de Patologia da Universidade de Pittsburgh (EUA) criou pequenos fígados através de engenharia genética utilizando células da pele humanas, e em seguida os transplantaram com sucesso em …

Governo alemão anuncia pacote de estímulo de 130 bilhões de euros

Merkel afirma que resposta "corajosa" é necessária para impulsionar a economia do país, abalada pela pandemia de covid-19. Medidas anunciadas incluem auxílios à indústria e às famílias e incentivos ao consumo. Os partidos que integram a …