Terapia com avatares reduz alucinações causadas pela esquizofrenia

King's College London

Um novo tratamento que utiliza um sistema de avatar para controlar as vozes tipicamente ouvidas por esquizofrênicos pode ser um novo aliado dos pacientes contra as alucinações da doença.

Segundo um novo estudo publicado na revista científica The Lancet, as pessoas que receberam a terapia virtual se tornaram menos angustiadas e passaram a ter alucinações com menos frequência do que as pessoas submetidas apenas ao tratamento convencional.

Um em cada quatro pacientes com esquizofrenia continua a ouvir vozes mesmo seguindo o tratamento convencional, com medicamentos e terapia cognitivo-comportamental.

A nova abordagem, desenvolvida por cientistas da Universidade College London e da King’s College London, ambas na Inglaterra, procura ensinar o paciente a enfrentar essa voz por meio de uma simulação virtual que personaliza a alucinação.

Na prática funciona assim: com a ajuda de um software, o paciente cria um avatar com a voz – incluindo intensidade e tom – e a fisionomia que representa para o que costuma ouvir em sua cabeça.

Durante a sessão, o terapeuta assume o controle do avatar, e simultaneamente conversa com o paciente interpretando o avatar e desempenhando seu papel profissional, em uma conversa com três participantes.

No novo estudo, 150 pacientes que continuaram a ouvir as vozes por mais de um ano foram divididos em dois grupos: metade foi submetida a seis sessões da nova terapia e os outros 75 pacientes fizeram a mesma quantidade de sessões da terapia convencional.

Nas sessões com o avatar, os pacientes eram encorajados a tomar o controle da conversa e dizer coisas como “não vou mais te ouvir”. Dessa forma, o paciente aprende a tomar as rédeas da situação e enfrentar a voz, ao contrário do que acontece em um momento de alucinação.

Os resultados mostraram que a nova abordagem foi duas vezes mais efetiva do que a terapia na redução da frequência das alucinações. “Após 12 semanas, houve uma melhora considerável em comparação com a terapia convencional. Com a ajuda de um avatar, os pacientes aprendem a confrontar e ter resposta do confronto, o que muda a ideia de que a voz está no comando”, disse Tom Craig, principal autor do estudo, à BBC.

Entretanto, após 24 semanas, os pacientes de ambos os grupos apresentaram os mesmos níveis de melhora. Segundos autores, esse resultado sugere que a terapia avatar precisa ser frequentemente reforçada para uma recuperação a longo prazo.

De acordo com Robin Murray, professor do Instituto de Psiquiatria do King’s College London, a nova descoberta pode trazer uma nova e importante abordagem ao tratamento para a esquizofrenia.

“Se uma intervenção inteiramente psicológica, como a terapia avatar, pode produzir tal melhora, precisamos repensar a maneira como conceitualizamos as alucinações auditivas”, afirma.

Por outro lado, para Stephen Lawrie, diretor de psiquiatria da Universidade de Edimburgo, mais pesquisas são necessárias para comprovar o efeito do novo tratamento.

“É necessário um estudo mais aprofundado para replicar esses resultados, estabelecer o papel desse tratamento em relação a outros, como a terapia cognitivo-comportamental, e esclarecer qual deles tem maiores benefícios”, conclui.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …