Câmara dos EUA anuncia abertura de processo de impeachment contra Trump

Presidente é acusado de pressionar governo da Ucrânia a investigar filho de rival democrata. “O presidente precisa ser responsabilizado. Ninguém está acima da lei”, disse a presidente da Câmara.

A presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, anunciou nesta terça-feira a abertura de um processo de impeachment contra o presidente Donald Trump.

O republicano é suspeito de pressionar o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, para que este apoiasse investigações contra Hunter Biden, filho do pré-candidato democrata à presidência Joe Biden. A pressão teria ocorrido durante um telefonema no final de julho. A revelação do caso na semana passada provocou uma tempestade política em Washington.

“Isto é uma quebra da Constituição americana”, disse a democrata Pelosi ao anunciar a abertura do processo. “O presidente precisa ser responsabilizado. Ninguém está acima da lei. Portanto, hoje estou anunciando que a Câmara dos Deputados está avançando com uma investigação oficial de impeachment.”

Segundo o jornal The New York Times, a tendência é que Pelosi determine a instalação de uma comissão especial para investigar as suspeitas que envolvem Trump. Em 1973, a Casa instalou uma comissão do tipo para investigar o então presidente Richard Nixon, mas ele acabou renunciando antes que a Câmara votasse pela admissibilidade do processo em plenário.

Os democratas têm maioria na Câmara, mas a possibilidade de um processo de impeachment prosperar até a fase final é mais improvável no Senado, que tem a palavra final sobre uma eventual saída do presidente. Os republicanos superam o Partido Democrata em número de senadores. Ainda assim, o caso tem alto potencial de desgaste para Trump a cerca de 13 meses das eleições de 2020.

Na última sexta-feira, o Wall Street Journal apontou que Trump pressionou o presidente da Ucrânia em uma ligação no final de julho a investigar tanto Biden quanto seu filho, Hunter. Na ocasião, segundo o jornal, Trump pediu a Zelensky para que seu advogado pessoal, o ex-prefeito Rudy Giuliani, pudesse atuar na investigação em conjunto com os ucranianos.

O caso em questão envolveria suspeitas sobre as ligações de Hunter com a empresa de gás de um oligarca ucraniano. Giuliani, por sua vez, também sugeriu aos ucranianos que Biden, na época em que ainda era vice-presidente, atuou para proteger seu filho. Só que membros da Justiça ucraniana disseram ao WSJ que não há evidências de alguma irregularidade na conduta de Biden ou de seu filho.

Biden, que foi vice-presidente de Barack Obama, lidera no momento as pesquisas entre os pré-candidatos democratas para se tornar o candidato que enfrentará o republicano Trump nas eleições de 2020.

No último domingo, Trump disse a repórteres na Casa Branca que o telefonema foi, sobretudo, de parabenização (o partido de Zelensky havia acabado de ganhar uma eleição parlamentar), mas admitiu que também tratou de corrupção e dos Biden. Ele, no entanto, minimizou o caso falando que não fez nada de errado.

Mas o escândalo ganhou anda mais força na segunda-feira, quando o jornal Washington Post revelou que Trump suspendeu uma ajuda militar no valor de 400 milhões de dólares para a Ucrânia dias antes do telefonema para Zelensky, levantando a suspeita de que a medida tinha como objetivo pressionar o líder ucraniano a cooperar na ação contra Biden.

Antes mesmo do WSJ revelar detalhes da conversa entre Trump e Zelensky, outra reportagem do Washington Post publicada dois dias antes já havia apontado que Trump havia sido alvo de uma denúncia na comunidade de inteligência por causa de uma conversa suspeita.

Neste caso, o diário havia indicado que um agente dos serviços de inteligência dos EUA que acompanhava a conversa — como é rotina em telefonemas de presidentes americanos – ouviu Trump fazer uma “promessa” a um “líder estrangeiro” que despertou “preocupação urgente” sobre a segurança nacional dos EUA. Inicialmente, o “líder estrangeiro” não foi identificado pelo Washington Post, mas dois dias depois o concorrente WSJ apontou que se tratava de Zelensky.

Ainda segundo o Washington Post, após o diálogo o agente registrou uma queixa anônima contra Trump na comunidade de inteligência.

Depois das reportagens, membros da Câmara pediram que o governo Trump liberasse a transcrição das conversas do presidente com Zelenski. Já o Senado não só pediu as transcrições como também solicitou que o agente que ouviu o telefonema testemunhe sobre o caso.

Trump afirmou que vai fornecer uma divulgação da transcrição. Após o anúncio da abertura do processo de impeachment, ele também atacou os democratas. “Eles nem sequer viram a transcrição da ligação. Isso é uma caça às bruxas!“, escreveu o presidente no Twitter.

Em mais de dois séculos, os deputados só concluíram duas votações para pedir o impeachment de um presidente: em 1868, contra Andrew Jackson, e em 1999, contra o democrata Bill Clinton. Em ambos os casos, os presidentes perderam na Câmara, mas acabaram permanecendo no cargo ao vencerem votações no Senado.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Estudos corroboram correlação entre tipo sanguíneo e risco de covid-19

A suscetibilidade ao contágio com o vírus Sars-Cov-2 pode variar segundo o grupo sanguíneo: os indivíduos do grupo O tendem a um menor risco, enquanto os demais estão também potencialmente mais expostos a quadros clínicos …

Bolsonaro reforça que brasileiro não será obrigado a tomar vacina contra a COVID-19

Declaração do presidente acontece três dias depois de o governador João Doria informar que vacinação será obrigatória no estado de São Paulo. O presidente Jair Bolsonaro reforçou hoje (19) na saída do Palácio da Alvorada o …

Engenheiros criam sabre de luz real de plasma retrátil de 2.200°C que corta aço

Os engenheiros por trás do canal do YouTube “The Hacksmith” criaram o sabre de luz de “Star Wars” no mundo real que é quente o suficiente para derreter aço e até titânio em segundos. James Hobson, …

Evo Morales comemora vitória de seu candidato, Luis Arce, à presidência na Bolívia

De La Paz, na Bolívia, o candidato a presidente Luis Arce e, de Buenos Aires, na Argentina, o ex-presidente Evo Morales comemoram vitória nas eleições tanto para presidente quanto para o Congresso, realizadas neste …

Síndrome provoca mudança na coloração dos olhos em população nativa da Indonésia

Em um país cujo a vasta maioria da população possui cabelos e olhos escuros, uma rara síndrome genética ofereceu aos membros de uma tribo nativa da Indonésia uma impressionante condição: os mais impactantes e profundos …

Aula de spinning em academia no Canadá contaminou 61 pessoas com a COVID-19

Academias não são locais recomendados neste momento de pandemia, mesmo que alguns estabelecimentos estejam reabrindo com todas as medidas de segurança adequadas. Prova disso aconteceu recentemente em Hamilton, na província de Ontario, no Canadá, quando uma …

Estrela supergigante vermelha Betelgeuse é menor e está mais próxima da Terra

A estrela supergigante vermelha Betelgeuse, uma das mais brilhantes, é menor e está mais próxima da Terra do que se acreditava. "Estudos anteriores sugeriram que poderia ser maior que a órbita de Júpiter. Nossos resultados dizem …

Ao tentar desativar uma bomba imensa a Marinha da Polônia acidentalmente a explode

Uma enorme bomba da Segunda Guerra Mundial explodiu durante uma delicada operação na terça-feira para desativar o dispositivo de cinco toneladas em um canal perto do Mar Báltico, mas ninguém foi ferido, afirmaram autoridades polonesas. O …

Candidato a vereador vai plantar uma árvore para cada voto que receber em Dourados

O combate às mudanças climáticas e ao desmatamento para Franklin Schmalz, candidato pelo PSOL a vereador na cidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul, é um compromisso direto e concreto, a ser posto em …

Líder nacionalista manobra para chegar ao poder após renúncia de presidente do Quirguistão

O presidente do Quirguistão, Sooronbai Jeenbekov, cedeu à pressão de manifestantes nacionalistas e anunciou sua renúncia nesta quinta-feira (15), após dez dias de uma crise política aberta pela vitória de dois partidos governistas nas …