Chega! Trump sofre pressão de partido para retirar candidatura a presidente

WEF / Flickr

A ex-secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice

Chega!, diz a ex-secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice

A menos de um mês das eleições presidenciais dos Estados Unidos, a campanha do candidato Donald Trump entra em sua maior crise desde o início da corrida eleitoral.

Dezenas de líderes do Partido Republicano têm retirado o apoio à sua candidatura e fazem pressão para que ele renuncie e dê lugar ao candidato a vice-presidente da chapa republicana, Mike Pence.

Donald Trump afirmou que não vai renunciar.

A crise coincide com a realização, na noite de hoje (9), de um debate entre os presidenciáveis, um dos momentos mais esperados da corrida eleitoral para a presidência dos Estados Unidos.

O debate entre Donald Trump e a candidata do Partido Democrata, Hillary Clinton, ocorrerá na Universidade de Washington, na cidade de Saint Paul, estado de Missouri.

O debate será moderado pelo apresentador Anderson Cooper, da CNN, e deverá alcançar recorde de audiência em transmissão ao vivo de eventos políticos nos Estados Unidos.

A retirada do apoio ao candidato republicano começou depois que o jornal The Washington Post divulgou, na última sexta-feira (7), um vídeo de 2005 em que Donald Trump faz referências às mulheres usando palavras vulgares e com conotação sexual machista.

No vídeo, ele se gaba de conquistar e fazer sexo com mulheres. O vídeo capta uma conversa entre Donald Trump e o apresentador de rádio e televisão Billy Bush.

A conversa dos dois foi gravada dentro e fora de um ônibus que os levou para o local da filmagem de um episódio do Days of Our Lives (Dias de Nossas Vidas), uma das novelas mais antigas da televisão norte-americana.

Donald Trump fez os comentários sem saber que estava sendo gravado. “Você sabe, eu sou automaticamente atraído pela beleza, eu simplesmente começo a beijá-las. É como um ímã. É só um beijo. Eu nem espero”. Trump diz ainda na gravação. “E quando você é uma celebridade, elas deixam você fazer isso. Você pode fazer qualquer coisa”.

A parte mais mais vulgar da gravação é o momento em que Trump se refere ao órgão sexual feminino. “Você pega as mulheres pela (…) e pode fazer qualquer coisa“.

Gage Skidmore / Flickr

O milionário e candidato republicano às eleições norte-americanas Donald Trump

O milionário e candidato republicano às eleições norte-americanas Donald Trump

Retirada de apoio

Entre os políticos que estão retirando apoio a Donald Trump está o senador John McCain, do estado do Arizona, que disputou as eleições presidenciais dos Estados Unidos em 2008 e perdeu para o então candidato do Partido Democrata (e atual presidente norte-americano), Barack Obama.

Considerado uma das expressões mais conservadoras do Partido Republicano, por suas posições a favor da guerra contra o terrorismo e contra o casamento de gays, John McCain condenou as palavras ofensivas às mulheres feitas por Trump.

Em um comunicado divulgado neste sábado (8), o senador John McCain disse que o comentário de Trump foi “humilhante” para as mulheres e que, por isso, não vai mais dar apoio à sua candidatura, nem que esse apoio seja “condicional”.

Chega!

Também a ex-secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, declarou que é necessário que o candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump, saia da corrida presidencial norte-americana.

Chega! Donald Trump não pode ser presidente. Ele deve retirar a sua candidatura. Como uma republicana, eu espero apoiar alguém que tenha dignidade e estatura para concorrer ao mais alto cargo da maior democracia do mundo”, disse Rice em sua página no Facebook.

O governador do estado de Indiana, Mike Pence, candidato a vice-presidente pelo Partido Republicano, teve um comportamento surpreendente de condenação a seu próprio colega de chapa.

Ele recusou-se a representar Donald Trump em uma reunião do partido no estado de Wisconsin e ainda apresentou um desafio.

Pence afirmou, em um comunicado, que se sente “ofendido pelas palavras e ações descritas por Donald Trump” no vídeo.

Ele desafiou Trump a convencer o eleitor que ele pensa o contrário do que disse, no debate de hoje à noite com a candidata do partido democrata Hillary Clinton.

“Eu não desculpo suas observações e não posso defendê-las”, disse Pence. E acrescentou: “Oramos por sua família e estamos ansiosos para a oportunidade que ele tem [hoje à noite] de mostrar o que está em seu coração quando for à frente da nação [nesse debate]”.

Outros republicanos criticam Trump

Entre os republicanos que pedem, em entrevista à imprensa, para que Trump retire sua candidatura estão Ben Sasse (senador por Nebraska), Mike Crapo (senador por Idaho), Jeff Flake (senador por Arizona), Mike Lee (senador por Utah) e o apresentador de TV e simpatizante do Partido Republicano Hugh Hewitt.

O senador Ben Sasse disse, em um comentário no Twitter, que a renúncia de Trump seria um “um movimento honroso”. Hugh Hewitt, que tinha anunciado em junho que apoiaria Trump, disse no Twitter: “Para o benefício do país, do partido e de sua família, e para o seu próprio bem, Trump deve se retirar”.

A empresária Carly Fiorina, filiada ao Partido Republicano, pediu que Trump saia da corrida presidencial e disse que ele “falhou” no exercício de sua competência como candidato do partido.

“Donald Trump não me representa nem a meu partido“, disse no Facebook.

“Eu entendo a responsabilidade dos republicanos em apoiar seu candidato. Nosso indicado tem pesadas responsabilidades também. Donald Trump manifestamente falhou em suas responsabilidades “, acrescentou.

A senadora republicana pelo estado de West Virgínia, Shelley Moore Capito, também sugeriu que Trump não represente o Partido Republicano.

“Como mulher, mãe e avó de três meninas, estou profundamente ofendida pelos comentários de Trump, e não há desculpas para suas palavras repugnantes e degradantes”, disse em um comunicado.

“As mulheres têm trabalhado duro para ganhar a dignidade e o respeito que merecem. O próximo passo apropriado para ele é reexaminar a sua candidatura”, acrescentou.

A senadora republicana pelo estado do Alaska, Lisa Murkowski, disse que Trump perdeu, ao longo da campanha, o direito a representar o Partido Republicano.

Já a deputada republicana pelo estado de Utah, Mia Love, escreveu um post no Facebook lembrando que não apoiaria Hillary Clinton para presidente dos Estados Unidos, mas que também não apoia Trump. “Para o bem do partido e do país, ele deve se afastar”, disse.

Debate presidencial

O debate entre Donald Trump e Hillary será o segundo enfrentamento direto entre os candidatos desde que foram nomeados por suas respectivas convenções partidárias.

Metade das perguntas será feita diretamente por cidadãos americanos e a outra metade será apresentada pelo moderador Anderson Cooper, com base em temas de amplo interesse público surgidos na imprensa e nas redes sociais.

Os candidatos terão dois minutos para responder e haverá um minuto adicional para que o moderador facilite uma discussão mais aprofundada.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

A crise dos combustíveis no Reino Unido

Governo atribui escassez em todo o país ao pânico dos consumidores, enquanto faltam caminhoneiros em razão de políticas pós-Brexit. Premiê Johnson deixa militares de prontidão para garantir distribuição aos postos. Mais de dois terços dos postos …

Cientistas brasileiros desenvolvem algoritmo capaz de detectar covid pela tosse

Para o diagnóstico de infecção do coronavírus SARS-CoV-2, diferentes pesquisas buscaram soluções para identificar sinais da doença. Agora, cientistas brasileiros do Grupo CyberLabs desenvolveram um algoritmo capaz de detectar a covid-19 através de um simples áudio …

CIA teria considerado assassinar Assange durante presidência de Trump, aponta relatório

Jornalistas, analistas políticos e organizações de imprensa ficaram chocados neste domingo (26) após lançamento de uma reportagem que acusa membros da administração do ex-presidente dos EUA, Donald Trump, de haver planejado assassinato do fundador do …

Cresce a desconfiança nas instituições no Brasil, segundo Datafolha

A confiança dos brasileiro nas instituições públicas sofreu uma queda generalizada desde julho de 2019, com a maior piora ocorrendo na avaliação da Presidência da República, segundo pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (25/09). Também houve aumento …

Alemanha: social-democratas saem à frente nas eleições, mas disputa é acirrada

Os social-democratas alemães saíram na frente neste domingo (26) nas eleições parlamentares que marcam o fim da era Merkel, de acordo com as estimativas iniciais, mas os conservadores da chanceler alemã ainda pretendem disputar …

Revelada consequência grave da COVID-19 mais frequente do que se acreditava

Novo estudo revelou que os pacientes com COVID-19 que foram internados em unidades de terapia intensiva (UTI) têm mais possibilidade de desenvolver deficiências cognitivas contínuas. O estudo de quase 150 pacientes internados no início da pandemia …

Fundo de Bill Gates investe US$ 50 milhões em robôs agricultores que poupam água

A startup norte-americana Iron Ox recebeu um aporte de US$ 53 milhões (R$ 280,5 milhões) para melhorar sua tecnologia de robôs usados na agricultura e que consomem 90% menos água que plantações tradicionais. O dinheiro veio …

Bolsonaro pede à população que tome banho frio e evite elevador

O presidente Jair Bolsonaro pediu nesta quinta-feira (23/09) à população que tome banho frio e evite usar o elevador para economizar energia elétrica. "Aqui são três andares. Quando tem que descer, mesmo que o elevador esteja …

A incrível descoberta que indica presença humana nas Américas muito antes do que se pensava

Novas descobertas científicas apontam que humanos chegaram às Américas pelo menos 7 mil anos antes do que se estimava anteriormente. As pesquisas em torno do momento em que o continente americano passou a ser povoado a …

Mianmar: Justiça americana ordena quebra de sigilo do Facebook para investigar ameaças contra rohingyas

Um juiz americano ordenou ao Facebook que divulgue os arquivos de contas ligadas de membros do exército birmanês e de milícias budistas que perseguiram a minoria Rohingya em Mianmar. A decisão, que encontra resistência …