Matemática desvenda (finalmente) quem escreveu “In My Life”, dos Beatles

Mais de 50 anos depois da criação da música “In My Life”, um dos sucessos dos Beatles, a matemática concluiu quem foi o autor da canção, depois de tanto John Lennon como Paul McCartney reclamarem a autoria.

“In My Life” é uma das músicas do álbum dos Beatles “Rubber Soul”, de 1965, que fala de memórias, mas cuja autoria sempre foi um mistério – precisamente, devido à divergência de memórias de John Lennon e de Paul McCartney que nunca se entenderam quanto ao verdadeiro autor da canção.

Em 1980, Lennon garantiu em entrevista que tinha sido ele o autor da música, atribuindo a McCartney apenas uma parte da autoria da mesma, mas depois da sua morte, McCartney garantiu que tinha sido ele o criador de toda a canção.

O mistério foi finalmente desfeito em um estudo que envolveu o especialista de estatística Mark Glickman e o professor de engenharia Ryan Song da Universidade de Harvard, nos EUA, bem como o professor de matemática Jason Brown, da Dalhousie University, no Canadá.

E não há dúvidas de que foi John Lennon o autor da música, conforme notaram os autores da pesquisa na apresentação que efetuaram na Joint Statistical Meetings, uma conferência realizada no Canadá que é um dos maiores eventos do mundo dedicado à estatística.

O matemático Keith Devlin, da Universidade de Stanford, nos EUA, relata à NPR como o mistério foi desfeito, contando que os pesquisadores criaram “sacos de palavras”, inspirando-se em uma técnica usada “pelos cientistas de computadores que criaram os filtros de spam“.

Esse método permite isolar “um pouco de texto” e contar “as frequências das diferentes palavras”, frisa Devlin, notando que os pesquisadores analisaram desta forma 70 canções dos Beatles, apontando “149 transições muito distintas de notas e de acordes que estão presentes em quase todas as músicas” da banda britânica.

As transições “são únicas de uma pessoa ou de outra”, atesta Devlin. E “quando se fazem as contas, contando os pequenos pedaços que são únicos para as pessoas, a probabilidade de McCartney ter escrito [a canção] é de 0,18 – isto é, essencialmente zero“, frisa o matemático na NPR.

A conclusão é “bastante definitiva” – “Lennon escreveu a música”, frisa Devlin.

(dr) thebeatles.com

Os Beatles durante as filmagens de “Help”

“Em situações como essa, é melhor acreditar na matemática porque é muito mais confiável do que as lembranças das pessoas, especialmente dado que colaboraram a escrevê-la nos anos 1960, com um estado mental incrivelmente alterado devido a todas as coisas que andavam ingerindo”, destaca ainda o matemático.

E apesar de Lennon e McCartney terem trabalhado juntos durante tantos anos e de poderem ter assimilado algumas das “manias” do outro, “continuam a ser as mesmas pessoas, e têm suas preferências sem perceberem”, sustenta Devlin.

“O Lennon usava um certo tipo de coisas uma e outra vez. E o McCartney também”, e era essa junção das partes que funcionava nos Beatles, mas ainda assim “eram pequenos pedaços separados“, constata Keith Devlin. “A matemática isola esses pequenos pedaços que são únicos nas duas pessoas”, conclui.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Análogo de Buraco negro de laboratório se comporta como Stephen Hawking previu

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia Technion-Israel tentaram confirmar duas das previsões mais importantes de Hawking, que a radiação hawking surge do nada e que não muda de intensidade ao longo do tempo, o que significa …

SP concentra 40% dos feminicídios com 200 mortes, diz estudo do Observatório de Segurança

A Rede de Observatórios da Segurança publicou seu relatório de dados sobre a violência contra a mulher do ano de 2020. O boletim, que traz números de cinco estados (SP, RJ, PE, CE e BA), mostrou …

Em pior momento da pandemia, Bolsonaro critica 'mimimi' e diz que brasileiro tem que enfrentar vírus

Um dia após o registro de novo recorde diário de mortes pela covid-19 no país, o presidente Jair Bolsonaro deu uma série de declarações dando a entender que o choro pelas vítimas é "frescura" e …

89% dos norte-americanos veem a China como inimiga ou concorrente

A maioria dos norte-americanos não vê a China como parceira e expressa preocupações crescentes sobre o histórico de direitos humanos e as práticas econômicas de Pequim, revelou uma nova pesquisa do Pew Research Center nesta …

Governadores pedem a Bolsonaro maior esforço por vacinas

Em meio ao pior momento da epidemia de covid-19 no Brasil, os governadores de 14 estados brasileiros enviaram nesta quinta-feira (04/03) uma carta ao presidente Jair Bolsonaro pedindo um maior esforço para a compra de …

Nova Zelândia lança alerta de tsunami e ordena retirada de habitantes da costa nordeste

Um alerta de tsunami foi emitido após um forte terremoto de magnitude 7,8 nas remotas ilhas Kermadec, na Nova Zelândia, no oceano Pacífico. As autoridades determinaram a retirada de todos os habitantes do litoral …

União Europeia começa exame contínuo da vacina russa Sputnik V

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) deu início ao exame contínuo do dossiê de registo da vacina Sputnik V para verificar sua conformidade com as normas europeias de eficácia, segurança e …

Afrouxar uso de máscaras é "pensamento neandertal", diz Biden

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, criticou nesta quarta-feira (03/03) a decisão dos estados do Texas e do Mississippi de suspender a obrigatoriedade do uso máscaras para conter a propagação do coronavírus. O democrata …

Argentina só vai habilitar motoristas que fizerem curso sobre igualdade de gênero

A partir de março e 2021 quem quiser tirar carteira de habilitação na Argentina terá de estudar mais do que somente as leis de trânsito, o funcionamento do automóvel e a própria condução de um …

ONGs denunciam grupo Casino na Justiça francesa por desmatamento na Amazônia

Organizações de defesa do meio ambiente e dos povos indígenas denunciaram nessa quarta-feira (3) o grupo Casino na Justiça francesa. A empresa é acusada de responsabilidade no desmatamento da Amazônia através da venda de …