Cientistas conseguem identificar as vozes que os esquizofrênicos escutam

Uma nova descoberta científica sobre o cérebro revela que as vozes na cabeça de pacientes esquizofrênicos podem derivar de vozes do mundo real. A descoberta pode dar esperança de que os pacientes aprendam a ignorar as vozes.

Uma nova pesquisa junta dois tópicos de estudos anteriores sobre a esquizofrenia, avança a LiveScience.

Em vários estudos anteriores analisados por uma equipe de cientistas liderada pelo psicólogo biológico Kenneth Hugdahl, da Universidade de Bergen, na Noruega, descobriu-se que quando os pacientes alucinam com vozes, os neurônios em regiões cerebrais associadas ao processamento de som disparam, apesar de não haver ondas sonoras que façam disparar esse “gatilho”. Isso pode ser um indicador de cérebro sobrecarregado.

Por outro lado, outros estudos mostram que, quando os pacientes ouvem vozes reais, o cérebro falha na resposta, em contraste com cérebros saudáveis. Mas como pode esse paradoxo acontecer, com cérebros não respondendo a excesso de estímulos e criando vozes com a falta dele?

Os resultados da análise da compilação de vários estudos ajudam a compreender por que os pacientes com esquizofrenia sofrem num “mundo alucinante” e agora Hughdal quer usar esse conhecimento para ajudar os pacientes a reverter essa tendência. “O que aconteceria se fosse possível treinar os pacientes para desviar a atenção das vozes interiores para as exteriores?”, questiona Hughdal.

Para compreender como funcionaria este “treino” é necessário voltar ao início. A esquizofrenia é uma desordem incrivelmente complexa, marcada por delírios, alucinações e rupturas no processo de pensamento. Além disso, existem 35 sintomas associados à doença que se apresentam de forma diferente em cada paciente.

Hughdal e os colegas decidiram trabalhar na compreensão de apenas um desses sintomas: as alucinações, a mais universal marca da doença, com entre 70 a 80% dos pacientes que sofrem da doença tendo alucinações.

Em um estudo de 2009, os cientistas pediram a pacientes que sofriam de alucinações que escutassem sons através de fones enquanto faziam uma ressonância magnética, que mediria o nível de oxigênio no sangue fluindo para diferentes regiões cerebrais, já que mais oxigênio sugere mais atividade em uma determinada região cerebral.

Nos fones ouviam-se duas sílabas em simultâneo, uma no ouvido esquerdo – “ta” –, e outra no direito – “pa”. Os pacientes não foram avisados de que os sons seriam diferentes, apenas que teriam de reportar aquilo que ouviam.

Pacientes saudáveis reportavam a sílaba do lado direito – “pa” –, porque o cérebro está apto a uma transmissão rápida de sinais da orelha direta para o lobo temporal esquerdo, onde os sons de fala são processados.

Na ausência de sons exteriores, o lobo temporal esquerdo de pacientes com esquizofrenia mostrou sinais de hiperatividade, o que prova as vozes que ouviam nas suas cabeças. Hughdahl esperava que, na experiência, adicionar sons exteriores apenas aumentasse a atividade no lobo temporal esquerdo dado que mais estímulos geralmente significam mais atividade, mas não foi isso o que aconteceu.

“Para minha grande surpresa, descobrimos que os pacientes não relataram ouvir os sons da orelha direita quando alucinavam. Nem sequer existia a ativação do lobo temporal esquerdo. “Parece que quando as alucinações acontecem, acabam interferindo com o sistema perceptivo, o sistema que percebe os estímulos externos”, explicou Hughdal.

É possível que a hiperatividade e a quietude simultânea do cérebro sejam fruto do trabalho de dois neurotransmissores, aponta Hughdal. Um deles, o GABA, é o maior inibidor do cérebro: acalma e amortece a ativação. Um excesso de GABA pode estar na origem da falta de resposta cerebral a vozes do mundo real.

O segundo, glutamato, pode ser a causa das alucinações em primeiro lugar. O glutamato é um químico que faz o cérebro “zumbir”. Um extra deste químico no lugar errado pode sobrecarregar o cérebro e desencadear vozes falsas.

A equipe de cientistas procura agora um tratamento que consiste em treinar o doente para “ignorar” as vozes falsas.

Para isso desenvolveram um aplicativo para iPhone que funciona como a experiência original (o paciente pode ouvir uma sílaba em cada ouvido). Durante 10 a 15 minutos, duas vezes ao dia, o paciente pratica então ignorar os sons que vêm do lado direito e tenta reportar os do lado esquerdo.

// ZAP

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …