Câmara rejeita PEC que criava “distritão” para eleições de 2018

Senado Federal / Flickr

A Câmara dos Deputados rejeitou o trecho da proposta de emenda à Constituição (PEC) que estabelecia o voto majoritário (conhecido como distritão) para as eleições de 2018 e 2020 e, a partir de 2022, criava o sistema distrital misto, que combina voto majoritário e voto em lista preordenada pelos partidos nas eleições proporcionais.

Pelo sistema distrital misto, o eleitor vota duas vezes: uma vez em candidatos que concorrem em um dos distritos no qual foi dividido o estado; e outro vez em candidatos de uma lista preordenada apresentada pelos partidos. Metade das vagas deve ser preenchida pelos mais votados nos distritos (sistema majoritário).

o “distritão” prevê a eleição dos mais votados em cada estado, que será então transformado um único grande distrito.

Com 205 votos favoráveis, 238 contrários e uma abstenção, os deputados não acataram um dos destaques à PEC 77/2003, que institui um novo sistema eleitoral e cria um fundo público para financiar as campanhas.

Para que fosse aprovado, o texto precisava do apoio de 3/5 do plenário, ou 308 votos. Há algumas semanas os deputados iniciaram a votação desta PEC, de forma fatiada, mas como o novo sistema eleitoral não avançou, a proposta deve agora ser arquivada devido a um acordo feito pelas lideranças.

Em um dos últimos esforços para aprovar, minimamente, alguns pontos da reforma política a tempo de que as mudanças tenham validade para as eleições do ano que vem, os deputados retomaram as discussões após o Senado decidir votar, nesta quarta-feira (20), outra proposta sobre financiamento de campanhas.

A sessão foi presidida pelo deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), que exerce a Presidência da Câmara devido à viagem ao exterior do presidente Michel Temer, o que fez com o titular, Rodrigo Maia, assuma o cargo de presidente da República. Os parlamentares iniciaram a votação depois de passarem a tarde toda sem acordo.

Dificuldades

As duas PECs enfrentam dificuldades para avançar no plenário, pois nenhuma delas atingiu o mínimo necessário de 308 votos, entre o total de 513 deputados, para aprovação de mudanças constitucionais.

Outro problema é a falta de tempo para construir um mínimo consenso, uma vez que para serem válidas para as eleições do ano que vem, as mudanças precisam ser aprovadas em dois turnos pela Câmara e pelo Senado até o início de outubro, um ano antes do próximo pleito.

Para o relator da PEC 77, o deputado Vicente Cândido (PT-SP), a alternativa será votar nesta quarta um projeto de lei ordinário, que não necessita de larga maioria, que também trata do fundo eleitoral.

“Não é o que a gente queria, mas pelo menos a gente tem uma eleição em 2018 com um pouco mais de regramento, de justeza. É possível votar matérias interessantes. [O presidente] decidiu votar, mesmo sem acordo no tocante às duas PECs. Quem tiver voto leva”, disse antes do início das votações.

A votação de matérias que alteram a legislação eleitoral e partidária enfrenta resistência dos próprios membros do Legislativo e sofre um histórico de impasses, pois 120 diferentes propostas foram apresentadas nos últimos 15 anos.

As últimas tentativas de votar a reforma política ocorrem em meio a expectativas de que, se os parlamentares não apreciarem nenhuma proposta, o próprio Poder Judiciário pode entrar em jogo.

Ciberia // Agência Brasil

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Pessoas feias superestimam drasticamente suas aparências

Pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência. Não faltam disparidades entre pessoas atraentes e pouco atraentes. Estudos mostram que os mais belos entre nós …

Noruega acusa Pequim de ciberataque contra serviços do governo

Pela primeira vez na história, o Serviço de Segurança Policial da Noruega (PST, na sigla em inglês) identificou a China como sendo responsável por um ataque hacker contra as autoridades do país nórdico. A agência de …

China supera marca de 1 bilhão de vacinas contra a covid-19 aplicadas

Quantia representa mais de um terço das doses aplicadas no mundo. Após início lento da imunização, autoridades chinesas querem vacinar completamente 40% da população até o final de junho. O número de doses de vacinas contra …

Brasileiros protestam no exterior contra Bolsonaro e gestão da epidemia

Dezenas de milhares de pessoas tomaram as ruas de várias capitais brasileiras neste sábado para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro e sua gestão da pandemia, que já deixou mais de meio milhão de …

Relíquia do Jurássico: descoberto animal marinho cuja espécie vive há 180 milhões de anos

Um grupo de pesquisadores descreveu uma nova espécie de ofíuros – um animal marinho parecido com as estrelas-do-mar, que recebeu o nome de Ophiojura, informou nesta quinta-feira (17) Tim O’Hara, curador dos Museus Victoria (Austrália) …

Projeto de estrada cortando parque das cataratas de Iguaçu ameaça outras áreas de proteção pelo Brasil

Uma das paisagens naturais mais impressionantes do Brasil e reconhecida pela Unesco, o Parque Nacional do Iguaçu, que abriga as cataratas, no Paraná, pode ser cortado ao meio por uma rodovia asfaltada – em …

Por que a imunidade de rebanho está longe de ser realidade

Embora costume ser apresentada como simples cálculo matemático, alcançar a imunidade de rebanho não é tarefa fácil. Ela não só depende da infecciosidade das variantes, como da adoção de medidas sanitárias pela população. Apesar das campanhas …

Uso de maconha na adolescência pode atrapalhar o desenvolvimento do cérebro

O consumo de maconha pode ser prejudicial ao cérebro humano durante a adolescência, de acordo com estudo publicado na última quarta-feira (16). Segundo a pesquisa, realizada em regiões da Europa, o uso recreativo da planta pode …

EUA terão feriado para comemorar fim da escravidão

Data já celebrada na maioria dos estados vai se tornar feriado federal. O "Juneteenth" lembra dia em que os últimos escravos negros foram libertados no país, em 1865. Após aprovação pelo Congresso dos Estados Unidos na …

5 perguntas sobre os denisovanos, 'parentes' extintos dos humanos modernos que viveram na Terra há 50 mil anos

Desde que os primeiros vestígios dos denisovanos foram descobertos em 2008, os cientistas não descansaram tentando obter mais informações sobre eles. A tarefa, no entanto, não tem sido fácil, porque até agora só foram encontrados pequenos …